Notícias Regionais e Afins

29/11/12

A ABPF – Regional São Paulo, informa que no mês de Dezembro, em virtude as vésperas e período de compras de Natal, o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça (Brás / Mooca), que de praxe opera aos Sábados e Domingos, ESTARÁ OPERANDO APENAS NOS TRÊS PRIMEIROS DOMINGOS, NOS DIAS (02 / 09 / 16), em seu horário habitual, entre as 10h30 e 16h.

O Museu Ferroviário do Funicular em Paranapiacaba (Alto da Serra – distrito de Santo André) permanecerá aberto à visitação aos Sábados e Domingos, nos três primeiros finais de semana de Dezembro, nos dias     (01 – 02 / 08 – 09 / 15 – 16) em seu horário habitual, entre as 10h e 16h.

Agradecemos a todas as pessoas que neste ano de 2012, vieram a prestigiar o trabalho da ABPF / SP, através de suas visitas.

Agradecemos a todos os sócios e colaboradores desta entidade, que com trabalho e dedicação, colaboraram com as atividades da mesma.

DESEJAMOS A TODOS UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO, REPLETO DE REALIZAÇÕES!
E COM MUITOS TRENS!!!

ABPF – Regional São Paulo

“ESPECIAL FERROVIAS - BOM DIA BRASIL TV GLOBO!”

COM AS CONCESSÕES E OU PRIVATIZAÇÕES OCORRIDAS NA MALHA FERROVIÁRIA NA DÉCADA DE NOVENTA, ENTRE MEADOS DE 1996 E 99, QUE NO ESTADO DE SÃO PAULO VEIO A LIQUIDAR FEPASA - FERROVIA PAULISTA SOCIEDADE ANÔNIMA. E A NÍVEL BRASIL LIQUIDOU A REDE FERROVIÁRIA FEDERAL SOCIEDADE ANÔNIMA - RFFSA, SENDO A MALHA DESTAS REPASSADAS A EMPRESAS CONCESSIONÁRIAS, QUE BASICAMENTE OPERAM SOMENTE OS TRENS CARGUEIROS, ESTA SÉRIE DE REPORTAGENS NOS DÁ UM PANORAMA ATUAL, DAS NOSSAS FERROVIAS.

- ACOMPANHEM;

Video (01)

Video (02) 

Video (03)

Comentário Alexandre Garcia

 

06/07/12

“ABPF–SP RELEMBRA OS TRENS BLINDADOS DA REVOLUÇÃO DE 1932”

Para relembrar à participação dos Trens Blindados, utilizados na Revolução de 1932, para o transporte de soldados, armamentos e suprimentos as frentes de batalha, a ABPF - Regional São Paulo promove atividades neste fim de semana e feriado, nos dias 07, 08 e 09 de Julho.

Com o apoio da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, a ABPF – SP promovera uma pequena exposição com fotos dos Trens Blindados, na Estação Pinheiros da Linha 09 – Esmeralda (Antigo Ramal de Jurubatuba da Estrada de Ferro Sorocabana e posteriormente FEPASA), no Sábado (07), Domingo (08) e Segunda Feira (09).

Esta pequena mostra, ocorrera entre às 10h e 17h, na área paga da estação. Sendo gratuita aos usuários da CPTM / Metrô, que estiverem dentro do sistema.
Nesta ocasião, membros da ABPF /SP estarão presentes, divulgando também o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça (Brás / Mooca), bem como o Museu Ferroviário do Funicular, localizado em Paranapiacaba, distrito de Santo André SP no Alto da Serra.

Na Segunda (09) de Julho, Feriado da Revolução, membros da ABPF/SP estarão presentes no tradicional Desfile de Nove de Julho, na região do Ibirapuera em São Paulo.
Ocasião em que veículos com características militares, passarão em desfile. Sendo que em um dos carros, os membros da ABPF passarão pela avenida, representando o Trem Blindado da Revolução de 1932.

Alem do desfile, quem vier aos passeios do Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça (Brás / Mooca) alem de realizar estes passeios que resgatam parcelas da historia da ferrovia, também poderá apreciar estes antigos veículos militares, que estarão em exposição nos espaços da ABPF/SP.

O Trem Cultural dos Imigrantes estará operando normalmente nos três dias Sábado (07), Domingo (08) e Segunda FERIADO (09), em seu horário habitual, entre as 10h30 e 16h.
Período em que a velha Maria Fumaça parte a cada hora em média, percorrendo o desvio do pátio da ABPF/SP, no trecho entre as proximidades das estações Brás e Mooca da Ferrovia.

O embarque / desembarque é feito pela Parada do Trem Cultural, situada na Rua Visconde de Parnaíba 1253, que fica ao lado da Antiga Hospedaria dos Imigrantes, a 700 metros da Estação Bresser – Mooca da Linha 03 vermelha do Metrô.

Portanto venham nos visitar e tragam as suas famílias.

ABPF – Regional São Paulo

 

26/04/2012

 

“ABRIL É O MÊS DO FERROVIÁRIO E DA ABPF – SP!”

No dia 30 de Abril de 1854, era inaugurada a primeira ferrovia do Brasil, a Estrada de Ferro Mauá, idealizada por Irineu Evangelista de Souza, O BARÃO DE MAÚA.
Partindo da Estação de Guia de Pacobaíba na Baía de Guanabara, a ferrovia chegou primeiramente à localidade de Fragoso, situada a 14 quilômetros do início. E ali correu a Baroneza, a primeira Locomotiva a percorrer o solo brasileiro. Pouco tempo depois, a ferrovia atingiu a Raiz da Serra.
Mas o objetivo da Estrada de Ferro Mauá, era o de subir com seus Trilhos a Serra de Petrópolis, para chegar a esta cidade. Fato que só ocorreu anos mais tarde.

NO DIA 30 DE ABRIL, É COMEMORADO O DIA DO FERROVIÁRIO!
Para a Regional São Paulo da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – ABPF, no mês de Abril existe ainda dois fatos importantes nas atividades do resgate da memória e preservação ferroviária, ligados ao trabalho desta entidade;

Em 05 de Abril de 1998, foi inaugurado junto à antiga Hospedaria de Imigrantes no bairro paulistano da Mooca, O TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES.
Que desde então, passou a operar aos finais de semana pelas mãos dos membros da ABPF - SP, percorrendo um pequeno trecho da Primeira Ferrovia do Estado de São Paulo (The São Paulo Railway Company / Estrada de Ferro Santos a Jundiaí), pelo desvio ferroviário da  antiga hospedaria, entre as proximidades das estações Brás e Mooca.
COMPLETANDO NESTE ABRIL DE 2012, 14 ANOS DE OPERAÇÃO!
Coincidentemente, a antiga Locomotiva Movida a Vapor (Maria Fumaça) que traciona atualmente este Trem, foi fabricada na Filadélfia (EUA) em Abril de 1922.

COMPLETANDONESTE MÊS (90) NOVENTA ANOS DE EXISTÊNCIA, EM PLENO FUNCIONAMENTO!
* VÍDEO REPORTAGEM (REDE TV) DESTE TREM; VIDEO

PORTANTO ABRIL É MAIS QUE IMPORTANTE PARA A ABPF (REGIONAL SÃO PAULO)!
ABRILHANTANDO ESTE MÊS DO FERROVIÁRIO, foi ao AR na Sexta Feira (06/04) pela TV Globo em rede nacional, o primeiro Globo Repórter deste Abril de 2012;
UM ESPECIAL SOBRE AS FERROVIAS!

* Links do programa, postados no site youtube;
Bloco 01
Bloco 02
Bloco 03
Bloco 04

Saudações Ferroviárias!

ABPF – Regional São Paulo

04/04/2012

 

“14 ANOS DO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – ABPF/SP!”

)

No dia 05 de Abril de 1998, era inaugurado o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça (Brás / Mooca), junto ao Memorial do Imigrante (Antiga Hospedaria de Imigrantes) do bairro paulistano da Mooca.
Esta foi uma parceria firmada na época, entre a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – ABPF (Regional São Paulo) e o Memorial do Imigrante, através da Secretaria de Estado da Cultura. Que consistia na implantação do Núcleo Histórico dos Transportes do Memorial do Imigrante. Núcleo este que contemplava o Trem Cultural dos Imigrantes, que passou a operar aos finais de semana para o público em geral. E em dias da semana, para grupos de excursões agendados.

Foi recriada toda a atmosfera da época dos Imigrantes, com o antigo Trem tracionado por Locomotiva à Vapor, percorrendo um trecho da primeira ferrovia do estado de São Paulo, pelo desvio ferroviário da antiga Parada de Trens da Hospedaria, com objetivo de resgatar a história da ferrovia e a época da vinda dos Imigrantes ao Brasil. Que vinham de diversos países do mundo, transportados em navios, até o Porto de Santos.
Do porto Santista até a Hospedaria de Imigrantes, estes eram transportados pelos trilhos da primeira ferrovia do estado de São Paulo, a então The São Paulo Railway Company. Ferrovia idealizada pelo Irineu Evangelista de Souza (Barão de Mauá), que foi construída pelo capital de investidores Ingleses. Que á partir de 1946, com o fim da concessão dos ingleses, passou a ser administrada pelo governo brasileiro, que a denominou de Estrada de Ferro Santos a Jundiaí, nome popularmente conhecido até hoje.

Com o Trem Cultural – Maria Fumaça foi implantado nesta época também, o Bonde Cultural dos Imigrantes;
Parceria entre a ABPF/SP, Secretarias da Cultural e do Turismo do estado, que possibilitou o resgate e recuperação do Bonde de fabricação Escocesa de prefixo - 38, que se encontrava parado junto a um pátio ferroviário no interior do estado nesta época. Veículo este que no passado, pertenceu à cidade de Santos.
Este antigo veículo foi recuperado por intermédio desta parceria na época, nas oficinas da Estrada de Ferro Campos do Jordão.
Alem da recuperação Bonde, foram assentados Trilhos no leito da Rua Visconde de Parnaíba, no trecho entre a portaria do Memorial do Imigrante, e a Estação Bresser – Mooca do Metrô, por onde o Bonde passou a operar aos Domingos, resgatando a história dos bondes de São Paulo, que no passado faziam parte do sistema de transporte coletivo urbano da cidade. Inclusive pela própria Rua Visconde de Parnaíba, passava antigamente uma linha de Bondes, que vinha do centro da cidade.
E junto a Parada de Trens da antiga Hospedaria, alem da operação do Trem Cultural dos Imigrantes, a ABPF/SP mantinha a exposição permanente, com acervo de peças antigas da ferrovia, fotos, e até uma maquete de ferreomodelismo, com miniaturas de Trens Elétricos circulando em exposição.

A parceria do Núcleo Histórico dos Transportes entre a ABPF/SP e o Memorial do Imigrante, foi finalizada em Agosto de 2010, quando este Museu, que é de jurisdição da Secretaria da Cultura do estado, foi fechado para reforma. Sendo solicitada a saída da ABPF/SP nesta época, que teve de recolher todo o seu acervo da parada de Trens.
O Bonde – 38, que já se encontrava parado, apenas em exposição junto a portaria do Memorial do Imigrante, em virtude a mudança da mão de direção da Visconde de Parnaíba próximo ao Metrô Bresser, que veio a dificultar a operação do antigo bonde naquele trecho com segurança, ficou exposto na rua em frente ao museu, mas sem a apoio na segurança do mesmo. Passando a servir de abrigo para moradores de rua, tendo inclusive parte de seus componentes furtados.
O velho Bonde foi levado para a cidade de Santos, por intermédio de uma nova parceria entre a ABPF e a Prefeitura de Santos, que se comprometeu a manter e operar o veículo nesta cidade, em sua linha histórica cultural de bondes.Entretanto o Trem Cultural dos Imigrantes continua operando a todo vapor aos fins de semana, pelo desvio da antiga hospedaria, rodando entre as proximidades das estações Brás e Mooca da Ferrovia.
Graças a uma nova parceria firmada entre a ABPF e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, esta cedeu um pequeno espaço junto as Oficinas de Roosevelt, onde a ABPF – São Paulo implantou por recursos próprios, a Parada Provisória Rua Visconde de Parnaíba.
Neste espaço foi implantada uma pequena plataforma de embarque, bilheteria e sanitários, para atender ao público visitante. Que alem do passeio de Trem pode optar por fazer retratos de época, no estilo dos idos de 1900, com o retratista Fernando de Paula Assis. Que mantém um acervo de roupas antigas, onde o visitante pode se caracterizar para retratos em seu míni estúdio, ou ao Lado da Maria Fumaça.

A operação do Trem Cultural dos Imigrantes ocorre aos Sábados e Domingos entre as 10h30 e 16h, período em que a velha Maria Fumaça parte a cada hora em média, fazendo pequenos passeios com duração de vinte e cinco minutos cada aproximadamente. Onde um monitor a bordo, conta parcelas da história da ferrovia.Agradecemos a todas as pessoas e parceiros, que prestigiam o trabalho da ABPF/SP nestes 14 anos, através do Trem Cultural dos Imigrantes!
Agradecemos aos sócios e colaboradores desta entidade, que com dedicação contribuem nas atividades, muitas vezes com trabalho voluntário em suas horas livres!Venham fazer este passeio no tempo, pelos trilhos do passado e tragam a família!...

* Vídeo; Trem Cultura do Imigrante

RUA VISCONDE DE PARNAÍBA – 1253. A 700 METROS DA ESTAÇÃO BRESSER – MOOCA DO METRÔ.OBS:

Neste Feriado de Páscoa, em virtude a baixa demanda de visitantes constatada nesta época, o Trem Cultural dos Imigrantes vai rodar apenas no Sábado dia 07 de Abril, entre as 10h30 e 16h.
Na Sexta Feira Santa dia 06 e Domingo de Páscoa dia 08, este Trem estará INOPERANTE!
O mesmo volta à operação normal aos Sábados e Domingos, a partir dos dias 14 e 15.

ABPF – Regional São Paulo

29/02/2012

 

“TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES NO PROGRAMA MANHÃ MAIOR – REDE TV!”

No ultimo dia 20 de Fevereiro de 2012, Segunda Feira de Carnaval, foi ao Ar pelo programa Manha Maior da Rede TV, uma matéria a respeito do Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça (Brás / Mooca).
Esta matéria foi no intuito de divulgar o Trem Cultural dos Imigrantes, como dica de passeio cultural para Feriados e Fins de Semana.

Nesta oportunidade, esteve presente a senhora Vielda Brugnera com 96 anos de idade, descendente de família de Imigrantes Italianos, que vieram para o Brasil a trabalho no passado. A senhora Vielda, alem de relatar parte da história de seus antepassados e o orgulho de ter nascido no Brasil em São Paulo e ser paulista, relatou também as experiências da época em que realizava as antigas viagens de Trem, pelos trilhos da primeira ferrovia do estado de São Paulo; The São Paulo Railway, posterior Estrada de Ferro Santos a Jundiaí.
Ao final do passeio de Trem, a dona Vielda foi convidada a fazer um “retrato de época”, pelo fotografo (retratista) Fernando de Paula Assis, parceiro da ABPF/SP, que aos finais de semana, atua junto a Parada do Trem Cultural, oferecendo aos visitantes este serviço. Onde as pessoas podem se caracterizar com roupas antigas dos idos de 1900, retratando a época dos Barões e Baronesas do Café.
A dona Vielda levou em forma de cortesia e recordação, uma foto caracterizada como condessa.

Alem dos relatos de história viva da senhora Vielda, membros da ABPF (Regional São Paulo), que estavam na escala do operacional do Trem dos Imigrantes, falaram sobre o TRABALHO VOLUNTÁRIO que exercem junto a esta entidade, se dedicando em suas horas livres, nas atividades da associação.

Outra parte interessante desta matéria foram os relatos do Ferreomodelista Eduardo. Que teve a oportunidade de mostrar o seu trabalho de resgate da história da Ferrovia, através de suas maquetes e miniaturas de Trens.

Agradecemos a produção do Manhã Maior da RedeTV , por esta bela matéria, em forma de apoio e divulgação do Trem Cultural dos Imigrantes!
Convidamos a todos a fazerem estes passeios, que ocorrem aos Sábados / Domingos, entre as 10h30 e 16h. Período em que a velha Maria Fumaça parte a cada (01) uma hora em média, realizando passeios com duração de (25) vinte e cinco minutos cada aproximadamente, pelo desvio da antiga Hospedaria dos Imigrantes, trecho entre as proximidades das estações Brás e Mooca da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí.

RUA VISCONDE DE PARNAÍBA – 1253, A 700 METROS DA ESTAÇÃO BRESSER – MOOCA DO METRÔ.

Link desta matéria;
Video

ABPF – Regional São Paulo

17/02/2012

 

“OPERAÇÃO ABPF (REGIONAL SÃO PAULO) NO CARNAVAL!”

A ABPF REGIONAL SÃO PAULO INFORMA;

O TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES (BRÁS / MOOCA);
VAI OPERAR APENAS NO SÁBADO (18 / 02) E DOMINGO (19 / 02).
NA SEGUNDA E TERÇA FEIRA DE CARNAVAL, APESAR DE SER FERIADO PROLONGADO, NÃO OCORRERA A OPERAÇÃO DESTE TREM. VISTO QUE NESTA ÉPOCA, MUITAS PESSOAS SAEM DA CIDADE DE SÃO PAULO, RUMO AS CIDADE LITORANEAS OU INTERIOR, OCASIONANDO BAIXA DEMANDA DE VISITAÇÃO!

O MUSEU FERROVIÁRIO DE PARANAPIACABA (STO. ANDRÉ);
ESTARÁ ABERTO A VISITAÇÃO NO SÁBADO (18 / 02), DOMINGO (19 / 02) E TERÇA FEIRA (21 / 02) DE CARNAVAL.
PERMANECENDO FECHADO NA SEGUNDA FEIRA (20 / 02).

ABPF – Regional São Paulo

 

10/02/12

 

“FEVEREIRO, MÊS DE ANIVERSÁRIO DA SÃO PAULO RAILWAY, A 1º FERROVIA DO ESTADO DE SÃO PAULO!”

Idealizada por Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, em 16 de Fevereiro do ano de 1867, era inaugurada a primeira Ferrovia do Estado de São Paulo;
THE SÃO PAULO RAILWAY COMPANY – SPR

Construída pelo capital de investidores Ingleses, foi implantada com o objetivo principal de escoar a produção de Café, cultivado nas fazendas do interior do estado, até o Porto de Santos para a exportação.
Até hoje os Trilhos fazem a ligação entre o Porto de Santos, a cidade de São Paulo de passagem pela Estação Luz e a Estação de Jundiaí.

Os Ingleses, em contrapartida aos investimentos feitos para a construção desta ferrovia, implantando na época o sistema de Cabos de Aço (Funicular), para que as composições pudessem vencer o obstáculo natural desta ferrovia, a Serra do Mar, tinham a sua concessão e o monopólio de acesso do transporte ferroviário até o Porto Santista.

Monopólio este que só foi quebrado em partes, quando da construção da Linha Mayrink - Santos pela Estrada de Ferro Sorocabana – EFS, na década de 1930.
Que a partir de 1957, com a inauguração do Ramal Ferroviário de Jurubatuba (atual Linha – 09 da CPTM Osasco - Grajaú, a linha da Marginal Pinheiros), que partindo das proximidades da estação Imperatriz Leopoldina na linha tronco da EFS, encontrava a Mairiqnue / Santos em Evangelista de Souza, passando a ser efetivamente a 2º ligação ferroviária entre a capital e o litoral paulista.
Hoje o Ramal de Jurubatuba está operacional apenas no trecho da Linha – 09 da CPTM até a Estação Grajaú. O trecho entre Grajaú e Evangelista de Souza está desativado, permanecendo operacional apenas a linha Mairinque / Santos, para Trens de Cargueiros”.

A concessão dos Ingleses da São Paulo Railway, durou até o ano de 1946. Neste ano a ferrovia é encampada pelo governo brasileiro, passando a se chamar ESTRADA DE FERRO SANTOS A JUNDIAÍ – EFSJ, nome este popularmente conhecido até hoje.

Posteriormente, a EFSJ passou a integrar a malha ferroviária federal, compondo esta através da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima – RFFSA.

A antiga SPR, posterior EFSJ, teve o tráfego de Trens de Cargas e de Passageiros, desde a sua inauguração. Mas a partir de 1996, por conta do processo de privatização (concessão) das ferrovias, começa o processo de liquidação da RFFSA.
No estado de São Paulo, entre meados de 1998 / 99, foi liquidada a FEPASA – Ferrovia Paulista S/A, que havia sido criada pelo governo paulista em 1971, com o intuito de unificar as ferrovias do estado.
Em meados de 1996, correu o último Trem de Passageiros Comercial de Longo Percurso, entre a Estação da Luz e a Estação de Santos no Valongo. E entre meados de 98/99, partiram os últimos Trens de Passageiros de Longo Percurso da FEPASA, que operavam diariamente entre as Estações Luz e Barra Funda na capital e as cidades do interior na Alta Araraquarense e Alta Paulista.

Atualmente os trilhos da primeira ferrovia do estado de São Paulo, são compartilhados pela concessionária MRS – Logística, que passa diariamente com seus Trens de Cargas vindos do interior, rumo ao Porto de Santos. E pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, que opera o serviço de Trens Urbanos entre a Estação Luz e a cidade de Jundiaí, bem como entre a Estação Brás e a cidade de Rio Grande da Serra. Sendo que mais recentemente, a partir de 2009, a CPTM passou a operar com o apoio desta entidade (ABPF) o serviço Expresso Turístico, aos finais de semana, com partidas aos Sábados pela manhã para Jundiaí e intercalado entre alguns Domingos de cada mês para Vila Ferroviária de Paranapiacaba no Alto da Serra, o berço da antiga SPR.

Serviço este operado pela CPTM, que utiliza dois carros de passageiros fabricados na década de 1960 da antiga Estrada de Ferro Araraquara – EFA, que hoje pertencem ao
Acervo da ABPF (Regional São Paulo), que foram emprestados por esta a CPTM, para que seja possível a operação deste Trem, nos mesmos moldes dos extintos Trens de Passageiros de Longo Percurso (viagem).

A ABPF, através de sua Regional São Paulo, opera dois núcleos, no intuito de resgatar e preservar a história desta ferrovia;

O TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – MARA FUMAÇA (BRÁS / MOOCA), opera aos Sábados Domingos e Feriados, entre as 10h30 e 16h. Período em que uma antiga Locomotiva à Vapor que no passado pertenceu a Estrada de Ferro Central do Brasil – EFCB, fabricada em 1922, parte a cada (01) uma hora em média, percorrendo o desvio da Antiga Hospedaria dos Imigrantes no bairro paulistano da Mooca.
O acesso a este Trem é pela Parada Rua Visconde de Parnaíba – 1253 a 700 metros da estação Bresser – Mooca do Metrô Paulistano.

O MUSEU FERROVIÁRIO DO FUNICULAR – ALTO DA SERRA (PARANAPIACABA), fica aberto à visitação aos Sábados, Domingos e Feriados, entre as 10h e 16h, na antiga Vila Ferroviária de Paranapiacaba, distrito de Santo André.
Aos Domingos, uma antiga Locomotiva à Vapor de 1867 que no passado pertenceu a São Paulo Railway, faz pequenos passeios pelo pátio ferroviário anexo a este Museu.

Em 25 de Janeiro passado, a cidade de São Paulo completou 458 anos. Entretanto efetivamente, o desenvolvimento do estado de São Paulo completa 145 anos, a partir da inauguração de sua primeira ferrovia, em 16 de fevereiro de 1867. Que alavancou o progresso deste estado, dando-lhe o título de “A Locomotiva do Brasil”.

“145 ANOS DA SÃO PAULO RAILWAY. SAUDAÇÕES FERROVIÁRIAS!!!”

Fotos dos Acervos de;
Vanderlei Scanavaca, Vanderlei Antonio Zago, Revista Ferrovia, Luis Fernando Silva, ABPF Regional São Paulo.

Texto;
Anderson Alves Conte

ABPF – Regional São Paulo

 

24/01/12

Aniversário de São Paulo!

Foto Fernando Rebelo

Amanhã, 25 de janeiro de 2012, é aniversário da cidade de São Paulo (458 anos), e para comemorar haverá o Trem Cultural dos Imigrantes - Maria Fumaça!

Além de amanhã, o trem opera aos sábados, domingos e feriados. A parada deste trem é aberta ao público entre as 10h30 e 16h, e neste periodo a velha Maria Fumaça, fabricada em 1922 e que no passado pertenceu à Estrada de Ferro Central do Brasil, faz passeios a cada uma hora, em média.

Cada passeio dura aproximadamente vinte e cinco minutos, com monitor à bordo contando uma parcela da história da ferrovia.

Para o passeio neste trem, o visitante contribui com o ingresso, no valor de R$ 8,00, a título de custos operacionais, o que é pago em forma de dinheiro ou cheque, já que não temos a disponibilidade de máquina de cartão de débito/crédito na bilheteria. Apenas crianças de colo até 5 anos de idade. indo no colo do responsável, não pagam o ingresso.

Rua Visconde de Parnaíba – 1253, ao lado da antiga Hospedaria de Imigrantes, a 700 metros da estação Bresser-Mooca do metrô...

Link com matéria / video deste Trem, realizado pelo CATRACA LIVRE:

http://catracalivre.folha.uol.com.br/2012/01/passeio-de-trem-de-1922-e-fotos-de-epoca-no-centro-de-sao-paulo/

ABPF Regional São Paulo


19/12/2011

 

 

“FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!” 

A ABPF (Regional São Paulo) agradece a todas as pessoas que neste 2011 vieram a prestigiar através de suas visitas, o trabalho desenvolvido por esta entidade. Quer tenha sido no Trem Cultural dos Imigrantes no bairro paulistano da Mooca, ou no Museu Ferroviário do Funicular em Paranapiacaba (Alto da Serra) distrito de Santo André. 

Agradecemos também ao nosso quadro de Sócios e colaboradores. Pessoas que em grande parte, dedicam seu tempo livre em forma de trabalho voluntário, nas diversas atividades desta regional.
 Bem como estendemos o nosso agradecimento, aos poucos, porem valorosos parceiros, que deram as suas contribuições, através de doações;
Doações de materiais utilizados tanto na manutenção, bem como operação.
Doações de documentos, registros, livros, e demais itens do contexto história da ferrovia, que são inseridos e passam a compor o acervo do Núcleo de Pesquisa e Apoio a Memória Ferroviária, ainda em fase de formatação.
Até mesmo a “doação” na prestação de serviços gratuitos, a exemplo da colaboração na manutenção deste site. 

Informamos que em virtude ao período de Festas de Natal e Ano Novo, estão encerradas as operações deste ano.  

Voltaremos a operar no Museu Funicular de Paranapiacaba a partir do 2º final de semana do próximo Janeiro de 2012 (Sábado - 07 e Domingo – 08), como é de praxe aos Sábados, Domingos e Feriados. 

O Trem Cultural dos Imigrantes (Brás/Mooca) volta a operar a partir do 3º final de semana de Janeiro de 2012, como é de praxe aos Sábados, Domingos e Feriados. 

Aproveitamos para desejar a todos os mais sinceros votos de um Feliz Natal e Próspero Ano Novo, repletos de paz, hamormonia e prosperidade.
 
E QUE 2012 NOS TRAGA BOAS PERSPECTIVAS AO NOSSO MEIO HISTÓRICO FERROVIÁRIO!

ABPF – Regional São Paulo

 

14/12/11

Ferrovia São Paulo - Rio Grande na TV!

Uma homenagem memorável à Ferrovia São Paulo - Rio Grande. No próximo sábado, 17 de dezembro, às 21:30, o Brasil vai se ligar nessa emocionante história.

Da obra de Ernoy Mattiello, co produção de Cleide Fátima e Vilmar Miguel Sartori, "Memorável Trem de Ferro - O Centenário da Ferrovia SP- RS".

Assista na sua parabólica, Net Cabo, Via Embratel e Sky, de qualquer ponto do pais!

"TV SENADO FAZ EXIBIÇÃO MEMORÁVEL PARA HOMENAGEAR FERROVIA

Por Cleide Fátima – Especial São Paulo – SP

Uma história memorável, que se passa em quatro estados do país é uma das principais atrações da TV Senado para Dezembro. Memorável Trem de Ferro, documentário etnográfico que revive o glamour da ferrovia – São Paulo Rio Grande promete encantar expectadores de todo Brasil. O filme de 52 minutos viaja pela saga de uma das mais audaciosas obras ferroviárias da América Latina, percorrendo mais de 1400 quilômetros de trilhos entre Itararé (SP) e Santa Maria (RS).

A escolha da data, 17 de Dezembro, tem significado especial: Trata-se do dia em que a ferrovia celebra 101 anos. A veiculação em horário nobre, programada para às 21:30 é uma forma de homenagear a Região Sul e Interior paulista, onde o traçado ferroviário foi preponderante para a ocupação territorial.

Uma biografia de contrastes marcados pelo massacre comandado pelo exército brasileiro sob o caboclo, herdeiro originário das terras, que lutou com bravura, mas sucumbiu a tirania sangrando a derrota. Ao final da criminosa campanha, a colonização, o povoamento da região e o surgimento de uma nova civilização.
Numa época em que o Brasil dava os primeiros e decisivos passos para a industrialização, o trem foi decisivo. Aos poucos o caminho das antigas tropas deu lugar ao mundo ferroviário por onde anônimos e celebridades da época seguiram na mesma direção.
A locomotiva do progresso conduziu Getúlio Vargas à tomada do poder na década de 30. Um trem de sonhos e esperanças que introduziu na região os migrantes, vindos das velhas colônias gaúchas. Gente que com suor e esforços fes surgir indústrias com a Sadia e Perdigão, entre tantas outras marcas mundialmente conhecidas.

O império feito a ferro e fogo que com o passar dos anos foi perdendo as forças e agonizando pacificamente, deixando escrita uma história nostálgica onde o trem é o astro principal.
Lançado em Fevereiro deste ano, Memorável Trem de Ferro, o primeiro documentário catarinense em película digital já vou apreciado por pelo menos 130 mil pessoas em mais de 80 cidades e centenas de sessões ao longo do ano. Após ser premiado no Festival Nacional de Cinema e Vídeo Rural, teve seu compacto exibido no Canal Terra Viva, agora chega a TV Senado para reviver uma história centenária.

Cenas como a das velhas colônias gaúchas, até então desconhecidas do cinema, a ponte férrea que transpões o rio Uruguai, ligando gaúchos e catarinenses, além de uma viagem centenária entre Piratuba (SC) e Marcelino Ramos (RS), à bordo de uma locomotiva Ten Wheeler de 1922, e o cenário do assalto ao trem pagador em Pinheiro Preto (SC), são algumas das principais emoções desse filme.

São 18 entrevistas, o que inclui depoimentos de historiadores com titulação de doutores no assunto, além de ferroviários aposentados e até mesmo colonizadores da região do Contestado. Cada um ao seu jeito contribuiu para a construção dessa teia fragmentada, que agora é um filme.

A obra começou a ser rodado em Setembro de 2010 em Itararé, SP. Naquela cidade a ferrovia parte de um entroncamento com a Sorocabana. No estado paranaense a equipe gravou em Sengés, Jaguariaíva, Palmeira e União da Vitória. Já em SC, os cineastas tiveram locações em Matos Costa, Calmon, Caçador, Rio das Antas, Pinheiro Preto, Herval d´Oeste, Irani e Piratuba. No Rio Grande do Sul os cineastas estiveram em Marcelino Ramos, Passo Fundo, Santa Bárbara do Sul, Montenegro, Salvador do Sul e a bela Santa Maria.

Fragmentos de uma história nostálgica que agora se abre na tela da TV Senado. Um filme que reascendendo lembranças e revive o passado. Entretanto a finalidade maior da obra é a de sensibilizar autoridades e governos para a retomada ferroviária no país."

TV Senado
Dia 17 de dezembro, 21:30,
Via satélite para toda a América Latina

ABPF Regional São Paulo


07/12/11

 

Núcleo de Pesquisa em ação!

Foto Fernando Rebelo
Prof. Galdino e parte do acervo do Sr. Mário da Veiga.

No dia 29 de novembro de 2011 a ABPF-SP, através do seu Núcleo de Pesquisa e Preservação da Memória Ferroviária, recebeu uma importante doação que vem enriquecer o acervo de memória histórica e documental de nossas estradas de ferro.

Trata-se de livros, revistas, pastas com recortes jornalísticos, antigos documentos, fotos, discos com áudio de locomotivas e peças ferroviárias, constituindo um rico acervo que pertenceu ao associado Sr. Mário da Veiga Gonçalves de Oliveira, que já em 1987 recebeu da ABPF o título de Ferroviário Emérito pela sua dedicação e carinho por nossas estradas de ferro.

Com seu falecimento, sua família gentilmente nos procurou para doar seu acervo, no intúito de que, continuando a preservá-lo, acrescentássemos mais um parágrafo na memória das nossas estradas de ferro e do nosso ilustre e sempre inspirador personagem, “o trem”.

Agradecemos à família, que nos confiou o cuidado de uma vida dedicada ao estudo e memória documental das ferrovias; agradecemos também ao Sr. Sérgio Mártire pela colaboração no transporte do material, que já se encontra sob nossos cuidados, e adiantamos que foram iniciados os trabalhos de limpeza e acomodação dos mesmos - logo estarão catalogados e disponibilizados para a consulta pública.

Continuamos necessitando de voluntários para a limpeza e organização do nosso acervo do Centro de Cultura e Memória Ferroviária; aos que se interessarem, pedimos que entrem em contato conosco através do e-mail pesquisa-abpfsp@bol.com.br .

Preservar a memória é ter uma história!

Prof. André Galdino
Diretor de Pesquisa e Memória Ferroviária
ABPF – Regional São Paulo


 

23/08/2011

“TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – ABPF/SP, NO CLAQUETE DA BAND!”

 No ultimo dia 17 deste mês de Agosto, foi exibida uma matéria no programa do Otavio Mesquita (CLAQUETE) da TV Bandeirantes, a respeito do Trem Cultural dos Imigrantes, bem como do pátio e acervo de exemplares de Trens antigos da ABPF Regional São Paulo no bairro paulistano da Mooca.
 Esta matéria foi executada pela Carol Thomé (videorreporter) que esteve presente juntamente com o seu marido Duca, no dia da gravação. E tinha a previsão de ser veiculada no programa A NOITE É UMA CRIANÇA, que também era apresentado pelo Otavio Mesquita. Mas que na época da gravação desta matéria, estava em faces de reformulação, o que veio acontecer dias depois, quando o programa passou a se chamar “CLAQUETE”.


Link da matéria no Claquete; assista aqui!

Nesta visita da Carol Thomé, foi possível mostrar alguns dos exemplares de Trens antigos do acervo da ABPF-SP, que aguardam pelos trabalhos de recuperação. Mas principalmente, foi possível passar a noção das dificuldades enfrentadas pela entidade hoje. Já que atualmente, a ABPF (Regional São Paulo) não conta com nenhum tipo de apoio financeiro por parte do governo, para manter e tocar as suas atividades de preservação. Tendo como único recurso garantido, a arrecadação com as visitações do passeio do Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça.

Após a visita ao pátio da ABPF-SP na Mooca, a videorreporter Carol Thomé fez o passeio no Trem Cultural dos Imigrantes. E nesta literal viagem ao passado, foi possível registrar um pouco deste passeio, que resgata uma parcela da história da Ferrovia, dos tempos em que era possível viajar de Trem pelo estado de São Paulo. Mostrando detalhes de como eram as operações dos antigos Trens de Passageiros, o funcionamento e som dos apitos da Maria Fumaça.

Link da matéria do passeio de Trem; Passeio de Trem

 Esta visita feita pela Carol Thomé foi muito produtiva. Visto que alem da matéria que foi editada e exibida no programa Claquete na BAND, também foi feito outro vídeo pela Carol, em forma de apoio na divulgação do passeio do Trem Cultural dos Imigrantes, como dica cultural da cidade de São Paulo. Vídeo este que foi postado pela própria Carol, no site youtube; Vídeo

Agradecemos a TV Bandeirantes e ao Otavio Mesquita, pela exibição desta reportagem no programa Claquete. E principalmente, agradecemos a Carol Thomé pela bela matéria elaborada por ela!
 Lembramos que o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça opera aos Sábados, Domingos e Feriados, entre as 10h30 e 16h. Período em que a velha Maria Fumaça parte a cada hora “EM MÉDIA” e cada passeio dura aproximadamente (25) vinte e cinco minutos, com um Monitor a bordo contando um pouco da história da Ferrovia.

 Também é possível o agendamento de grupos de excursões de escolas ou de terceira idade, para as quintas e sextas feiras.
Rua Visconde de Parnaíba – 1253. (700 metros da estação Bresser – Mooca do Metrô) Informações; Turismo /Contato (011) 2695 1151.

 ABPF – Regional São Paulo

29/07/2011

“09 DE JULHO DE 2011; MEMBROS DA ABPF – REGIONAL SÃO PAULO PARTICIPARAM DO DESFÍLE ALUSIVO A REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, RELEMBRANDO O TREM BLINDADO”.

No último dia 09 de Julho, membros desta regional São Paulo da ABPF mais uma vez participaram do tradicional desfile que ocorre anualmente nesta data, alusivo a revolução de 1932.

Nesta ocasião, a ABPF relembra a participação do TREM BLINDADO, que na época da revolução transportou soldados, suprimentos e armamentos para as frentes de batalha.Representado a nossa entidade no desfile deste ano, estiverem presentes os sócios; Cezar Antonio Cordeiro Carluci, Cecílio Santos Costa, Sonia Maria Farias, alem do sócio André Torregrossa, que esteve a frente da organização da equipe neste evento.

O carro que entrou na avenida representado a ABPF/SP neste ano, pertence ao sócio Cezar que conduziu o mesmo, o qual nós agradecemos por disponibilizar este veículo.Após a participação no desfile, a equipe veio para a Parada Rua Visconde de Parnaíba do Trem Cultural dos Imigrantes, onde o veículo permaneceu estacionado em exposição aos visitantes do Trem.

Também nesta data, esteve presente um grupo de colecionadores de Lambretas “as famosas Vespas”, que permaneceram com estas Motocicletas antigas de pequeno porte estacionadas junto à portaria da Parada do Trem em exposição.

Oportunidade onde os visitantes e o público em geral puderam contemplar estas Lambretas antigas, relembrando os idos das décadas de 1950 / 60 / 70, quando estas Lambretas reinavam pelas ruas. Inclusive alguns dos proprietários destas “Motocas” estavam com trajes de época.

Agradecemos aos membros da ABPF/SP que foram representar esta entidade no desfile de 09 de Julho resgatando a participação do Trem Blindado na Revolução da década de 1930.

Agradecemos também aos proprietários das Vespas que também estiverem presentes, proporcionando uma atração diferente aos visitantes do Trem Cultural dos Imigrantes.

Lembramos que o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça opera regularmente aos Sábados, Domingos e Feriados, entre as 10h30 e 16h.

Neste período a Maria Fumaça parte da Parada Rua Visconde de Parnaíba - 1253 cada uma hora em média e cada passeio dura (25) vinte e cinco minutos.

ABPF – Regional São Paulo


24/06/2011

"PARCERIA AMIGÁVEL DE COOPERAÇÃO, PELA DIVULGAÇÃO DA MEMÓRIA DOS TRANSPORTES!"

A ABPF (Regional São Paulo) e o Museu dos Transportes Públicos (Popular Museu da CMTC), estreitam relações no intuito de divulgar a memória dos transportes.

“SABÍA VOCÊ, QUE NO PASSADO AS LOCOMOTIVAS MOVIDAS À VAPÓR (MARIA FUMAÇA) ERAM AS RESPONSAVEIS POR CONDUZIR OS TRENS DE PASSAGEIROS QUE TRAZIAM PESSOAS VINDAS DE OUTRAS CIDADES PARA SÃO PAULO...

AS HISTÓRICAS ESTAÇÕES JÚLIO PRESTES DA ANTIGA ESTRADA DE FERRO SOROCABANA, LUZ DA SÃO PAULO RAILWAY, ROOSEVELT (BRÁS) DA ESTRADA DE FERRO CENTRAL DO BRASIL, DURANTE ANOS FORAM AS PORTAS DE ENTRADA DA CIDADE DE SÃO PAULO!

MAS AS PESSOAS TRAZIDAS PELOS TRENS, QUANDO AQUI CHEGAVAM, TINHAM DE FAZER OS SEUS DESLOCAMENTOS PELA CIDADE. E O MEIO DE TRANSPORTE URBANO DA ÉPOCA ERAM OS BONDES, COM DIVERSAS LINHAS QUE CRUZAVAM A ENTÃO SÃO PAULO DA GAROA.”

Hoje, algumas instituições desenvolvem atividades, visando preservar parte desta história;

* O MUSEU DOS TRANSPORTES PÚBLICOS foi fundado por iniciativa do ex-funcionário da Companhia Municipal de Transportes Coletivos - CMTC, Gaetano Ferolla. O mesmo tem um expressivo acervo, que foi enriquecido por doações de colecionadores e outras instituições.
Este museu foi inaugurado em 1985 e atualmente é mantido e administrado pela São Paulo Transportes – SPTrans.
Neste estão preservados exemplares de Antigos Bondes e Ônibus, que no passado eram parte do sistema de transporte coletivo urbano da Cidade de São Paulo.

* A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRESERVAÇÃO FERROVIÁRIA – ABPF, através de sua Regional São Paulo, mantêm desde 1998 no bairro paulistano da Mooca, um acervo de exemplares de Trens Antigos, com Carros de Passageiros, Vagões e Locomotivas, de diversas épocas e ferrovias do estado de São Paulo. Acervo este que em parte aguarda por parcerias e recursos financeiros pela sua recuperação. E aos finais de semana e feriados, esta regional opera o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça.
Neste Trem, os visitantes conhecem parte da história da ferrovia, sendo recepcionados por monitores com trajes característicos dos antigos ferroviários. Andam a bordo de uma composição formada por Carros dos idos de 1910 e 50, que são tracionados atualmente por uma Locomotiva movida à Vapor fabricada em 1922. AUTÊNTICA MARIA FUMAÇA!

ATIVIDADES SEMELHANTES DESENVOLVIDAS POR DIFERENTES INSTITUIÇÕES, QUE RESGATEM PARCELAS DE UMA MESMA HISTÓRIA;
A HISTÓRIA DOS TRANSPORTES!

Dentro deste espírito, membros da ABPF – Regional São Paulo estiveram em contato com o Museu dos Transportes Públicos, visando a integração desta história.
Através do Sr. Henrique Di Santoro Júnior que gerência este museu, surgiu uma parceria amigável de apoio na divulgação. De modo que as pessoas que visitam o Museu dos Transportes Públicos, possam tomar conhecimento do Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça do bairro paulistano da Mooca.
Ao passo que as pessoas que visitam o Trem Maria Fumaça, são informadas da existência do Museu dos Transportes Públicos estabelecido na Zona Norte da cidade.

No último Sábado (18/06), um membro da ABPF/SP esteve em visita ao Museu dos Transportes Públicos. Oportunidade esta onde foram distribuídos folhetos com informações do Trem Cultural dos Imigrantes.
Neste mesmo dia no Trem Maria Fumaça, foram repassadas informações sobre o Museu dos Transportes Públicos. Sendo que desta ação já surtiram efeitos positivos. Visto que tanto no Trem Cultural dos Imigrantes, bem como no Museu dos Transportes, estiverem visitantes de ambos, que foram aos mesmos por conta desta divulgação simultânea!

“A CIDADE DE SÃO PAULO TEM MUITAS OPÇÕES DE VISITAÇÃO E DE ENTRETENIMENTO, LIGADAS A HISTÓRIA E A CULTURA.
 MUITAS PESSOAS NÃO SABEM DA EXISTÊNCIA DO MUSEU DOS TRANSPORTES PÚBLICOS, BEM COMO DA EXISTÊNCIA DO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES - MARIA FUMAÇA!”

Nesta oportunidade agradecemos ao Museu dos Transportes Públicos, na pessoa do Sr. Henrique, que nos propiciou esta amigável parceria. Cooperação esta, que resultara em benefícios para ambas as instituições. Ou seja; VISITAÇÃO PÚBLICA!
Os maiores favorecidos desta parceria são as pessoas em geral. Que terão a oportunidade de visitar e tomar conhecimento, da importância fundamental que os antigos meios de transportes exerceram no passado para o desenvolvimento da cidade e estado de São Paulo.

MUSEU DOS TRANSPORTES PÚBLICOS:
ABERTO A VISITAÇÃO de Terça à Domingo das 09h às 17h.
Avenida Cruzeiro do Sul – 780, proximidades do Shopping D e da Estação Armênia do Metrô, Antiga Ponte Pequena (Linha – 01 Azul). 

“ENTRADA FRANCA!”

Site: www.sptrans.com.br/museu/ Fone – Fax: (11) 3315 8884

TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – MARIA FUMAÇA:
SÁBADOS, DOMINGOS E FERIADOS entre as 10h e 16h, com partidas a cada hora em média e cada passeio dura (25) vinte e cinco minutos.
Rua Visconde de Parnaíba – 1253 ao lado da Antiga Hospedaria de Imigrantes, a 700 metros da Estação Bresser – Mooca do Metrô (Linha – 03 Vermelha).

“CONTRIBUIÇÃO PARA CUSTOS OPERACIONAIS - R$ 6,oo (SEIS REAIS).
APENAS CRIANÇAS DE COLO ATÉ 05 ANOS NÃO PAGAM O BILHETE!”
Site: www.abpfsp.com.br / E-mail; mariafumacasp@bol.com.br
Fone – Fax: (11) 2695 1151 “Atende de Segunda a Sexta das 09h às 17h”

ABPF – Regional São Paulo


09/06/2011

“DOAÇÕES CONTRIBUEM PARA A CONTINUIDADE DO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES - MARIA FUMAÇA!”

  Acervo - Renato Gigliotti

Desde quando ocorreu o fechamento do Memorial do Imigrante (antiga Hospedaria de Imigrantes) para obras de reforma, a ABPF/SP, que em parceria com esta instituição operava o Trem Cultural dos Imigrantes junto à antiga estação desta hospedaria, foi obrigada a devolver os espaços desta estação. Espaço este onde era mantida uma exposição permanente com acervo de peças antigas da ferrovia, sendo da plataforma desta antiga estação que aos finais de semana partiam os passeios de Maria Fumaça.

 

 Plataforma esta que é a mesma onde no passado desembarcavam os Imigrantes que aqui chegavam, vindos de diversos países do mundo de navio até o Porto de Santos, e de Trem de Santos até a então hospedaria de Imigrantes.

 Após o fechamento do Memorial do Imigrante, a ABPF ficaria sem local de acesso ao público, para dar continuidade à operação do Trem Cultural dos Imigrantes.
Entretanto graças a uma parceria firmada com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), foi possível a ABPF/SP implantar ao lado das Oficinas de Roosevelt a PARADA PROVISÓRIA RUA VISCONDE DE PARNAÍBA. De forma a manter a operação da Maria Fumaça, mantendo o acesso NA MESMA RUA DO MEMORIAL DO IMIGRANTE.
 Porem, a CPTM cedeu somente o espaço para a implantação da Parada do Trem Maria Fumaça. Mas coube a ABPF/SP arcar com todos os custos da construção desta. 

 Com o fechamento do Memorial do Imigrante em agosto de 2010, a ABPF/SP teve de manter a Maria Fumaça parada por dois finais de semana na época, para que fosse possível construir o novo local de acesso aos passeios deste Trem. Isto, somado às inúmeras reportagens veiculadas nos meios de comunicação mencionando que o Memorial havia fechado, afastou o público que comparecia aos finais de semana. Que por conseqüência, resultou na queda de recursos financeiros para a ABPF/SP manter suas atividades no bairro paulistano da Mooca.

 Mesmo assim, com o apoio dos membros desta entidade que aos finais de semana dedicam parte de suas horas livres com trabalho voluntário, mais o apoio de doações feitas por alguns parceiros, foi possível a ABPF/SP manter a operação do Trem Cultural dos Imigrantes.
 À medida que são conseguidos os recursos, a entidade vai melhorando o local da Nova Parada da Maria Fumaça.
 Assim que foi implantada esta nova parada, a entidade conseguiu construir a pequena plataforma de embarque e o espaço receptivo onde está a Bilheteria, com recursos próprios. Mas faltava dinheiro, para a construção de dois sanitários para uso dos visitantes, bem como uma cobertura anexa ao espaço da Plataforma de Embarque.

 Algumas doações foram feitas, por pessoas que conhecem o trabalho desta entidade pela preservação da história da ferrovia;

 - De um grande parceiro que pede para não ser identificado, o qual nós respeitamos a sua vontade, foi feita uma doação no valor de R$3.000, oo (Três Mil Reais). Recurso este que foi usado na compra do material empregado na implantação dos dois sanitários, que se encontra em fase final de construção.
 A mão de obra empregada na construção destes sanitários foi dos próprios colaboradores da ABPF/SP.

Do senhor Marcos Luiz Nunes, veio à doação das telhas para cobrir o espaço anexo a plataforma de embarque. Diga-se de passagem,  0 Sr. Marcos Luiz Nunes é um trabalhador autônomo que atua no ramo de estruturas metálicas para galpões e mezaninos. Alem de fazer a doação das telhas, o próprio Sr. Marcos fez questão de ele mesmo executar a instalação das mesmas.

 Graças à soma destes esforços,  está sendo possível esta entidade dar continuidade a operação da Maria Fumaça. Afinal de contas, Maria Fumaça foi feita para andar e apitar. E não para ficar parada.
 Através deste passeio, as novas gerações conhecem um pouco da história do Trem e Ferrovia, que desde a época do café e vinda dos imigrantes, é uma das principais alavancas para o desenvolvimento.

 Lembramos que o Trem Cultural dos Imigrantes opera aos Sábados, Domingos e Feriados nesta Parada Rua Visconde de Parnaíba – 1253 (700 metros da Estação Bresser – Mooca do Metrô), das 10h às 16h. 
 A Maria Fumaça parte a cada hora em média e cada passeio dura vinte e cinco minutos.

 ABPF – Regional São Paulo

 

19/05/2011

“TREM DOS IMIGRANTES – MARIA FUMAÇA NO ANTENA PAULISTA”

 No ultimo Domingo (15 de Maio de 2011), foi exibida uma matéria sobre o trabalho desenvolvido pela ABPF (Regional São Paulo) no bairro paulistano da Mooca, no programa da TV Globo São Paulo - Antena Paulista.

*LINK DA MATÉRIA NA INTERNET:

Antela Paulista

 A reportagem havia sido gravada no último dia 30 de Abril (DIA DO FERROVIÁRIO), por uma equipe do telejornal local (SP–TV), composta pela repórter Daiana Garbin. E tinha a previsão ser exibida no próprio dia 30, na 2º edição deste jornal, que vai ao AR diariamente por volta das 19h.
 Porem como um dia depois da gravação desta reportagem seria o dia 1º de Maio (DIA DO TRABALHO), foram exibidas matérias a respeito de eventos alusivos a esta data comemorativa do trabalhador. Ficando a matéria sobre a ABPF/SP a ser exibida em outra data. Mas a mesma acabou por ser veiculada no Antena Paulista, que vai ao AR na Globo São Paulo todos os Domingos pela manhã.

 A repercussão desta reportagem foi constatada no próprio Domingo (15 de Maio), visto que uma parcela das pessoas que assistiram a matéria pela TV por volta das 07h da manhã, já estavam presentes na Parada Rua Visconde de Parnaíba (Trem dos Imigrantes – Maria Fumaça), logo após as 10h.

 Mais que a divulgação do passeio do Trem Cultural, a reportagem foi positiva no intuito de sensibilizar as pessoas, que tomaram conhecimento da ATUAL REALIDADE DA REGIONAL SÃO PAULO DA ABPF NA CAPITAL, COM ACERVO DE CERCA DE (30) TRINTA TRENS ANTIGOS, que no passado circulavam pelas diversas ferrovias da manha paulista.
 São exemplares de Locomotivas, Carros de Passageiros e Vagões de Cargas, de diversas épocas e ferrovias do estado de São Paulo.

“A ABPF (REGIONAL SÃO PAULO) ATUALMENTE NÃO CONTA COM QUALQUER APOIO OU AJUDA FINANCEIRA POR PARTE DO GOVERNO, SEJA MUNICIPAL, ESTADUAL OU FEDERAL PARA PROMOVER AS ATIVIDADES DE PRESERVAÇÃO NO BAIRRO PAULISTANO DA MOOCA, BEM COMO NO MUSEU FERROVIÁRIO DE PARANAPIACABA (ALTO DA SERRA) DISTRÍTO DE SANTO ANDRÉ.
 ATUALMENTE TODOS OS CUSTOS DESTA ENTIDADE, SEJA NA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES NA MOOCA, OU DO MUSEU FERROVIÁRIO DE PARANAPIACABA, BEM COMO OS CUSTOS DE PRESERVAÇÃO DO ACERVO, SÃO PAGOS A MEDIDA DO POSSIVEL PELA PRÓPRIA ENTIDADE. QUE CONTA SOMENTE COM A BOA VONTADE DOS MEMBROS DESTA, QUE EM SUAS HORAS LÍVRES CONTRIBUEM COM TRABALHO VOLUNTÁRIO, POR VEZES COLOCANDO RECUR$O$ DO PRÓPRIO BOL$O, PARA DAR ANDAMENTO NAS ATIVIDADES.”

 Alguns poucos, mas valorosos parceiros, contribuem com doações, a exemplo da lenha utilizada como combustível para o funcionamento das Marias Fumaças. E alguns matériais utilizados nos serviços de manutenção.
 Mas a maior parte do custo desta entidade, atualmente é pago somente com a baixa arrecadação dos Bilhetes adquiridos aos finais de semana pelos visitantes.

 No núcleo da Mooca, a situação vem sendo agravada desde agosto de 2010, quando a Secretaria de Estado da Cultura fechou o Memorial do Imigrante (Antiga Hospedaria de Imigrantes) para reforma.
 A ABPF-SP mantinha uma parceria desde 1998 com este Museu, que era o NÚCLEO HISTÓRICO DOS TRANSPORTES DO MEMORIAL DO IMIGRANTE. Núcleo este que contemplava além do próprio passeio de Trem Cultural Maria Fumaça, também a  estação da antiga hospedaria, onde a ABPF-SP mantinha a exposição com expressivo acervo de peças e materiais antigos das ferrovias. E também o BONDE DOS IMIGRANTES, que ficava em exposição junto a portaria do Museu e aos Domingos circulava pelos trilhos da Rua Visconde de Parnaíba. BONDE este que após o fechamento do Memorial do Imigrante foi cedido em comodato pela ABPF para a cidade de Santos, motivos que constam em matéria divulgada anteriormente, que pode ser conferida neste link; Bonde

 Após o fechamento do Memorial do Imigrante para reforma, a ABPF (Regional São Paulo) apresentou projeto junto a Secretaria da Cultura, visando meios de  revitalizar o seu acervo e espaço na Mooca, que resgata uma parcela da história das ferrovias paulistas, que foram a alavanca do desenvolvimento do estado de São Paulo, desde a época do auge da cultura do café.
 O projeto já foi entregue, mas até o momento não há nenhuma definição a respeito.

 Agradecemos a TV Globo (São Paulo) pelo apoio a esta entidade, na divulgação através da matéria veiculada no Antena Paulista!

 Ressaltamos que o Trem Cultural dos Imigrantes opera aos Sábados, Domingos e Feriados, entre às 10h30 e 16h na Parada Rua Visconde de Parnaíba – 1253, que fica a 700 metros da Estação Bresser – Mooca do Metrô.
 A Maria Fumaça parte a cada hora em média. Cada passeio dura (25) vinte e cinco minutos aproximadamente.

 ABPF – Regional São Paulo  

 

18/05/2011

“III ENCONTRO DE FERREOMODELISMO – SERRA VERDE EXPRESS”

  No último dia 30 de Abril, foi realizado o Encontro de Ferreomodelismo na Estação Ferroviária de Curitiba no Paraná.
 Esta foi a terceira edição deste evento realizado pela Serra Verde Express, que opera o Trem de Passageiros Turístico Curitiba / Morretes / Paranaguá. 

 Este evento foi realizado na mesma data em que se comemora do DIA DO FERROVIÁRIO – 30 DE ABRIL, por conta da inauguração da 1º Ferrovia do Brasil em 30 de Abril de 1854.
 O evento contou a participação de alguns membros da ABPF, dentre os quais destacamos o Sr. Joel Gomes Pires (sócio – voluntário) da ABPF – Regional São Paulo, que alem de participar do concurso de ferreomodelismo com um de seus modelos de miniaturas de Trem, também representou os demais membros desta regional, marcando a nossa presença.

 O Sr Joel confeccionou em miniatura, uma réplica dos Vagões Prancha que no passado eram empregados no transporte de toras de madeira pela Rede Viação Paraná Santa Catarina – RVPSC.
 Modelo com o qual o Sr Joel ganhou o 3º Lugar de classificação neste concurso, na categoria Vagões.
 
 Agradecemos ao Sr Joel Gomes Pires por marcar a presença da nossa entidade neste evento, bem como a todos os demais membros presentes.
 Parabenizamos a Serra Verde Express e demais parceiros pela realização!

 ABPF – Regional São Paulo

 

12/05/2011

PROJETO TREM É TURISMO

No último dia 27 do mês de abril foi realizada a 2ª Oficina do projeto TREM É TURISMO, mais um evento do SEBRAE e ABOTTC. Esta oficina teve como tema “Qualidade no Atendimento”, onde atendeu diversos empreendedores de vários ramos de atividade abordando assuntos importantes para a boa qualidade e visando não apenas fidelizar o cliente, mas agregar valor a cada estabelecimento.
Após o término da oficina e no dia seguinte (28/04) foram realizadas algumas consultorias atendendo grande parte dos empreendedores participantes, auxiliando estes de acordo com as necessidades e dúvidas apresentadas. Uma das principais idéias é criar uma identidade local. A Vila de Paranapiacaba é uma Vila Inglesa. Criada pelos ingleses na construção da primeira ferrovia do Estado de São Paulo (SPR – São Paulo Railway) abrigou trabalhadores de diversas nacionalidades e principalmente diversas regiões do país. Atualmente a vila possui cultura diversificada, entretanto por possuir características físicas e climáticas idênticas a Inglaterra, é um lugar único e diferenciado. Deve ser um local de impacto ao turista.
O interesse não é alterar as atividades e cultura já estabelecidas, mas agregar uma identidade inglesa devido às características citadas aos trabalhos de cada empreendimento.
O turista que procura a Vila de Paranapiacaba pretende encontrar um diferencial, muito além do visível, deseja encontrar algo inesquecível e único.


Este projeto deverá não somente melhorar os trabalhos dos trens turísticos culturais nacionais a partir da divulgação dos mesmos, mas principalmente colaborar com os empreendedores locais. O interesse deverá ser de todos os envolvidos, pois estes serão os beneficiados.
A próxima oficina já tem data marcada e será divulgada brevemente.
A ABPF-SP, SEBRAE e ABOTTC agradecem a participação dos empreendedores, órgãos e representantes que compareceram ao evento citado e conta com a presença de todos para as próximas oficinas e atividades a serem realizadas.

Karin Taliuli - Agente Local

 

04/05/2011

“ABPF/SP CELEBRA MAIS UM 30 DE ABRIL - DIA DO FERROVIÁRIO!”

 No último Sábado 30 de Abril de 2011, a Regional São Paulo da ABPF/SP promoveu um pequeno evento no Museu Ferroviário do Funicular em Paranapiacaba (Alto da Serra), distrito de Santo Andre – SP.

 Foi montada uma pequena mostra de miniaturas de Trens em escala HO (FERREOMODELISMO) no salão de exposições de peças do Museu, onde membros da ABPF levaram alguns de seus modelos para expor.
 Nesta data também o membro Eduardo R Valbueno lançou uma literatura em cordel sobre os 40 ANOS da FEPASA – Ferrovia Paulista S/A, se ainda existisse.
 Esta empresa estatal foi criada em 1971 pelo governo paulista, unificando cinco companhias ferroviárias na época; Companhia Paulista de Estradas de Ferro – CPEF, Companhia Mogyana – CM, Estrada de Ferro Araraquara – EFA, Estrada de Ferro Sorocabana – EFS, e Estrada de Ferro São Paulo – Minas.
 A FEPASA foi liquidada em 1998, por conta da privatização da malha ferroviária paulista, época em que foram desativados todos os Trens de Passageiros de Longo Percurso do estado de São Paulo. INFELIZMENTE!

 Neste evento os visitantes do Museu puderam contemplar alguns dos Trens da extinta FEPASA, através dos Trens em Miniaturas que reproduzem ao mais próximo possível os Trens na escala real.
 Agradecemos aos sócios Eduardo Valbueno e Roberto Prete que estiveram na coordenação deste evento, bem como a todos os que colaboraram na sua realização. E principalmente a todas as pessoas que prestigiaram o mesmo.

 AGRADECIMENTO POR EDUARDO VALBUENO;

Agradecimentos somente a todos os que colaboraram e participaram diretamente e indiretamente com o evento do dia do ferroviário (sábado dia 30 de abril de 2011) em Paranapiacaba, Santo André: Representantes da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) Anderson Conte, Leonardo Ramos, Eduardo Valbueno (que comandou o evento), Roberto Prete, Sidney, Clécio, Cida, Ana e seu filho, a visita do professor Paulo da SBF (Sociedade Brasileira de Ferreomodelismo), a atenção de Valdeck de Garanhuns (Grande poeta) e Regina e principalmente dos trens da Frateschi com seu destaque principal na exposição (coleção de Eduardo Valbueno, Leonardo Ramos e Roberto Prete).
     Durante esse evento ocorrido dentro do Museu da SPR, teve o lançamento em Literatura de Cordel sobre os "40 anos da FEPASA" de autoria de Eduardo Valbueno, (as vendas foram ótimas), centenas de pessoas entre turistas, estudantes, moradores da região, curiosos e ferroviários estiveram presentes. O evento foi concluido com sucesso e ... missão cumprida.
     Agradecimentos também pelo incentivo dos amigos da "Cordeiro's Robby Shop", "Giltec Modelismo" e "Rio Grande Modelismo".
     Viva os 157 anos de ferrovia no Brasil.
     "Meios de transporte eficientes são essenciais para desenvolver a economia de um país."

ABPF – Regional São Paulo

 

26/04/2011

“30 DE ABRIL DE 2011 (157 ANOS DE FERROVIAS NO BRASIL) DIA DO FERROVIÁRIO!”

 

Paranapiacaba em 1986 - Acervo: (Vanderlei A. Zago)

No próximo dia 30 de Abril, estaremos completando 157 anos de ferrovias no Brasil, visto que a primeira ferrovia do país foi inaugurada em 30 de Abril de 1854.
 Irineu Evangelista de Souza inaugurou a primeira ferrovia do Brasil, ligando o porto de Mauá, no fundo da baía de Guanabara, a Fragoso, estação situada a cerca de 14 km. E ali rodou a Baroneza, a primeira Locomotiva a percorrer uma linha no Brasil.
 A E. F. Mauá foi estendida em 1856 até Raiz da Serra e dali pretendia subir a Serra de Petrópolis para alcançar essa cidade, fato que ocorreu apenas 30 anos mais tarde.
 Por conta disso, todo dia 30 DE ABRIL É COMEMORADO O DIA DO FERROVIÁRIO, em homenagem a estes profissionais que nos diversos setores e funções nas ferrovias brasileiras exercem seus ofícios.

 Para celebrarmos esta data, a ABPF – Regional São Paulo com o apoio do Sócio Eduardo Valbueno, estará promovendo um pequeno evento no próximo dia 30 de Abril de 2011, no Museu Ferroviário de Paranapiacaba no Alto da Serra (Distrito de Santo André), com exposição de ferreomodelismo (miniaturas de trens), fotos e literatura de cordel, com o lançamento em Literatura de Cordel de Eduardo Valbueno sobre os 40 anos da FEPASA – Ferrovia Paulista S/A, se esta ainda existisse hoje.
 Esta estatal foi fundada em 1971 pelo Governo Paulista, sendo liquidada pelo mesmo em 1998.
 Na época de sua fundação, a FEPASA era o resultado da fusão de cinco companhias ferroviárias do estado de São Paulo;
 “Estrada de Ferro Araraquara – EFA, Companhia Mogyana de Estrada de Ferro – CM, Companhia Paulista de Estradas de Ferro – CPEF, Estrada de Ferro Sorocabana – EFS e Estrada de Ferro São Paulo e Minas.”

DIA 30 DE ABRIL DE 2011 ENTRE ÀS 11h E 16h, NO MUSEU FERROVIÁRIO DO FUNICULAR EM PARANAPIACABA, SANTO ANDRÉ - SP.

 Lembramos que o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça do bairro paulistano da Mooca também estará operando no dia 30 de Abril bem como no Feriado - 01 de Maio, seguindo a programação normal de operação deste Trem que opera sempre aos Sábados, Domingos e Feriados das 10h às 16h.

 Realização: Eduardo Valbueno.

 Apoio: ABPF (Regional São Paulo)

17/03/2011

“ASHCROFT - WILLY INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE RESTAURA RELÓGIOS E MANÔMETROS DE LOCOMOTIVAS GRACIOSAMENTE, COMO FORMA DE DOAÇÃO!”

 A empresa Willy Instrumentos de Medição e Controle LTDA (ASHCROFT) realiza a recuperação e restauro de antigos relógios e manômetros de Locomotivas à Vapor, na forma de colaboração com a Regional São Paulo da ABPF.

Esta iniciativa deu-se através do Sr. Elio T. Fukushima (Gerente Técnico da Willy), que em certa ocasião esteve em visita com sua família ao Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça, quando este ainda operava na estação do Memorial do Imigrante.
 Durante a visita e passeio de Trem, o Sr. Elio tomou conhecimento do trabalho realizado pela Regional São Paulo da ABPF na preservação da história do Trem.
 Ao final da viagem, o Sr. Elio abordou este que descreve esta matéria (Chefe de Trem – Anderson) para elogiar o trabalho realizado pela entidade. E repassou um cartão de sua empresa, mencionando que esta atuava com instrumentos de medição e controle.
 Já na plataforma da estação, o Sr Elio apontou em direção aos relógios da Locomotiva à Vapor EFCB – 05 e comentou que se fosse preciso, colocava a empresa a disposição para fazer manutenção destes equipamentos. www.ashcroft.com.br

 Algum tempo depois foram feitos novos contatos com o Sr Elio. Sendo enviado então a sua empresa um lote com algumas peças para os serviços de reparos. Peças estas que foram graciosamente restauradas, na forma de doação para a nossa entidade.

 Esteve em visita a Willy o Sr Sidnei Gonçalves (Diretor Financeiro da ABPF/SP), que foi retirar os manômetros já restaurados. Recepcionado pelo Sr Elio, este aproveitou a ocasião e apresentou as instalações da empresa.
Agradecemos a Willy Instrumentos de Medição e Controle na pessoa do Sr Elio, por esta valorosa contribuição. Estes relógios e manômetros agora estão em faces de funcionamento e virão a equipar as Locomotivas da entidade, quando for necessária a instalação ou substituição destas peças, que hoje são uma raridade pela época em que foram fabricadas.
 Se hoje encontrar estes equipamentos antigos no mercado é difícil, quanto mais executar a manutenção dos mesmos. Esta doação que foi concedida a ABPF/SP pela Willy Instrumentação de Medição e Controle LTDA é de valor inestimável!

Ao Sr Elio T. Fukushima o nosso agradecimento!

ABPF – Regional São Paulo

16/03/2011

ABPF CEDE O BONDE Nº 38 DE 1912 PARA A CIDADE DE SANTOS.

  O Bonde 38 fabricado pela inglesa Hurst Nelson em 1912 para compor na época a frota de bondes de Santos, voltara a operar novamente naquela cidade.
  Ele pertence ao acervo da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – ABPF (Regional São Paulo), onde desde 1998 operava em caráter histórico cultural aos finais de semana e feriados, pelos trilhos da Rua Visconde de Parnaíba, entre o Memorial do Imigrante (Antiga Hospedaria dos Imigrantes) e a Estação Bresser Mooca do Metrô, resgatando a história deste meio de transporte coletivo urbano dos tempos da São Paulo da garoa.
  Entretanto a questão de (02) dois anos, foi mudada a mão de direção da Rua Visconde de Parnaíba no trecho entre a estação Bresser do Metrô e a Rua Almirante Brasil. O que antes era mão para descer sentido Memorial do Imigrante, após a inversão ficou sentido único para a estação Bresser. Fato este que fez com que Pontos de Ônibus que antes eram fixos na calçada do Metrô, fossem remanejados para o lado oposto dessa rua. Fazendo justamente que o trecho onde os Trilhos do Bonde aproximam-se ao meio fio para a parada de embarque ou desembarque dos passageiros ficasse interditado. Alem disso, o Bonde teria que retornar no contra  fluxo da Rua ao Memorial do Imigrante, podendo ocasionar sérios acidentes com veículos que trafegam no sentido oposto neste trecho da Rua Visconde de Parnaíba.

  Na época em que foi invertida a mão de direção deste trecho, a ABPF/SP efetuou contatos com a Sub – Prefeitura da Mooca e com a CET, no intuito de que fosse implantada a sinalização de alerta aos motoristas sobre a circulação do Bonde. Bem como para o remanejando dos Pontos de Ônibus do trecho onde antes era a Parada do Bonde nas proximidades da Estação Bresser do Metrô.
  Infelizmente, INFRUTÍFERAS foram estas tratativas. O que veio impossibilitar a circulação do Bonde 38 com segurança pelos trilhos da Rua Visconde de Parnaíba, resultando na paralisação de suas operações.

Desde então, o Bonde 38 passou a ficar estacionado em definitivo a frente da Portaria do Memorial do Imigrante, sofrendo com a ação do tempo por ficar parado à céu aberto. Situação agravada com o fechamento do Memorial para obras em Agosto de 2010, onde moradores de rua passaram a usar o Bonde como abrigo. Alem de furtos de peças deste veículo que ocorrerem depois do fechamento deste Museu.

 Visando a preservação deste veículo histórico quase centenário, a ABPF e a Prefeitura de Santos firmaram uma parceria, onde a ABPF cede EM COMODATO o Bonde 38 para esta cidade.
 Santos vem atuando nos últimos anos na revitalização do seu centro histórico, onde desenvolve um trabalho magnífico na restauração do seu antigo sistema de Bondes, que agora opera em caráter histórico cultural.
 O Bonde 38 de 1912 que no passado pertencia ao sistema de transporte coletivo urbano daquela cidade, em breve voltara a operar na mesma para resgatar mais esta parcela de sua história.

 Ressaltamos que a paralisação da operação e translado do Bonde – 38 para a cidade de Santos não interfere na operação do TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – MARIA FUMAÇA, que continua operando normalmente aos Sábados, Domingos e Feriados entre as 10h e 16h. Partindo a cada hora em média conforme a demanda de visitantes.
 A única alteração na operação deste passeio, é que o embarque deste Trem que anteriormente era feito na Estação do Memorial do Imigrante, agora é feita pela Parada Provisória Rua Visconde de Parnaíba – 1253, que fica pouco a frente da portaria do Memorial, à cerca de 700 metros do Metrô Bresser Mooca.

 Por tanto venham passear de Trem Maria Fumaça e tragam suas famílias!

ABPF – Regional São Paulo

03/02/2011


PROCURANDO UM PROGRAMA CULTURAL PARA O PRÓXIMO FINAL DE SEMANA?

QUE TAL UM PASSEIO DE TREM MARIA FUMAÇA!

* No bairro da Mooca, os passeios ocorrem entre as 10h30 e 16h, com saídas a cada hora em média conforme a demanda de visitantes.
 O Trem percorre o desvio da estação da Antiga Hospedaria dos Imigrantes, entre as proximidades da Estação da Mooca, e entrada da Estação Brás.
 O embarque (saída e chegada) é pela Parada da Rua Visconde de Parnaíba 1253, à cerca de 600 metros do Metrô Bresser Mooca.

“Durante o trajeto o Trem passa por um pátio ferroviário, onde se encontram diversos exemplares de outros Trens Antigos que aguardam pelos trabalhos de restauro e recuperação, com monitor á bordo que conta uma parcela da história da ferrovia.”

CONTRIBUIÇÃO PARA CUSTOS DE MANUTENÇÃO:
- R$ 6,00 (Seis reais) por visitante, apenas crianças de colo até 5 anos de idade, não pagam o bilhete do trem.

* Na Antiga Vila Ferroviária de Paranapiacaba, também ocorrem pequenos passeios de Maria Fumaça.
Pelo pátio ferroviário do Alto da Serra entre as 11h e 16h, a cada hora em média, a Locomotiva à Vapor de 1867

(A MAIS ANTIGA HOJE NO BRASIL EM FACES DE TRAÇÃO), puxa um Carro de Passageiro de 1914, com monitor a bordo que conta um pouco da história da ferrovia.
O passeio tem a duração de aproximados Vinte Minutos. 

CONTRIBUIÇÃO PARA CUSTOS DE MANUTENÇÃO:
 - R$ 5,00 Carro de Passageiros Madeira 1914 (Bancos Duplos)“Apenas Crianças de colo até 06 Anos não pagam o Bilhete do Trem!”

A ABPF É UMA ENTIDADE NÃO GOVERNAMENTAL.
A SUA VISITA NOS AJUDA A MANTER VIVA A HISTÓRIA DO TREM!

ABPF – Regional São Paulo

20/10/2010

ABPF SP Adere ao Projeto – TREM É TURISMO

A realização de uma parceria entre a ABOTTC (Associação Brasileira de Operadoras de Trens Turísticos Culturais) e o SEBRAE visa disseminar dentro dos roteiros turísticos nacionais os trens desta categoria em atividade no Brasil.
A adesão se deu por 24 trens, entre estes os trens operados pela ABPF SP, ou seja, o Trem do Imigrante – localizado no bairro da Mooca na capital do Estado de São Paulo e o Trem dos Ingleses – localizado na Vl. de Paranapiacaba, distrito de Santo André/SP. Nas datas de 26 e 27 do mês de Agosto do ano vigente foi realizada a capacitação dos agentes locais na cidade do Rio de Janeiro para as atividades em prol ao projeto, foram encaminhados para tal os sócios/voluntários André Galdino e Karin Taliuli, estes responsáveis pelas ações desta regional.

A capacitação realizada tornou os agentes locais os elementos de ligação entre o projeto, o operador do trem turístico e os empreendimentos do entorno. Destes dependerá o bom andamento das atividades desenvolvidas, cronograma e aplicação das ações concebidas.
Além da capacitação teórica, houve uma visita técnica ao Trem Turístico Cultural do Corcovado, criando integração entre os agentes locais e visualização da prática das necessidades dos trabalhos a serem realizados.

Em andamento as atividades do projeto, na data de 20/10 foi realizada a primeira oficina de DIRECIONAMENTO ESTRATÉGICO, esta ocorreu no Clube Lyra Serrano na Histórica Vila Ferroviária de Paranapiacaba.
A Oficina contou com 20 participantes entre agentes locais, SEBRAE e Prefeitura de Santo André e empreendedores do entorno das atividades do Trem Turístico Cultural.

A partir desta primeira oficina serão traçados os próximos passos para que possam ser alcançados os desejos do projeto e que dentro do prazo possamos realizar todas as atividades que forem sugeridas e solicitadas.
O relatório já foi recebido e em breve todos os participantes receberão seus certificados e a cópia do relatório para conhecimento.

A ABPF-SP e seus agentes locais agradecem a participação de todos.

 

20/10/2010

"20 DE OUTUBRO DIA DO MAQUINISTA!"

dia do ferroviário

DIA DO MAQUINISTA FERROVIÁRIO É CELEBRADO EM 20 DE OUTUBRO

 
   

CPTM conta com 1.200 profissionais, responsáveis por operar uma frota de 142 trens

Desde os tempos da "Maria Fumaça", a figura do maquinista povoa a imaginação de crianças e adultos. Os apaixonados por trens consideram esta a melhor profissão do mundo e não escondem a vontade de viajar na cabine de um trem para sentir a real magia de conduzir uma locomotiva. Os profissionais que têm esse privilégio são lembrados no dia 20 de outubro, Dia do Maquinista Ferroviário.

A CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] conta com cerca de 1.200 maquinistas, que comandam uma frota de 142 trens e estão distribuídos em seis linhas. Eles são os responsáveis pelo transporte diário de mais de 2,2 milhões de pessoas e têm a tarefa de conduzir o trem com segurança e dentro do horário previsto, nas quase 2.300 viagens realizadas todos os dias. "Os maquinistas são o coração da ferrovia e os responsáveis pelo controle dos trens e a segurança dos usuários. Esses profissionais são um orgulho para a CPTM", declara o presidente da Companhia, Sérgio Avelleda.

Entre as principais atribuições do maquinista estão o controle de velocidade do trem, a abertura e o fechamento de portas, a comunicação com os passageiros e com o CCO [Centro de Controle Operacional] e a constatação de falhas ou avarias do equipamento. O maquinista também é responsável por realizar testes e manobras, atuar no controle de tráfego e elaborar relatórios das viagens realizadas.

Fonte CPTM; www.cptm.sp.gov.br

"Na nossa ABPF tanto a função Maquinista, bem como as demais funções que envolvem TODA a operação de um Trem, são executadas pelos membros desta entidade, que principalmente aos finais de semana e feriados se privam de suas horas livres, deixando de lado seus compromissos pessoais e até mesmo as suas famílias, para dedicar a entidade este tempo, pelo prazer que sentem em estar atuando junto a Ferrovia, levando os nossos visitantes literalmente a uma viagem ao passado. 
 Se na CPTM e demais operadoras Ferroviárias os profissionais remunerados são os responsáveis pela operação do sistema, na ABPF são os membros desta entidade que com carinho e dedicação fazem a coisa acontecer.
 Sem a dedicação destes membros não seria possível hoje uma antiga Maria Fumaça apitando, para contar as novas gerações a história do Trem."  

A TODOS OS MAQUINISTAS OS NOSSOS CUMPRIMENTOS PELO DIA QUE SAUDA ESTA PROFISSÃO, 20 DE OUTUBRO!
AOS MEMBROS DA ABPF O RECONHECIMENTO PELO CARINHO E DEDICAÇÃO!

Saudações Ferroviárias!
Anderson Alves Conte
CONTATO - ABPF/SP

30/07/2010

MEMORIAL DO IMIGRANTE FECHA PARA ÓBRAS DE RESTAURO.
MAS O TREM CULTURAL – MARIA FUMAÇA DA ABPF
 CONTINUA OPERANDO NORMALMENTE AOS SÁBADOS, DOMINGOS E FERIADOS!

Inaugurado no dia 05 de Abril de 1998, o Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça é operado e mantido desde então pela Regional São Paulo da ABPF – Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, detentora do material rodante histórico ferroviário (Carros de Passageiros, Vagões, Locomotivas, e Bonde).
Em parceria com o Memorial do Imigrante, a ABPF mantem o Núcleo Histórico dos Transportes, que contempla a operação do Trem Cultural dos Imigrantes, Bonde dos Imigrantes, e o espaço expositivo das dependências da estação ferroviária da Antiga Hospedaria dos Imigrantes, com peças e acervo que remetem à história da ferrovia, bem como da chegada dos imigrantes no passado na então Hospedaria dos Imigrantes.
 Nesta parceria, o Memorial do Imigrante cede à ABPF o uso do espaço das dependências da antiga estação ferroviária, para a exposição sobre a história do transporte ferroviário, e a operação do Trem Cultural. Entretanto, está previsto o fechamento do Memorial do Imigrante para visitação pública, a partir do próximo dia 02 de Agosto, por conta das obras do restauro e requalificação do complexo do museu.
Por conta do fechamento do museu para obras, foi solicitada a ABPF a devolução dos espaços da estação ferroviária. Por tanto, a nossa entidade estará operando o Trem Cultural Maria Fumaça no museu somente até o próximo final de semana, (Sábado 31 de Julho, e Domingo 01 de Agosto).
E aí vem automaticamente dúvida;


O TREM MARIA FUMAÇA VAI ENCERRAR SUAS OPERAÇÕES?
CLARO QUE NÃO!

Com o apoio da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, a ABPF já está implantado um novo acesso para o passeio cultural da Maria Fumaça.
Junto as Antigas Oficinas de Roosevelt da extinta Estrada de Ferro Central do Brasil – EFCB, atual oficina de reforma e manutenção de Trens da CPTM, a ABPF já está construindo uma PROVISÓRIA PARADA, para continuar operando normalmente a Maria Fumaça.
O acesso a esta Nova Parada do Trem da-se pela Rua Visconde de Parnaíba – 1253, em frente ao Memorial do Imigrante (600 metros da estação Bresser Mooca do Metrô).
A previsão de estarmos operando por este novo acesso a partir dos dias 21 e 22 de Agosto. Sendo que nos dois finais de semana dos dias 07, 08, 14 e 15 de Agosto , não estaremos operando o Trem Cultural dos Imigrantes, para que seja possível executar a adequação da Nova Parada de Trens. Ressaltamos que maiores informações a respeito do restauro do complexo do Memorial do Imigrante, devem ser consultadas junto a Secretaria do Estado da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo.

Agradecemos a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, pelo apoio ao novo acesso!
A ABPF é uma entidade não governamental. A sua visita nos ajuda a manter viva a história do Trem!
Venha fazer o passeio de Maria Fumaça, e traga a família!  

ABPF – Regional São Paulo

09/07/2010

PROCURANDO UM PROGRAMA PARA O PRÓXIMO FERIADO 09 DE JULHO?

VENHA PASSEAR NO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES – MARIA FUMAÇA, E VEJA A EXPOSIÇÃO DE VEÍCULOS MILITARES ANTIGOS!

 SABIA VOCÊ que alem de transportar cargas e passageiros pelas ferrovias, os Trens também foram utilizados em missões especiais?

 

(FOTO DO TREM BLINDADO REVOLUÇÃO DE 1932 – Livro “Trem Blindado” de Fernando Penteado Medici)

 
Neste próximo 09 de   Julho, a Revolução Constitucionalista de 1932 completará 78 anos!   “Muitos relembram com orgulho, os três meses em que os paulistas se   rebelaram contra o governo de Getúlio Vargas”.      
 

 

(FOTO DA TRINCHEIRA DE REVOLUÇÃO DE 1932 - Acervo Laire Jorge Giraud - Site Novo Milénio)

 Neste episódio, a ferrovia foi testemunha dos combates entre as tropas. Estações serviram como base, a exemplo da Estação de Coronel Fulgêncio, no Ramal de Cruzeiro a Juréia da Rede Mineira de Viação – RMV. 

(FOTO DA ESTAÇÃO DE CORONEL FULGÊNCIO - ANTIGA TUNEL - Acervo Site Estações Ferroviárias do Brasil)

 Esta estação foi aberta com o nome de Tunnel em 1884, pois ficava logo após este, na divisa dos Estados de São Paulo e Minas. Pouco antes da revolução de 1932, ou mesmo durante esta, seu nome foi alterado para o atual, Coronel Fulgêncio. Teve papel preponderante durante esta revolução devido à sua localização estratégica. O Tenente - Coronel Fulgêncio de Souza Santos, comandante do 7º Batalhão da Força Pública de Minas Gerais durante a Revolução Constitucionalista de 1932, faleceu em combate no então denominado Setor do Túnel, defendendo a cidade de Passa Quatro de ser invadida pelos paulistas. Alem de estações, também foram utilizados Trens para o transporte de soldados, armamentos e suprimentos para as frentes de batalha.

(FOTO DO TREM DOS SOLDADOS PAULISTAS EMBARCANDO NA ESTAÇÃO DA LUZ EM DIREÇÃO ÀS FRONTEIRAS DO ESTADO –
Acervo de Laire Jorge Giraud - Site Novo  Milénio)

   
Como já é do calendário anual de eventos     da Regional São Paulo da ABPF, na próxima sexta feira “FERIADO DE 09 DE     JULHO” alem de estar operando normalmente o Trem Cultural dos Imigrantes     – Maria Fumaça no Memorial do Imigrante, teremos também a Exposição de     Veículos Militares Antigos.                
   

 

(FOTO DA EXPOSIÇÃO DE VEÍCULOS MILITARES ANTIGOS DE 2009 ABPF-SP – Acervo Alessandra Monteiro)

 Após a participação destes Veículos Militares Antigos no tradicional Desfile de Nove de Julho, realizado sempre no período da manhã junto ao Parque do Ibirapuera, onde estes veículos desfilam tendo inclusive a participação de membros da ABPF fazendo alusão ao Trem Blindado da Revolução de 32, estes veículos virão em carreata até a sede desta regional junto ao Memorial do Imigrante, onde permanecerão em exposição ao decorrer deste dia.

(FOTO DA EXPOSIÇÃO DE VEÍCULOS MILITARES ANTIGOS DE 2009 ABPF - SP – Acervo Alessandra Monteiro)

 
 
Esta é mais uma oportunidade para você participar de um evento cultural, que resgata uma parcela da nossa história. Venha nos Visitar!    
 
 
ABPF - Regional São Paulo
                           Acervo Fotos Antigas: Site Estações Ferroviárias do Brasil / Site Novo Milênio
                                    Fotos Exposição Veículos Militares Antigos – 2009: Alessandra Monteiro

24/06/2010

CARRO RESTAURANTE?

" NO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES TEM!”

SABIA VOCÊ, que hoje no estado de São Paulo, Trens de Passageiros em operação comercial regular, existem apenas os Trens Metropolitanos?  Pois é;
 Atualmente, só circulam os Trens Metropolitanos, que fazem o Transporte Coletivo Urbano da Grande São Paulo.
 Mas houve um tempo, em que São Paulo era considerado o estado com os melhores Trens de Passageiros de média e longa distância do Brasil. E dentre os Trens das diversas ferrovias, destacava-se o Trem Azul, ou Trem – R da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro – CP.
 Este, considerado O CHIQUE dos Anos de 1950 / 60, era formado por Luxuosos Carros de Aço, fabricados pela Pullman Standard nos Estados Unidos na década de 1950. Suas composições, disponibilizavam acomodações em Carros de Primeira, e Segunda Classes, e serviços como Carros Dormitórios, e o CARRO RESTAURANTE.
 A ferrovia em São Paulo foi oficialmente inaugurada em 1867, principalmente para o escoamento da produção de Café das fazendas do interior do estado, para exportação a diversos países do mundo através do porto de Santos. Nos tempos de sua implantação, os Trens eram formados por Vagões e Carros de Passageiros de Madeira, tracionados por Locomotivas à Vapor. Mas com o passar do tempo e a modernização dos seus equipamentos, a ferrovia passou a oferecer um serviço de passageiros de média e longa distância, comparável ao serviço oferecido por empresas de aviação, a exemplo do Trem Azul da Paulista, excelência em Transporte Ferroviário de Passageiros nos Anos 50. Época em que seus Carros de Aço voavam sobre os Trilhos do estado, tracionados por potentes e modernas Locomotivas de Tração Elétrica.

“OS CARROS DE AÇO DA PAULISTA, PINTADOS EM AZUL COM FAIXA CREME E FILETES DE PRATA, FAZIAM ALUSÃO AOS AVIÕES DA ÉPOCA”.


 
Viajar de Trem entre a Capital, e cidades do Interior atendidas pelo Trem Azul da Paulista era um luxo!

 Em 1971, o governo do estado de São Paulo unificou as malhas da Companhia Paulista, Companhia Mogiana, Estrada de Ferro Araraquara, Estrada de Ferro Sorocabana, e Estrada de Ferro São Paulo e Minas, em uma única empresa; FEPASA – Ferrovia Paulista S.A.
 Esta estatal manteve Trens de Passageiros de Longo - Percurso dentro do estado até 1998 quando foi liquidada pelo governo, e sua malha repassada a Empresas Concessionárias que desde então, operam apenas o Transporte Ferroviário de Cargas.


 

A ABPF que desde sua fundação, tinha como foco principal à preservação de exemplares de Vagões e Carros de Passageiros de Madeira, e Locomotivas à Vapor, material rodante este que representa o início da ferrovia no Brasil, passou a preservar também Carros de Aço fabricados entre os Anos de 1950 / 60, por conta da desativação dos Trens de Longo Percurso nos Anos 90. Que por conseqüência resultou no abandono e degradação deste material.
 Hoje nos passeios do Trem Cultural dos Imigrantes – Maria Fumaça, realizado sempre aos finais de semana e feriados junto ao Memorial do Imigrante, os visitantes tem a oportunidade de vivenciar a época dos seus antepassados, que vinham ao nosso país, para servir as Lavouras de Café, tendo a opção de embarcar em Carros de Madeira dos idos de 1900. Mas também, podem optar pelo passeio em um Carro Restaurante do Trem Azul da Paulista dos Anos 50, resgatando os áureos tempos dos confortáveis Trens de Passageiros de Viagem.


 Sentado a bordo do Carro Restaurante, alem de assistir a monitoria dada pelo Chefe de Trem, ou seu Auxiliar, o visitante pode consumir refrigerantes, salgados e doces, vendidos neste Carro.

 “O passeio tem uma duração de aproximados vinte e cinco minutos, onde não seria possível servir neste trajeto o Tradicional Filé com Fritas, prato principal da época dos serviços deste carro no Trem Azul. Mas é possível servir opções rápidas de consumo, para que as pessoas possam ter a sensação de comer a bordo do Restaurante de um Trem”.

Portanto venha fazer este passeio, e traga a sua família, para conhecer um pouco da história do Trem!    

 Anderson Alves Conte
 ABPF – Regional São Paulo

13/06/2010

“13 DE JUNHO, DIA DE SANTO ANTÔNIO "

No próximo domingo 13 de Junho, por conta das Festividades Juninas (DIA DE SANTO ANTÔNIO), estaremos abrindo o nosso Pátio Ferroviário, onde estão estacionados diversos exemplares de Trens Antigos (Carros de Passageiros, Vagões e Locomotivas). Quem vier ao Memorial do Imigrante, e realizar o passeio do Trem Cultural dos Imigrantes - Maria Fumaça, ao final do passeio poderá desembarcar do Trem no pátio,  onde teremos a venda de Refrigerantes, Lanches, Salgados
e Doces, alem do tradicional Vinho Quente.
Por tanto venham nos visitar, e traga a sua família! 

ABPF - Regional São Paulo

31/03/2010

"12 ANOS DO TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES"

No próximo dia 05 de Abril de 2010, o Trem Cultural dos Imigrantes - Maria Fumaça vai completar 12 ANOS DE OPERAÇÃO.

Inaugurado junto com a abertura do Memorial do Imigrante, no dia 05 de Abril de 1998, o Trem Cultural dos Imigrantes começou a rodar desde então, sempre aos finais de semana para o público visitante, bem como em dias úteis da semana para grupos de excursões agendadas, com o intuito de resgatar a história da ferrovia, e da chegada dos Imigrantes no passado na então Hospedaria dos Imigrantes, que vinham naquela época oriundos de diversos países para o Brasil, principalmente para trabalhar em fazendas de plantação de café, que em grande parte, se localizavam no interior do estado de São Paulo.

Para comemorar esta data, no primeiro final de semana do mês de Abril, nos dias 03 e 04, alem do tradicional passeio de Trem Maria Fumaça, estaremos também abrindo o nosso pátio ferroviário junto ao Memorial do Imigrante para os passageiros do Trem. Oportunidade esta em que as pessoas poderão ver de perto o acervo de Trens Antigos da Regional São Paulo da ABPF, que aguardam pelos trabalhos de recuperação. Venha nos visitar! Traga a sua Família!

ABPF - Regional São Paulo

03/03/2010

“PASSADO E PRESENTE. APÓS 13 ANOS, VOLTA A PUBLICAÇÃO FERROVIA UNIFICANDO ENTIDADES DO SETOR” 

Este é o título da capa da Edição Nº 159 Março 2010 (Ano 75), do RELANÇAMENTO da Revista Ferrovia; Publicação Oficial da Associação de Engenheiros da Estrada de Ferro Santos à Jundiaí – AEEFSJ.
 A história deste importante veiculo de comunicação da comunidade ferroviária,  começa em dezembro de 1935, com a saída do primeiro número desta, que na época era chamada “NOSSA REVISTA”.  Resultado de um ideal de dois funcionários da Primeira Ferrovia do Estado de São Paulo, a SÃO PAULO RAILWAY COMPANY - SPR; Carlos Faria e Adail Jarbas Duclos.
 A então NOSSA REVISTA, passava a ficar conhecida no meio ferroviário, sendo editada pelo ano de 1936 quando, neste ano, teve o seu nome alterado para REVISTA SPR,  visto que o nome “Nossa Revista” já pertencia à publicação da Estrada de Ferro Sorocabana – EFS.
 A então REVISTA SPR foi ao longo daquele tempo se consolidando, tendo cada vez mais reconhecida a sua importância cultural para a comunidade ferroviária, por testemunhar a história de registros de grandes acontecimentos.  E, ao mesmo tempo, tornando-se um veículo dedicado à divulgação da ferrovia brasileira.
 Em meados da década de 1940, por pressão do DIP – DEPARTAMENTO DE IMPRESNA E PROPAGANDA, a revista teve novamente a sua denominação alterada, para o nome atual FERROVIA. Esta que fora a ultima alteração, coincide com a mudança da concessão da estrada de ferro, que passou o controle dos Ingleses para o Governo Federal.
 Em agosto de 1967, a direção desta revista passou para as mãos da AEEFSJ, entidade que em maio do ano passado “2009” completou 55 ANOS.
 Ao longo dos 75 ANOS de história desta revista,  inúmeras e importantes foram as matérias e artigos veiculados.  Dentre os quais, destacamos a matéria divulgada na página 34, do exemplar ANO 44 Nº 71 MAR/ABR 1980, à respeito da nossa entidade ABPF, oportunidade em que o sócio fundador, IDEALIZADOR desta entidade Patrick Dollinger, delineava a situação daquele momento da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária. “ NOSSA ASSOCIAÇÃO É UMA SOCIEDADE CIVIL, COM CARÁTER CULTURAL E INSTRUTIVO SEM FINS LUCRATIVOS.
 ELA É O FRUTO DA COLABORAÇÃO DE TODAS AS PESSOAS, PREOCUPADAS COM O DESTINO DO NOSSO PATRIMÔNIO FERROVIÁRIO COM VALOR HISTÓRICO.
 SOMOS ATUALMENTE CERCA DE 220 SÓCIOS ORIUNDOS DE TODAS AS CLASSES E ORIGENS. INFELIZMENTE, OS FERROVIÁRIOS SÃO A MINORIA ENTRE NÓS.
 A MÉDIA DE IDADE SEM DÚVIDA BAIXA O QUE MOSTRA A VITALIDADE DE NOSSA ENTIDADE.
 QUEREMOS ANTES DE TUDO TRABALHAR E TER RESULTADOS POSITIVOS. CONOSCO, NÃO EXISTEM INDECISOS, PESSIMISTAS E DERROTADOS, PROVAM NOSSAS REALIZAÇÕES E NOSSOS PROJÉTOS.
 A SEGUIR APENAS CITAREMOS ALGUNS DE AMBOS:
 FINALIDADES DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRESERVAÇÃO FERROVIÁRIA;
  1. AGRUPAR AS PESSOAS QUE GOSTAM DE FERROVIAS E TÊM O ESPIRITO DE PRESERVAÇÃO.
  2. PRESERVAR O MATERIAL FERROVIÁRIO DE VALOR HISTÓRICO – PRINCIPALMENTE LOCOMOTIVAS A VAPOR.
  3. GUARDAR O ACERVO DA ABPF EM LOCAL SEGURO E RESTAURÁ-LO AO SEU ESTADO ORIGINAL, EM OFICÍNA PRÓPRIA COM A COLABORAÇÃO DOS ASSOCIADOS.
  4. EXIBIR AO PÚBLICO O ACERVO, DENTRO DO POSSIVEL EM FUNCIONAMENTO ATRAVÉS DE NOSSO MUSEU DINÂMICO DE JAGUARIUNA.
  5. PROMOVER PESQUISAS CULTURAIS E HISTÓRICAS DE NOSSO PASSADO FERROVIÁRIO”. 
Este é um trecho inicial da matéria referida,  o qual fora FIELMENTE  reproduzido aqui, apenas para ilustrarmos a importância deste consagrado veiculo de comunicação (REVISTA FERROVIA).
   Para nós Regional São Paulo da ABPF, é motivo de orgulho e satisfação, ter de volta a publicação desta revista,  a SEGUNDA MAIS ANTIGA DO BRASIL, depois da revista “O CRUZEIRO”.
 Que nestes 75 anos da Revista Ferrovia, esta se consolide cada vez mais como a vitrine, referência do segmento Ferroviário, e Metroferroviário do Brasil. Na terça-feira (02/03), membros da ABPF/SP “André Torregrossa,  Fábio Nogueira,  e Roberto Prete”, estiveram presentes no evento de relançamento da Revista Ferrovia. A festividade ocorreu na Sala São Paulo – Salão Nobre, em São Paulo, junto a Estação Júlio Prestes (Antiga Sede da Estrada de Ferro Sorocabana – EFS).  Parabéns Revista FERROVIA!
 Saudações a Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Santos à Jundiaí! 
 Site: www.ferrovia.com.br 

Anderson A Conte – ABPF/SP
 Fonte de Pesquisa:  Revista FERROVIA
 (ANO 44 – Nº 71 MAR/ABR 1980, e ANO 75 Nº159 MARÇO 2010)

 

10/02/2010

São Paulo Futebol Clube na
ABPF Regional São Paulo!

Na noite desta segunda-feira, dia 08, o Trem Cultural dos Imigrantes - ABPF mais uma vez foi cenário de evento. Desta vez, o trem foi usado para o lançamento da nova linha de uniformes da Reebok para o São Paulo Futebol Clube.

Após às 20h, a Maria-Fumaça deu entrada na plataforma da Estação da Antiga Hospedaria dos Imigrantes - Memorial do Imigrante, trazendo à bordo do trem modelos e jogadores trajados com a nova linha de uniformes do São Paulo.

Ao comando de voz do Chefe de Trem, os convidados presentes na plataforma da Estação, agora passageiros, embarcaram na composição. E após se acomodarem, foi iniciado o desfíle, que ocorreu dentro dos carros de Primeira e Segunda Classes, com os modelos e jogadores desfilando pelos corredores, a passarela deste evento.

Na Estação do Memorial do Imigrante, operada pela ABPF-SP, foi montada a estrutura para o receptivo deste evento. Estiveram presentes membros da diretoria do São Paulo Futebol Clube, convidados, e a imprensa em geral. Para os sócios do São Paulo, esta foi uma noite de gala, quando puderam apreciar a nova coleção de uniformes, para o deleite destes torcedores.

Para esta Regional, este foi mais um evento, dentre tantos outros, com o objetivo de arrecadar recursos para o custeio das atividades da entidade. A receita da ABPF-SP provém dos bilhetes oferecidos aos visitantes interessados nos passeios de Maria Fumaça no Trem Cultural dos Imigrantes (Memorial do Imigrante), bem com no Museu Ferroviário de Paranapiacaba - Alto da Serra. Outra forma de ampliar esta arrecadação é através da locação dos espaços desta Regional, tanto para locações de imagens quanto para eventos diversos, a exemplo deste do lançamento do São Paulo Futebol Clube.

A ABPF é uma entidade não governamental, e não fosse pela realização destas atividades não haveria como custear os trabalhos de recuperação e manutenção do acervo de trens antigos que resgatam a história de nossas ferrovias.

Agradecemos aos organizadores deste evento pela escolha do nosso cenário como locação! Veja o vídeo neste link.

 

ABPF Regional São Paulo
Fotos Luiz Pires/VIPCOMM e Raphael Bathe


08/02/2010

ABPF e Prefeitura de Santo André
frente a frente...

Na última quarta-feira, dia 03 de fevereiro, membros desta Regional, Carlos Alberto Rollo, diretor adminstrativo, e Anderson A. Conte, sócio colaborador, estiveram em reunião, na Prefeitura Municipal de Santo André, com seus representantes, para buscar uma parceria entre ambas e tentar por fim ao problema da falta de energia elétrica no Museu Ferroviário, situação que já se estende por um ano, motivo que levou ao seu fechamento. Nesta reunião, a Regional São Paulo delineou aos representantes da Prefeitura as dificuldades que enfrenta para manter os custos operacionais e de manutenção do complexo do Museu Ferroviário de Paranapiacaba, visto ser a ABPF uma entidade não governamental que conta apenas com o apoio do quadro dos sócios voluntários e cuja receita para o custeio das atividades de manutenção provém apenas da arrecadação dos bilhetes oferecidos aos interessados na visitação deste espaço histórico. Por fim, os representantes da Prefeitura comprometeram-se a viabilizar o apoio necessário a esta entidade, não apenas para regularizar o fornecimento da energia elétrica, mas também em atividades de manutenção, a exemplo da capina de mato na área que compreende todo o pátio externo do Museu. Aliás, atividade esta que antes já era levada a cabo por esta Prefeitura, através da Sub-Prefeitura de Paranapiacaba, como forma de apoio, mas que nos últimos tempos não era mais executada. Diante deste contato, por hora cabe-nos agradecer aos representantes da administração municipal por esta oportunidade, na pessoa do Sr. Panini, que viabilizou esta reunião. A ABPF continua no aguardo da efetiva realização desta parceria. Ressaltamos que, enquanto não for definitivamente solucionado este problema do fornecimento da energia elétrica no Museu Ferroviário, este permanecerá fechado para a visitação pública. Por enquanto, esta entidade está conseguindo manter os passeios de Maria-Fumaça através de doação de palets de madeira usados, que são quebrados à mão, para a queima na locomotiva. Se fosse necessária a aquisição de lenha que não sejam estes palets, esta teria de ser cortada no tamanho adequado para a queima na locomotiva. Mas para isso, seria preciso que o fornecimento da energia elétrica estivesse restabelecido para o uso da serra elétrica.
Por enquanto a Maria-Fumaça permanece em operação aos finais de semana, para atender ao público visitante desta histórica Vila Ferroviária do Alto da Serra.

 

ABPF Regional São Paulo
Foto Lucas MR


29/01/2010

Museu Fechado

Talvez pouca gente tenha se dado conta, mas esta Regional da ABPF vinha mantendo aberto à visitação pública o Museu Ferroviário de Paranapiacaba, em Santo André, há mais de um ano, sem energia elétrica. Neste periodo o Museu esteve aberto de forma precária, visto que, além de não estar atendendo a contento ao púbico nas suas dependências internas, também não vinha sendo possivel executar de maneira adequada sua manutenção, justamente pela falta da energia. Durante todo este periodo a ABPF Regional São Paulo manteve contato junto à Prefeitura de Santo André, através da Sub-Prefeitura de Paranapiacaba, bem como também com as concessionárias responsáveis pelo fornecimento de energia, no intuito do seu restabelecimento. Entretanto, até o presente, nada foi resolvido.

É preciso que fique claro que a ABPF não é proprietária do Museu. Nem do prédio e nem do terreno. A ABPF é uma associação sem fins lucrativos que tem a concessão para administrar e manter aberto o Museu, e para isso está apta a pagar as contas de luz, por exemplo. Mas a concessionária está exigindo que, para a religação da energia, seja instalado (comprado) um "novo" transformador, o que extrapola a condição da concessão e a nossa capacidade financeira. Não é uma obrigação da ABPF. Diante desta situação, entendemos que não é mais viável mantermos o Museu aberto à visitação pública. Até que seja restabelecido o fornecimento de energia elétrica do Museu serão mantidos apenas os passeios do Trem Histórico Cultural - Maria Fumaça, aos finais de semana, tendo em vista que este trem percorre um trecho do antigo pátio de manobras do funicular, ao lado do Museu, e é tracionado por locomotiva à vapor, que necessita apenas de água e lenha. E o passeio precisa ser mantido também porque é a única fonte de receita para o pagamento dos funcionários e sócios colaboradores e também da manutenção em geral, ainda que prejudicada pela falta de energia elétrica.

Este será o procedimento desta Regional quanto ao Museu Ferroviário de Paranapiacaba, em Santo André, ressaltando-se que esta é uma entidade não governamental que atualmente conta apenas com o apoio de parcerias e do trabalho dos seus sócios voluntários, que, no caso específico do Museu Ferroviário de Paranapiacaba, tem como objetivo manter viva a história da primeira ferrovia do Estado de São Paulo, a The São Paulo Railway Co. - Estrada de Ferro Santos à Jundiaí, responsável, no passado, pelo nascimento da hoje histórica Vila Ferroviária do Alto da Serra, Paranapiacaba.

 

ABPF Regional São Paulo
Fotos André Galdino, ABPF-SP


21/01/2010

25 de janeiro - Aniversários em Sampa!

Matéria Ramal de Jurubatuba, Gazeta de Santo Amaro, anos 60.
Matéria Ramal de Jurubatuba, Gazeta de Santo Amaro, anos 60.

No próximo dia 25 de janeiro a cidade de São Paulo apagará 456 velinhas, comemorando mais um aniversário. Entretanto, poderíamos afirmar que São Paulo tem direito a comemorar duas datas de aniversário: a de sua fundação e a do seu desenvolvimento. Em 16 de fevereiro de 1867 era inaugurada a primeira ferrovia deste Estado, a The São Paulo Railway Co. - Estrada de Ferro Santos a Jundiaí. Sem duvida alguma, o desenvolvimento não só da cidade de São Paulo, mas do Estado como um todo, está marcado entre o antes e o depois da implantação desta ferrovia. E toda vez que alguém se lembra ou faz referência às antigas viagens de trem até Santos, automaticamente traz na memória a Estrada de Ferro Santos a Jundiaí, pela sua importância histórica e pelo papel fundamental que teve no alavancar do progresso no Estado de São Paulo e, como consequência, no Brasil.

Estação Jurubatuba, anos 50. Acervo Coaraci Camargo - Site Estações Ferroviárias do Brasil.
Estação Jurubatuba, anos 50.

Entretanto poucos se lembram da existência de um outro ramal ferroviário, que também propiciava ligação ferroviária entre a capital paulista e o litoral sul: o ramal ferroviário de Jurubatuba. Este ramal de Jurubatuba foi implantado pela Estrada de Ferro Sorocabana nos anos de 1950, sendo inaugurado no dia 25 de janeiro de 1957, no mesmo dia em que se comemora o aniversário de São Paulo, talvez até como um presente para a cidade, na época. A finalidade deste ramal era a de encurtar a distância percorrida pelos trens da Sorocabana entre a capital e o litoral, que antes da sua existência tinham de seguir pela linha tronco da Sorocabana no sentido do interior até Mairinque para então ter acesso à linha Mairinque-Santos.

Estação Evangelista de Souza. Foto Site Estações Ferroviárias do Brasil.
Estação Evangelista de Souza.

Pelo ramal de Jurubatuba, além dos cargueiros com destino ao Porto de Santos, também passavam os trens de passageiros que partiam da Estação Júlio Prestes, no centro da cidade de São Paulo, com destino ao litoral sul - Santos (Estação Ana Costa), São Vicente, Itanhaém e Peruíbe. O ramal de Jurubatuba, a partir de 1971, passou a ser administrado juntamente com toda a malha da E. F. Sorocabana, além de outras ferrovias do Estado, pela Fepasa - Ferrovia Paulista S/A. No final da década de 70, a Fepasa suprimiu o serviço de passageiros pelo ramal de Jurubatuba, que ficou, na época, operacional apenas para cargueiros que continuavam a utilizar esta rota para o porto.

Estação Cidade Dutra, anos 50. Foto Acervo Edson Milani - Site Estações Ferroviárias do Brasil.
Estação Cidade Dutra, anos 50.

Na década de 1980, a Fepasa executou a modernização deste ramal, no trecho entre Presidente Altino, Pinheiros, Santo Amaro e a Estação Jurubatuba, passando a operar a então Linha Sul de Trens Metropolitanos, que, nesta época, passaram a partir da estação de Osasco para o ramal. E não mais da Júlio Prestes, como era na época da Sorocabana. A Fepasa foi liquidada pelo governo na década de noventa. Nesta época foi criada a CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que passou a operar este serviço não só no ramal de Jurubatuba, bem como em toda a Grande São Paulo.

Estação Jurubatuba atual. Foto Acervo CPTM.
Estação Jurubatuba atual.

Hoje o ramal de Jurubatuba está operacional no trecho da atual Linha-9 Esmeralda da CPTM, Osasco a Grajaú, a partir da Estação Ceasa, no inicio deste ramal. Mas o trecho de apenas vinte e cinco quilômetros, entre Grajaú, Varginha, Colônia e Evangelista de Souza, no entroncamento do ramal de Jurubatuba com a linha Mairinque-Santos, está desativado. Uma estratégica ligação ferroviária entre a capital e o litoral sul jaz em estado de abandono.

Estação Cidade Dutra atualmente. Foto Helio Ribeiro.
Estação Cidade Dutra atualmente.

Das antigas estações do ramal de Jurubatuba, hoje só existem duas. A que leva o nome do próprio ramal, "Jurubatuba", que ao longo dos anos passou por diversas modificações para ser hoje mais uma das estações metro-ferroviárias desta linha. E a antiga Estação Cidade Dutra, localizada nas proximidades do Autódromo de Interlagos, que apesar de estar degradada pelo decorrer dos anos e pela falta de manutenção, ainda se mantém nos padrões originais da época da Sorocabana.

Estação Cidade Dutra, anos 60. Foto Acervo Site Estações Ferroviárias do Brasil.
Estação Cidade Dutra, anos 60.

A antiga Estação Cidade Dutra foi desativada no final dos anos 70, quando foram suprimidos os trens de passageiros no ramal. Entretanto, até meados do ano de 2003, nela residia o senhor Manoel Rocha (já falecido), funcionário da Sorocabana, depois Fepasa, que mesmo após ter se aposentado da ferrovia, continuou morando e cuidando da velha estação. E é por este feito que ela existe até hoje. Está localizada ao lado da nova Estação Autódromo da CPTM Estação Cidade Dutra em 2009.
Estação Cidade Dutra em 2009. Muito se fala sobre o destino da velha Estação Cidade Dutra, um marco histórico do ramal de Jurubatuba - museu ferroviário, espaço cultural, base de manutenção da linha... Mas é algo que ainda não foi definido pela CPTM. Esta é mais uma pequena parcela da história desta gigante carinhosamente chamada de Sampa, dentre tantas outras que juntas formam a história dos 456 anos desta metrópole. O ramal de Jurubatuba faz aniversário junto com a nossa querida São Paulo. Parabéns Sampa! Saudações Ferroviárias ao Ramal de Jurubatuba!

 

Texto Anderson Alves Conte, ABPF-SP
Pesquisa Site Estações Ferroviárias do Brasil
Acervo de Fotos Site Estações Ferroviárias do Brasil

05/01/2010

A nova paisagem urbana com a ferrovia...

Foto Fernando Rebelo

A CPTM, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, vem executando, em vários trechos de sua malha, a substituição de muros por gradis. A paisagem cinza do concreto dos muros está dando lugar à leveza, à transparência e ao colorido dos trens e dos canteiros que margeiam as vias férreas. A mudança aproxima a ferrovia das pessoas, reduzindo a segregação urbana, além de tornar mais seguros os acessos e as áreas em torno delas.

Foto Fernando Rebelo

Este é o caso do trecho junto às ruas Palmorino Mônaco e Domingos Paiva, entre o viaduto Alcântara Machado e a Estação Brás, atrás do prédio da antiga fábrica da Alpargatas, hoje ocupado pela Faculdade Anhembi-Morumbi, local em que a ABPF-SP opera o Trem Cultural dos Imigrantes, junto ao Memorial do Imigrante, onde a Maria-Fumaça percorre o desvio da estação da antiga Hospedaria dos Imigrantes, na Mooca. Neste local também fica a sede desta Regional, na antiga casa de engenheiro ferroviário. Aqui também está o pátio onde no passado havia uma pequena vila, alojamento de operários envolvidos na manutenção ferroviária, hoje pátio de recuperação e estacionamento de diversos exemplares de trens antigos oriundos de diversas épocas e ferrovias paulistas, na bitola de 1,60m.

Foto Fernando Rebelo

Este local só era visível para aqueles que passavam à bordo dos trens metropolitanos que atendem à região do ABC ou dos transeuntes sobre o viaduto, na Radial. As pessoas que circulam de carro ou mesmo à pé, do outro lado dos trilhos, não faziam idéia de que estavam tão próximos de um museu ferroviário à céu aberto, contendo, guardados ou aguardando pelos trabalhos de recuperação, diversos exemplares de carros de passageiros, vagões e locomotivas. Trens resgatados de vários pátios e diversas localidades, ao longo da malha ferroviária, na grande maioria dos casos, em estado de abandono.

Foto Fernando Rebelo

Parabenizamos a CPTM por esta iniciativa. Em qualquer lugar do mundo a ferrovia segue em vanguarda, sendo uma das alavancas do progresso. Portanto, deve estar inserida no cotidiano das pessoas, e não segregada delas. Lembramos que o acesso ao Trem Cultural dos Imigrantes - Maria-Fumaça, bem como a sede da Regional São Paulo, dá-se pelo Memorial do Imigrante, localizado à rua Visconde de Parnaíba, 1316, a 600 metros da Estação Bresser-Mooca do Metrô, com operação aos sábados, domingos e feriados, desde que estes não caiam na segunda-feira, dentro do horário de visitação do Museu, das 10 às 17h. Para os que vierem a pé do Brás, pela Rua Domingos Paiva, a opção é atravessar a passarela de pedestres sobre a ferrovia, na rua Visconde de Parnaíba. Aqui está o link da matéria sobre este projeto dos gradis no site da CPTM.
 
Saudações Ferroviárias!

 

Anderson Alves Conte, ABPF-SP
Fotos Fernando Rebelo, ABPF-SP

 


22/12/2009

Boas Festas! Feliz 2010!

Foto Fernando Rebelo

Neste ultimo domingo, 20 de dezembro, a Regional São Paulo da ABPF realizou o último dia de operações deste ano, tanto no Núcleo Histórico dos Transportes, no Memorial do Imigrante, Mooca, com o "Trem dos Imigrantes", bem como no Museu Ferroviário, em Paranapiacaba, Santo André, no "Trem da Vila Inglesa". Foi mais um ano trabalhando pela preservação da história do Trem.

Foto Fernando Rebelo

Agradecemos aos parceiros de agências de publicidade e emissoras de TV, entre outros, que locaram os trens e espaços do acervo da Regional para seus trabalhos. Além de gerar receita para a entidade, este tipo de parceria contribui para a divulgação da mesma. Agradecemos aos diversos parceiros que contribuiram com doações de madeira, no caso o combustível de nossas locomotívas a vapor, bem como os que fizeram doações de materiais para manutenção e recuperação do acervo. Estas parcerias aliviam os custos operacionais e de manutenção da entidade.

Foto Fernando Rebelo

Agradecemos a todos os visitantes que prestigiaram o nosso trabalho, quer individualmente, quer em família, ou via grupos de excursões, sem os quais não haveria a razão da existência da ABPF.

Foto Fernando Rebelo

E, principalmente, agradecemos aos sócios e colaboradores da ABPF, sem os quais seria impossivel manter esta entidade! Cada um em seu posto e função, à sua maneira, em seu tempo disponível, fez acontecer mais um ano de trabalho da ABPF-SP, seja na operação dos Trens Culturais, seja nos recintos dos Museus, seja na manutenção e recuperação do acervo.

Foto Fernando Rebelo

E para celebrarmos mais este ano de luta, confraternizamos nesta segunda, 21, na sede da Regional, no pátio da Mooca. Foi uma pequena reunião dos sócios e colaboradores ligados aos trabalhos de operação e manutenção. Uma confraternização que, embora simples, foi grandiosa por estarmos todos reunidos - sócios cuja dedicação é comum pela preservação da história da ferrovia.

Foto Fernando Rebelo

Voluntários de diversas áreas e profissões, que aos fins de semana dedicam parte de suas horas de lazer para atuar na entidade. São bancários, secretárias e securitárias que aos fins de semana viram bilheteiros(as) de estação e do Museu Ferroviário.

Foto Fernando Rebelo

Metroviários que deixam o trabalho nos modernos trens e instalações do Metrô, para atuar como foguistas e maquinistas em nossas antigas Marias-Fumaça. Professores que deixam os recintos de suas escolas para atuar na entidade como chefe-de-trem, agente de estação e guarda-freios, entre outras funções.

Foto Fernando Rebelo

Enfim, são só alguns dos exemplos de dedicação dos diversos membros voluntários que integram esta regional, complementando o trabalho dos poucos colaboradores efetivos mantidos para os trabalhos de manutenção e de estrutura básica.

Foto Fernando Rebelo

Desejamos a todos um Feliz Natal, e um 2010 repleto de saúde, paz e realizações!

Foto Fernando Rebelo

Voltaremos à operação a todo o vapor logo após o estouro dos fogos e dos espumantes no início de 2010, a partir dos dias 02 e 03 de janeiro.

Foto Fernando Rebelo

"Dois apitos, partida autorizada, trem partindo!!!"

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson Alves Conte, ABPF-SP
Fotos Fernando Rebelo, ABPF-SP


10/12/2009

Doação de lambril

Mais uma vez temos motivos para registrar coisas boas. Desta vez, da parte do sócio Sr. Cristian Cavallaro, proprietário da empresa Qualimad Comércio de Madeiras, a doação de madeiras para nossa entidade.

São trinta metros de lambril, que serão usados para finalzar o acabamento externo do Carro Reservado 19 da The São Paulo Railway, que está em recuperação há cerca de dois meses.

Agradecemos ao Sr. Cristian por esta doação, de grande valia para todos nós. É através deste tipo de apoio e parceria, bem como pelo empenho e dedicação dos nossos membros, que a Regional São Paulo da ABPF consegue executar a recuperação e manutenção do acervo.

Ao Sr. Cristian, o nosso muito obrigado!

Conheça a Qualimad clicando  aqui .

 

ABPF Regional São Paulo


05/12/2009

Trem dos Imigrantes na Globo!

Menina Fantástica 2009 - Fantástico - TV Globo

Na madrugada desta sexta-feira, dia 4, mais uma vez nossa composição do Trem Histórico Cultural dos Imigrantes - ABPF foi utilizada como cenário de TV. Tratou-se de filmagens para o quadro Menina Fantástica 2009, do programa Fantástico da TV Globo. Estas imagens foram ao ar na edição do domingo, dia 6.

Menina Fantástica 2009 - Fantástico - TV Globo

A Regional São Paulo da ABPF tem, como fonte de recursos financeiros, além da arrecadação dos ingressos dos passeios do Trem dos Imigrantes e do Museu Ferroviário de Paranapiacaba, também eventuais locações dos espaços cenográficos e do acervo para emissoras de TV, agências de publícidade e agências de modelos, entre outros, que se utilizam do mesmo para a ambientação de época em seu trabalho.

Menina Fantástica 2009 - Fantástico - TV Globo

No caso destas filmagens o uso do espaço foi cedido com a intenção da divulgação do Trem Cultural do Imigrante, que apesar de já estar em operação há onze anos junto ao Memorial do Imigrante, ainda segue relativamente desconhecido do grande público.

Menina Fantástica 2009 - Fantástico - TV Globo

Muitas pessoas não fazem idéia de que existe, em pleno século vinte e um, na cidade de São Paulo, um passeio cultural de trem com locomotiva a vapor, a Maria-fumaça.

Menina Fantástica 2009 - Fantástico - TV Globo

Aqui está o link do quadro Menina Fantática 2009, Fantástico, TV Globo.

 

ABPF Regional São Paulo


27/11/2009

SPR-19 em Recuperação

Foto Fernando Rebelo

O Carro Reservado SPR-19, de 1928, encontra-se em fase de recuperação. Foi totalmente lixado externamente para remoção de camadas de verniz já desgastadas pelo tempo. Também estão sendo substituídas madeiras ruins da caixa do mesmo, que em seguida será totalmente envernizado. Posteriormente também será revisado internamente.

Este carro atendia à vistorias ou deslocamentos de autoridades pela via. Também servia às famílias que habitavam localidades cortadas pela The São Paulo Railway Company, de ferroviários ou não, ocasiões em que executava o deslocamento de falecidos e seus parentes até a cidade mais próxima para sepultamento.

O SPR-19 foi usado na década de 1920 no translado do corpo de Alcântara Machado.

Foto Fernando Rebelo

O Carro SPR-19 voltará para a operação do Trem Histórico Cultural dos Imigrantes "Maria Fumaça - Memorial do Imigrante" assim que tiver sido finalizada sua recuperação.

 

ABPF Regional São Paulo


26/11/2009

Bonde dos Imigrantes Temporariamente Fora de Operação

Foto Fernando Rebelo

O passeio do Bonde Histórico Cultural dos Imigrantes está temporariamente suspenso, visto que a rua Visconde de Parnaíba teve sua mão de direção invertida no trecho entre a rua Almirante Brasil e a Estação Bresser-Mooca do Metrô, que antes era de mão única no sentido Memorial do Imigrante, mas agora é mão única para a Estação Bresser do Metrô.

Por conta desta inversão, determinada pela Prefeitura através da CET - Companhia de Engenharia de Tráfego, ocorreu a mudança de pontos de ônibus para o lado oposto da rua, JUSTAMENTE no local que é o ponto de parada e retorno do Bonde para o Memorial do Imigrante.

Foto Fernando Rebelo

Já foi encaminhado nosso pedido para o CET, e também para a Sub-Pefeitura da Mooca, requisitando a nova alteração dos pontos de ônibus para livrar o espaço de parada do Bonde, para que este volte a operar.

Entretanto, este processo ainda está em fase de analise por parte da Prefeitura, sem nada definido até o presente.

A ABPF-SP continua operando normalmente o Passeio do Trem dos Imigrantes - Maria Fumaça, junto ao Memorial do Imigrante aos sábados , domingos e feriados, dentro do horário de visitação do Museu.

 

ABPF Regional São Paulo


05/10/2009

Água, Sabão, Esfregão, Carinho e Disposição!

Neste último domingo, 4 de outubro, os sócios Roberto Prete, Jefferson Prete e William Prete dedicaram parte de suas horas livres na lavagem da locomotiva elétrica GE V-8, como trabalho voluntário.

Este exemplar, que hoje encontra-se à salvo no acervo da ABPF, é de um lote de locomotivas elétricas fabricadas pela GE - General Electric, entre o final da década de 30 e início dos anos 40, para a então Companhia Paulista de Estradas de Ferro - CP.

Estas locomotivas elétricas operaram na tração de trens tanto de cargas quanto de passageiros, até meados de 1998, na FEPASA - Ferrovia Paulista S.A., sempre no trecho eletrificado da antiga Paulista, entre Jundiaí, Campinas, Araraquara, Rio Claro e Bauru.

Após a liquidação da FEPASA em 1998, as locomotivas elétricas, bem como toda a estrutura de eletrificação, foram desativados, caindo em total estado de abandono por conta das empresas concessionárias, que assumiram a malha e optaram por utilizar apenas a tração de locomotívas à diesel, alem de, é claro, terem suprimido todos os trens de passageiros de longo percurso.

Estes trens, em boa parte de suas rotas, utilizavam estas locomotivas elétricas, visto que tornavam viável o custo de operação, por conta do alto consumo de uma locomotiva à diesel, de seis a dez litros de combustível, ou até mais, por quilometro rodado, conforme o perfil de linha e porte da locomotiva.

A ABPF conseguiu, através de muito trâmite e burocracia, preservar dois exemplares de locomotivas elétricas oriundas da antiga Paulista; a V-8, prefixo 371, e outra ainda mais antiga, uma GE modelo Box de 1921. Elas são hoje raros exemplares de máquinas elétricas que durante anos prestaram bons serviços às nossas estradas de ferro.

Mas para sua preservação, bem como dos demais exemplares de trens históricos que compõem o nosso acervo, não contamos com nenhum subsídio, ajuda ou apoio financeiro, seja por parte do governo, seja por parte de empresas privadas. Todo este custo é financiado pelos bilhetes oferecidos nos passeios em nossos trens históricos culturais.

No caso da Regional São Paulo, através do Trem Histórico Cultural dos Imigrantes, na Mooca, e do Museu Ferroviário de Paranapiacaba - Alto da Serra, em Santo André.

E principalmente pelas mãos de nossos sócios-voluntários, "ferroloucos", apaixonados pelo trem e sua história, que dedicam parte de suas vidas às atividades desta entidade, seja na operação dos trens e museus, seja na manutenção e recuperação destes.

Mais uma vez fica registrado aqui o nosso agradecimento ao Sr. Roberto Prete e filhos, que, como em tantas outras ocasiões, deram a sua preciosa parcela de contribuição. E fica mais uma vez registrado também o nosso convite aos demais sócios, bem como a quem deseja associar-se à ABPF, para que venha a se inteirar e contribuir com as nossas atividades. Afinal, a ABPF é nossa!

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson Alves Conte, ABPF-SP
Fotos dos irmãos Prete


28/09/2009

Se você não nos contar...

A ABPF Regional São Paulo está sentindo falta de dados atualizados dos seus associados. Nosso quadro associativo tem vários anos, e o avanço da tecnologia deu-se em passos mais rápidos do que pudemos acompanhar. Em especial o e-mail, que sequer era utilizado há 15 anos, é ferramenta indispensável para a comunicação e a divulgação da informação nos dias de hoje.

Por isso estamos iniciando esta ação de atualização de dados de nossos associados, focando, no mínimo, as informações básicas para contato. Os telefones mudaram, o e-mail veio para ficar, alguns associados estão em novos endereços, e se você não nos contar, não vamos ficar sabendo!

Não importa a qual Regional você esteja filiado; as informações serão repassadas à sua Regional de origem. O importante é o envio de seus dados, e para isso criamos aqui uma página própria com o formulário de atualização. Use-a sempre que tiver novidades nesse sentido.

Desde já, a ABPF agradece!

ABPF Regional São Paulo


19/08/2009

Embarque no Trem da Memória...

Ao criar o Núcleo de Apoio a Pesquisa – Centro de Cultura e Memória Ferroviária, sabiamos das grandes dificuldades a enfrentar. Mesmo diante delas o trabalho vem desenvolvendo-se, ainda que em pequenos passos, o que, olhando-se para a história da ABPF, significa passos importantes, pois esta é uma iniciativa pioneira de ação de preservação. Até então a ABPF vinha atuando somente no campo das estações, materiais rodantes e equipamentos. Por isso este projeto é um marco para a Regional São Paulo.

Nos últimos meses, de junho a agosto, o acervo vem passando pelo trabalho de limpeza, pequenos reparos, catalogação e tombo, mas com lentidão, uma vez que, apesar da divulgação, ainda não pudemos contar com novos voluntários para a equipe, e por isso reiteramos que ainda precisamos do auxilio de pessoas que tenha afinidade com o campo da pesquisa e documentação histórica.

Também estamos recebendo doações de obras com a temática ferroviária, e desde já agradecemos as doações de acervos que nos tem chegado. Dentre as doações destacamos as dos Eng. José Egidio e Eng. Hamilton Ferraz, que vieram enriquecer nosso acervo, além das doações de diversos associados amigos que trabalham conosco, em especial a do nosso chefe de estação e coordenador operacional Hélio Ribeiro, e a do Sr. Sergio Martire. Agradeçemos também ao nosso amigo associado Cecílio, que colaborou no auxilio à catalogação e tombo.

As doações de livros e materiais com temática ferroviária podem ser encaminhadas diretamente para a Estação Parada da Hospedaria dos Imigrantes, bem como para a nossa caixa postal 67541, CEP 03162-971, São Paulo, SP, e podemos também retirar pessoalmente.

Seguimos procurando patrocinadores e colaboradores que possam vir somar forças junto ao árduo trabalho que pretendemos intensificar até o final de 2009. Entre em contato conosco através do e-mail pesquisa@abpfsp.com.br.

Não percamos o trem da memória!

 

André Galdino, ABPF-SP
Coord. do Núcleo de Apoio a Pesquisa
Centro de Cultura e Memória Ferroviária


07/08/2009

Incêndio atinge carros da E. F. Sorocabana

Um incêndio atingiu na tarde desta segunda-feira, dia 3, sete vagões de um trem da extinta Fepasa, entre as estações Osasco e Presidente Altino. Segundo o Corpo de Bombeiros, foram enviadas três viaturas para combater as chamas, que começaram às 17 horas. A CPTM informou, por meio de nota, que três jovens foram flagrados por agentes de segurança da empresa no momento em que ateavam fogo em vagões de trens no pátio.

Segundo a Polícia Militar, os jovens são menores de idade. De acordo com a companhia, os vagões atingidos são de carros antigos e desativados da Rede Ferroviária Federal S. A., que não prestam serviço para nenhuma linha da CPTM. Os jovens foram encaminhados para o 9º Distrito Policial, na região do Carandiru. Ninguém ficou ferido no incêndio.

 

Revista Ferroviária


03/08/2009

Carros de aço salvos do abandono

Quando a ABPF foi idealizada, por Patrick Henri Ferdinand Dollinger, nos idos de 1970, a entidade tinha, dentre seus objetivos, o de resgatar e preservar o maior número possivel de vagões e carros de passageiros de madeira e locomotivas movidas à vapor, material rodante este que, afinal, representa a época da implantação e o início da ferrovia no Brasil.

Nunca pensamos que teriamos no nosso acervo exemplares de carros de passageiros de aço inox e aço carbono dos anos 1940, 50 e 60. São exemplares de carros oriundos das antigas Companhia Paulista - CP, Companhia Mogiana de Estradas de Ferro - CM, Estrada de Ferro Sorocabana - EFS e Estrada de Ferro Araraquara - EFA. Estavam operacionais até meados de 1998, nos últimos trens de passageiroa da FEPASA - Ferrovia Paulista S. A., empresa do Governo do Estado de São Paulo criada em 1971 para unificar parte da malha ferroviária paulista e liquidada em 1998, época em que também, infelizmente, foram erradicados todos os trens de passageiros de longo percurso do Estado de São Paulo, visto que as empresas concessionárias que assumiram a malha da então extinta FEPASA não foram obrigadas a efetivamente manter a operação dos trens de passageiros, passando a partir de então a operar apenas os trens cargueiros. Por conta disto toda a estrutra do serviço de passageiros - carros de primeira classe, restaurante, dormitório e estações ferroviárias - caiu literalmente em estado de abandono.

Não fosse pelo empenho de nossa entidade, hoje as novas gerações não teriam a oportunidade de ver exemplares de carros de aço, que um dia formaram o melhor serviço de trens de passageiros do Brasil - o do Estado de São Paulo. É o caso do Expresso Turístico da CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, cuja viabilização só foi possível graças aos esforços da ABPF em resgatar estes carros. Neste projeto a Regional São Paulo emprestou para a CPTM os dois carros de passageiros dos anos 60 da EFA resgatados pela nossa entidade. Na Regional Campinas, na Viação Férrea Campinas-Jaguariúna, também estão a salvo exemplares de carros de aço-inox Budd - Mafersa - EFS, sendo o mais recente resgatado por aquela Regional o carro EFS Série 500, prefixo 4209, que até há poucos dias estava em estado de abandono no pátio de Presidente Altino, em Osasco.

Esta é a missão da nossa entidade: resgatar, salvar, recuperar e preservar exemplares de trens que um dia prestaram bons serviços, para que as novas gerações possam contemplar a história da ferrovia, tão importante para o surgimento e desenvolvimento da maioria das principais cidades do nosso Brasil.

Saudações ferroviárias!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP
Fotos de Vanderlei Zago, ABPF


31/07/2009

ABPF no Festival de Inverno de Paranapiacaba 2009

Mais ativamente do que nunca a ABPF-SP participou da 9ª edição do Festival de Inverno de Paranapiacaba, nos dias 11/12, 18/19 e 25/26 deste mês de julho. Este ano a temperatura fez jus ao nome do festival, com muita garoa, neblina e frio. Os visitantes tiveram a sensação de ser transportados ao passado, aproveitando as atrações do evento.

O Museu Ferroviário Funicular esteve operando nos dias do evento, inclusive com os passeios de Maria-Fumaça, na configuração do carro de 1ª Classe de Madeira, de 1914, sendo tracionado pela locomotiva Nº 10 (a 3ª mais antiga no Brasil), contando com a colaboração de nossos monitores voluntários, a caráter, narrando a história da ferrovia e do Sistema Funicular e levando, por alguns momentos, nossos visitantes ao século XIX, como ocorre todos sábados, domingos e feriados.

Dentro do pátio do Museu Ferroviário o visitante ainda pôde optar pela praça de alimentação montada especialmente para a este evento, numa enorme tenda de 200m², com shows de música ao vivo nos sábados.

Foi de extrema importância esta participação da ABPF no Festival, porque o Museu Ferroviário, seu pátio e o acervo ali preservado fazem parte da história da Vila, do Estado e do Brasil, e nosso trabalho coerentemente ajuda a manter a cultura e o acervo ferroviário vivos, especialmente através da colaboração de nossos sócios voluntários, que para isso disponibilizaram seu tempo e muita simpatia, levando ao visitante história, lazer, conhecimento e muita emoção.

Agradecemos a todos os que colaboraram e aos que nos prestigiaram, desejando que esta participação ativa da ABPF e sua equipe se repita nas diversas datas comemorativas que virão.

 

Karin Taliuli, ferromoça, ABPF-SP


29/07/2009

"Velha Senhora" em recuperação

A locomotiva EFCB-353, carinhosamente apelidada pelos ferroviários de "Velha Senhora", volta a ser recuperada no Pátio da Mooca da ABPF-SP. Nesta fase estão sendo substituidos os cerca de 160 tubos da caldeira. Depois da troca da tubulação virá a fase de recuperação e revisão geral dos demais componentes da máquina. A previsão é ficar pronta até o final de 2009.

Esta locomotiva esteve em operação no nosso Trem dos Imigrantes até o início de 2004, mas por estar com esses vazamentos perdia potência na tração, sendo forçosa a sua paralisação enquanto não fossem trocados seus tubos.

A "Velha Senhora", fabricada pela Baldwin na década de vinte, durante anos operou na Estrada de Ferro Central do Brasil - EFCB. É hoje uma das maiores locomotivas à vapor existentes no Brasil. Vamos aguardar e torcer para que dentro em breve estejamos ouvindo seu apito novamente!

Saudações ferroviárias!

 

ABPF Regional São Paulo
Fotos de Hélio Ribeiro, ABPF-SP


20/07/2009

Jóias da São Paulo Railway


Aspecto interno do Carro Nº 1

Neste último dia 07 de julho ocorreu a solenidade de entrega dos carros restaurados da São Paulo Railway/E. F. Santos a Jundiaí, numa parceria da ABPF com o patrocínio da MRS Logística S.A., sendo este projeto realizado pela historiadora Maria Inez Dias Mazzoco e a restauração executada por Julio Moraes Conservação e Restauro Ltda.

São três carros de passageiros de madeira.

Carro Nº 1 Administração série CA-1


Aspecto externo do Carro Nº 1

Fabricado em 1909 pela São Paulo Railway & Co., nas oficinas da Lapa em São Paulo, usando peças e parte mecânica (truques) ingleses.


Detalhe do jateado na porta do Carro Nº 1, com as Inscrições "São Paulo Railway Company Limited"

É um carro administração para 16 lugares com caixa de madeira e estrado metálico. Era usado apenas com autoridades da ferrovia, chefes de estado e convidados em especiais.

Truque: mancal de fricção.

Carro Nº 7 Inspeção série CA-2


Aspecto externo do Carro Nº 7

Fabricado em 1913 pela São Paulo Railway & Co., nas oficinas da Lapa em São Paulo, usando peças e parte mecânica (truques) ingleses.


Aspecto interno do Carro Nº 7

É um carro de Inspeção para 23 lugares com vidros panorâmicos em uma das extremidades. Era usado especialmente por autoridades da Ferrovia e Engenheiros.

Truque: Rolamentos

Carro Nº 37 Pullman / Buffet série CB-3


Aspecto externo do Carro Nº 37

Fabricado em 1922 pela São Paulo Railway & Co., nas oficinas da Lapa em São Paulo, usando peças e parte mecânica (truques) ingleses.


Aspecto interno (Buffet) do Carro Nº 37

É um carro Pullman (salão) com Buffet. Dos três, é o único que era usado comercialmente na ferrovia, nos trens Luz - Santos. Possui capacidade para 13 lugares no Pullman mais 7 lugares no Buffet.

Quando da sua construção em 1922, ele recebeu da SPR o nome de "Bessborough" nas laterais, retirado quando da transição SPR para EFSJ.

Truque: mancal de fricção.


Aspecto interno (Pullman) do Carro Nº 37

Estes três carros possuem a inscrição lateral em bronze "E. F. Santos a Jundiaí", e não mais o "São Paulo Railway". Estão caracterizados conforme a mudança, do final dos anos 40, de São Paulo Railway para Estrada de Ferro Santos a Jundiaí.

 

Thomas Corrêa, ABPF-SP


16/07/2009

ABPF no 9º Festival de Inverno de Paranapiacaba

PMSA - Divulgação

Nos sábados e domingos de julho, dias 11, 12, 18, 19, 25 e 26, está acontecendo o 9º Festival de Inverno de Paranapiacaba, em Santo André, São Paulo, versão 2009, e a ABPF-SP está participando de maneira impecável. Além do Passeio de Maria-Fumaça regular, o Pátio do Museu foi franqueado para que os visitantes tenham acesso à nossa Praça de Alimentação, onde foi montada uma barraca de 200m² com comidas, bebidas e doces, cujo funcionamento, nos dias de Festival, vai das 10 às 20h

Foto Fernando Rebelo

É a primeira vez que o Museu Ferroviário participa de forma plena do Festival, o que resulta numa oportunidade de aproveitamento integral para o visitante da Vila nestes dias. O passeio com a Locomotiva a Vapor segue normalmente, das 10 às 17h, e custa R$ 5,00. A visitação ao interior do Museu, no mesmo horário, custa R$ 3,00.

Foto Fernando Rebelo

Os nossos voluntários estão abrigados na Casa da ABPF, à rua Varanda Velha, 564, na Vila, fazendo uso da infra-estrutura de que dispomos, justificando, afinal, o empenho de nossa entidade na preservação da memória ferroviária.

Então escolha o dia e venha!

Veja aqui a programação oficial.

 

Clécio Strutz e Fernando Rebelo, ABPF-SP


15/07/2009

9 de Julho: 77 anos da luta paulista!

Foto Reprodução

Neste último 9 de julho a ABPF-SP marcou presença, como acontece há vários anos, no desfile cívico em homenagem aos heróis combatentes que participaram do "front" da Revolução Constitucionalista de 1932.

Foto André Galdino

Nesta revolução as tropas paulistas, com destaque para a Força Pública, promoveram ações militares contra o autoritarismo do governo de Getúlio Vargas, lutando a favor de uma nova política, e, em especial, pela elaboração de uma nova constituição que viesse ao encontro das necessidades e interesses do povo, não só paulista, mas brasileiro.

Foto Fernando Rebelo

A ABPF tem uma responsabilidade impar no desfile ao representar a importância das ferrovias nas ações militares, especialmente no transporte de combatentes e armamentos - de grande importância estratégica, sem esquecer do famoso trem blindado.

Foto Fernando Rebelo

Houve também a exposição fotográfica do Sr. Dario Bueno sobre a Revolução de 1932, montada na plataforma do Trem dos Imigrantes, com imagens do trem blindado, entre outras, e, em parceria com o Memorial do Imigrante, foi exibido o documentário "32 - A Guerra Civil", de Eduardo Escorel, no auditório do Memorial.

Foto Fernando Rebelo

No pátio externo do Memorial organizou-se uma mostra de veículos militares trazidos pela 1ª CIA de Veículos Militares.

Foto Fernando Rebelo

Em nossa Vila Ferroviária, no Pátio da Mooca, o evento foi completado com comes e bebes, com destaque para as massas do Eduardo, e com música ao vivo com a apresentação da Banda BR116, proporcionando às famílias que ali passaram uma maravilhosa e inesquecível tarde num ambiente muito agradável.

Foto Fernando Rebelo

Estamos a cada dia melhorado as condições de nossa Vila Ferroviária, e agora dispomos de cobertura, novo calçamento e rampa de embarque. Tudo isso devido ao apoio de nossos colaboradores e em especial ao nosso visitante, que se constitui no maior patrocinador de nossas ações de revitalização!

Foto Fernando Rebelo

Por isso, um obrigado muito especial a todos os associados, colaboradores e também ao nosso visitante, razão do nosso trabalho. Resgatar esta memória é dignificar as lutas de nossos antepassados por nossas conquistas ao longo dos anos, e também é a nossa expressão de gratidão para com aqueles que deram as suas próprias vidas na luta pelos direitos de todos.

Saudações Ferroviárias!

Veja aqui a galeria de fotografias!

 

André Galdino, ABPF-SP
Fotos de Fernando Rebelo, ABPF-SP


01/07/2009

ABPF na 14ª Festa do Imigrante

Mais uma vez a ABPF marcou presença na tradicional Festa do Imigrante, realizada nos dias 21 e 28 de junho de 2009, através do passeio histórico-cultural realizado pelo Trem dos Imigrantes da Regional São Paulo. Muitos visitantes fizeram uma viagem ao passado, percorrendo na composição um pequeno pedaço do caminho que seus antepassados percorreram, sobre os trilhos, do porto Santista até á antiga Hospedaria, na Mooca, e dela para o trabalho em fazendas de café no interior do Estado.

Nestes dois domingos consecutivos o Trem transportou cerca de 2000 pessoas, tendo a composição, além dos históricos carros de passageiros de madeira da "The São Paulo Railway", um carro de aço-inox de 1962 da antiga Estrada de Ferro Araraquara - EFA (atualmente emprestado pela ABPF para a CPTM para compor o Expresso Turístico Luz/Jundiaí e Luz/Mogi), que veio trasladado pela CPTM no domingo, dia 21.

Já no último domingo, dia 28, por conta do carro da EFA estar em operação no Expresso Turístico - CPTM, entrou em seu lugar o carro de aço-carbono de 1952 da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro - CP. Este carro operava um dos trens de passageiros mais luxuosos do Brasil, o Trem Azul/Trem-R, encerrando suas atividades na FEPASA - Ferrovia Paulista S. A., sendo este dos últimos trens de passageiros de longo percurso do Estado de São Paulo, operando até meados de 1998, época da liquidação da companhia.

Foi a estréia deste carro na composição do Trem dos Imigrantes, e foi um sucesso! Eventualmente o mesmo entrará na operação do Trem aos finais de semana, para que as pessoas possam relembrar os bons tempos dos trens de passageiros "de luxo" do Estado de São Paulo.

Agradecemos ao público presente ao passeio no Trem, sem o qual seria impossível mantermos a operação, e agradecemos também a todos os membros desta Regional envolvidos nestes dois dias de operação, sem os quais seria impossível a sua execução!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP
Fotos de Karin Taliuli, ABPF-SP


22/06/2009

Carinho mais dedicação é igual à maquete revitalizada!

Pelas mãos do associado Roberto Prete a maquete de ferreomodelismo que fica em exposição na Estação do Memorial do Imigrante está sendo totalmente revitalizada. Por esta maquete circulam trenzinhos elétricos em réplicas miniatura, na escala HO, dos trens de verdade de diversas épocas e estradas de ferro, que marcaram a história e desenvolvimento não só do Estado de São Paulo, bem como de muitas cidades brasileiras, que durante anos foram ou ainda são até hoje, atendidas pela ferrovia.

A maquete em questão não representa nenhuma cidade específica, mas, através das miniaturas dos trens, estações e ambientes ferroviários, demonstra aos visitantes que a contemplam a passagem das ferrovias pelas cidades do interior. O público fica maravilhado com esta maquete, principalmente as crianças, com as miniaturas dos trens de verdade em movimento.

Esta maquete já está em exposição na Estação do Memorial há cerca de 10 anos, e não recebia uma repaginação há um bom tempo, ficando, em consequência, com a paisagem opaca e sem vida.

O senhor Roberto Prete, velho amigo e colaborador da ABPF, está, em suas horas livres, dedicando esta parte de seu tempo na revitalização da paisagem da maquete. O trabalho requer tempo, paciência e habilidade. É uma verdadeira atividade artesanal, transformando pó de serragem em grama, terra de verdade em ambientes de ruas e estradinhas, repintura das ruazinhas de asfalto, e "replantio" e fixação das arvorezinhas, entre outros. O senhor Roberto, além de ser um apaixonado por trens, também é ferreomodelista. Ou seja, está executando esta tarefa com muito amor e carinho!

Este trabalho ainda está em andamento, visto que é feito apenas nas horas livres do senhor Roberto, mas logo estará finalizado, visto que mais da metade da maquete já foi repaginada.

Então nos resta agradecer ao senhor Roberto Prete por mais esta contribuição, dentre tantas que já ofereceu a esta entidade, e, claro, não podemos deixar de agradecer também ao senhor Joel Gomes Pires, outro sócio apaixonado pelos trens e suas ferrovias, a dedicação de seus finais de semana junto à entidade, operando esta maquete e seus graciosos trenzinhos!

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP
Fotos de Marcus Amorim, ABPF-SP


17/06/2009

Voluntárias: mãos à tinta!

O interior da Sala da Bilheteria da Estação operada pela ABPF-SP no Memorial do Imigrante está novo em folha!

Nesta sala é onde são vendidos os bilhetes para os passeios do Trem Maria-Fumaça aos finais de semana. Além do Bilheteiro, atuam nesta sala os Chefes de Trem e de Estação nos dias de operação do passeio.

Há tempos esta sala não recebia uma nova pintura interna. Pela iniciativa e mãos das associadas Karin Taliuli e Paula Libretti a sala foi totalmente repintada. Tanto a Karin quanto a Paula já colaboram com trabalhos voluntários junto à ABPF-SP, atuando na operação do Trem Histórico Cultural dos Imigrantes em suas horas de folga, executando as funções de Bilheteiras e Ferromoças Monitoras.

Desta vez as duas colocaram literalmente as mãos na massa na execução dos serviços de pintura. Além delas também colaboraram os associados Jefferson Prete, Pedro Januário e Clécio Strutz, aos quais também agradecemos por mais esta colaboração.

O trabalho voluntário na ABPF é executado por muitos sócios, que em suas horas livres dedicam parte de suas vidas em prol da entidade, seja atuando junto à operação dos Trens Históricos, seja na recuperação e manutenção destes, conforme a habilidade e afinidade de cada pessoa. Não fosse pela dedicação deles jamais seria possivel nossa entidade manter suas atividades, visto que os valores arrecadados com ingressos dos passeios de trem e demais atividades muitas vezes não cobrem sequer os custos de operação. O que dizer então se fosse para arcar com folha de pagamento de funcionários contratados para cada atividade exercida?

Por tanto, a todos os sócios e colaboradores da nossa ABPF-SP, fica registrado o nosso agradecimento, e hoje, em especial, aos que participaram diretamente dos trabalhos de pintura da Sala da Bilheteria!
 

ABPF Regional São Paulo


11/06/2009

Segurança também é preservação!

Um importante investimento foi feito recentemente pela ABPF-SP: a colocação de serpentinas e cerca elétrica nos muros e gradis do nosso pátio ferroviário da Mooca.

Este investimento fez-se necessário porque no final de 2007 e inicio de 2008 tivemos sérios problemas com o aumento do vandalismo e roubos no nosso pátio, principalmente nos períodos da noite e madrugada. Com este investimento as ocorrências diminuíram.

Esperamos continuar investindo nas melhorias e segurança do nosso pátio ferroviário, pois nele estão preciosidades da memória ferroviária que devem ser preservadas, ainda mais porque já foram alvo de marginais ao longo do tempo, quando estavam abandonadas em pátios ferroviários por todo o Estado.

Agradecemos de modo muito especial a todos os visitantes que prestigiam nosso trabalho no Trem do Imigrante, pois ao realizar o passeio, adquirindo o ingresso, são os patrocinadores dos nossos trabalhos e realizações como esta.

Saudações Ferroviárias!

 

André Galdino, ABPF-SP
Fotos de Fernando Rebelo, ABPF-SP


20/05/2009

Dia do Ferroviário 2009

Foto Fernando Rebelo

Neste último domingo, 17 de maio, ocorreu, na sede da ABPF-SP, junto ao Memorial do Imigrante, na Mooca, o evento comemorativo alusivo ao 30 de abril, "Dia do Ferroviário", realizado com uma quinzena de atraso por conta do feriadão prolongado de 01 de maio, e também por conta do domingo, 10 de maio, o "Dia das Mães", datas em que muitas pessoas estavam viajando e confraternizando em família.

Foto Fernando Rebelo

Em 30 de abril de 1854 foi inaugurada a primeira ferrovia do Brasil, a Estrada de Ferro Mauá, no Rio de Janeiro. Portanto, o último 30 de abril assinalou 155 anos de Ferrovias no Brasil, e a ABPF não poderia deixar passar esta importante data em branco.

Foto Fernando Rebelo

Na antiga Estação da Hospedaria dos Imigrantes, no andar superior, foi montada uma bela exposição de ferreomodelismo, com maquetes e réplicas de trens, estáticos e em movimento. Também neste andar havia uma exposição de fotos de trens e ferrovias, tudo organizado pelos membros da SBF - Sociedade Brasileira de Ferreomodelismo. Neste anexo também esteve presente o Sr. Arnaldo Botan, expondo as suas maravilhosas réplicas de "vapor vivo".

Foto Fernando Rebelo

Já o pátio da antiga Vila Ferroviária da Mooca, sede da ABPF-SP, ficou aberto à visitação. Os visitantes passageiros do Trem dos Imigrantes - Maria Fumaça embarcavam normalmente no trem à passeio, percorrendo o trajeto Hospedaria-Mooca-Brás.

Foto Fernando Rebelo

No entanto, ao invés do trem parar no final do passeio na estação da antiga Hospedaria, como de praxe, o maquinista recuava a composição até a Vila Ferroviária, onde os passageiros podiam desembarcar e caminhar pelo pátio por entre o acervo de trens antigos.

Foto Fernando Rebelo

Neste espaço foram montadas diversas barracas com crepes, lanches, bebidas, chocolates, queijo & vinho e souvenirs. Além disso, foi realizado também um divertido bingo, com a premiação de variados utensílios domesticos e brinquedos para a criançada.

Foto Fernando Rebelo

A confraternização foi um sucesso! As pessoas ficaram encantadas com tudo que puderam desfrutar.

Foto Fernando Rebelo

Uma estrutura simples, porém bem organizada. De maneira modesta, mas com muito entusiasmo, celebramos mais este "Dia do Ferroviário".

Foto Fernando Rebelo

Só nos resta agradecer a todos que colaboraram e participaram deste evento:

Ao Memorial do Imigrante, por disponibilizar o andar superior da antiga Estação Hospedaria;
Aos membros da SBF - Sociedade Brasileira de Ferreomodelismo, por organizar e disponibilizar a exposição na Estação;
A Bandiassu Eventos, que disponibilizou os toldos usados na estrutura do pátio a baixo custo;
A Veja Comunicação Visual, por disponibilizar os banneres deste evento;
A Crepe Mania, Casa Alifran e também a associada da nossa entidade Elaine Nobre, pela montagem e organização das barracas de crepes, vinhos, queijos & salames, e os deliciosos chocolates caseiros confeccionados por ela;
A todos os membros da ABPF-SP presentes nesta data, pela valiosa contribuição de cada um, seja na operação do Trem dos Imigrantes, seja na Estação, seja no Pátio;

Foto Fernando Rebelo

E principalmente ao público presente, sem o qual jamais teria sido alcançado o sucesso deste evento, uma vez que, entre passageiros transportados no trem, visitantes na estação e pátio, somamos mais de 500 pessoas!

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP
Fotos de Fernando Rebelo, ABPF-SP


14/05/2009

Espetacular doação de areia e pedra!

A ABPF-SP vem registrar o recebimento da doação de duas enormes caçambas de material, sendo uma de pedra e outra de areia. Estes insumos serão utilizados nas melhorias do pátio da antiga Vila Ferroviária da Mooca, afim de melhorar as condições de visitação pública.

O pátio da Vila Ferroviária já vem sendo utilizado em alguns eventos e confraternizações organizados pela ABPF-SP, bem como em filmagens e locações cenográficas para agências de publicidade e geradoras de TV. É nossa intenção, num futuro próximo, abrir o espaço permanentemente a visitação para as pessoas que vierem fazer o passeio no Trem dos Imigrantes aos finais de semana.

Para isso faz-se necessário estas melhorias no pavimento do pátio, afim de que se possa caminhar com conforto, visualizando todo o nosso acervo de trens históricos.

Agradecemos ao Dr. Thomaz Melo Cruz por esta valiosa contribuição, sem a qual, seria muito mais difícil a realização destas melhorias, uma vez que os valores cobrados nos depósitos consultados são elevados para a nossa regional.

Doutor Thomaz: muito obrigado!

 

ABPF Regional São Paulo


08/05/2009

Bonde 38 - em plena recuperação!

Bonde 38 na portaria do Memorial do Imigrante, antes do presente restauro...

Degradado pelo tempo, o famoso Bonde 38 está em fase de recuperação. Quase restaurado, este bonde opera aos fins de semana em caráter histórico-cultural por trilhos assentados à rua Visconde de Parnaíba, entre o Memorial do Imigrante e a Estação Bresser-Mooca do Metrô.

Bonde 38 circulando na cidade de Santos...

Foi fabricado na Escócia em 1912 e pertenceu ao Sistema de Transporte Coletivo - STC, da cidade de Santos, onde esteve em operação até meados de 1962. Em 1998, com apoio da Secretaria da Cultura, Faculdade Anhembi-Morumbi e Estrada de Ferro Campos do Jordão - EFCJ, este bonde foi totalmente recuperado nas próprias oficinas da EFCJ, voltando à ativa, em exposição e operado desde então pelos membros da ABPF-SP, junto à portaria do Memorial do Imigrante.

Bonde 38 pouco antes de ser desativado...

Depois de completar onze anos de operação, passou por uma nova manutenção geral, sendo a parte do madeiramento da carroceria totalmente recuperada. Os trabalhos de recuperação e pintura foram executados pelo próprios membros da ABPF, sendo que o material utilizado neste trabalho (tintas e vernizes) foram doados por parceiros e colaboradores. A previsão é que dentro de mais alguns finais de semana, este bonde volte à operação.

Agradecemos aos parceiros e colaboradores por viabilizar os materiais usados na recuperação do bonde, e principalmente aos membros da entidade envolvidos neste trabalho.

 

ABPF Regional São Paulo


06/05/2009

Trem do Imigrante: 11 anos!

Dia 05 de abril de 2009 a ABPF-SP celebrou 11 anos de operação do “Trem do Imigrante”, que é fruto de uma parceria, na época, com a Secretaria de Estado da Cultura.

O “Trem do Imigrante” faz um resgate da memória de nossa cidade e do nosso estado - memória dos áureos tempos do café, ferrovias e imigrantes, que, juntos, representam os pilares que sustentaram o fantástico crescimento, urbanização e progresso da cidade de São Paulo, tida como a “locomotiva” do Brasil, e que afirma em seu lema: “Não sou conduzida, conduzo!”

Resgatar essa memória tem sido possível graças ao incansável empenho dos associados e voluntários que atuam na luta diária para a continuidade do “Trem do Imigrante”. Por isso com alegria celebrarmos e convidamos os nossos visitantes e colaboradores a participar de mais um ano de lutas e realizações.

A festa, em nossa Vila Ferroviária da Mooca, teve almoço, visitação aberta ao acervo do pátio ferroviário, bingo beneficente em prol das melhorias do pátio e uma belíssima exposição de fotos ferroviárias e de ferreomodelos em escala HO, idealizada pela SBF - Sociedade Brasileira de Ferreomodelismo, que vem atuando com empenho na divulgação do hobby enquanto resgata a memória de nossas ferrovias e difunde a cultura ferroviária.

Registramos também a presença da RF - Revista Ferroviária, que se destaca como importante veículo de comunicação no setor, trazendo sempre atualidades e discussões sobre os rumos de nossas estradas de ferro.

Agradecimentos à Di Cunto, Padaria Monte Líbano, Veja Comunicação e Crepe Mania, que colaboraram em nossa comemoração.

Saudações Ferroviárias!

 

André Galdino, ABPF-SP


06/05/2009

Expresso Turístico Luz/Jundiaí – CPTM

Foto - Divulgação - Portal do Governo de Estado de São Paulo

O trem “Expresso Turístico Luz/Jundiaí", bem como os demais roteiros ainda em projeto de implantação, Luz/Paranapiacaba e Luz/Mogi das Cruzes, serão operados e comercializados pela CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

Neste projeto coube à ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) o empréstimo e concessão do uso de dois carros de passageiros fabricados pela Mafersa nos anos 60 para a então Estrada de Ferro Araraquara – EFA, onde permaneceram em operação até os últimos trens de longo percurso da extinta FEPASA (Ferrovia Paulista S/A) até o final dos anos 90.

Após a liquidação da estatal FEPASA em 1998, os trens de longo percurso foram totalmente erradicados, sendo que o material rodante (carros de passageiros) foi literalmente abandonado e sucateado.

A ABPF, entidade voltada para a preservação de trens históricos e memória ferroviária, resgatou estes carros em meados de 2005 para compor seu acervo. Por conta deste projeto turístico, os carros foram cedidos à CPTM no intuito de apoiar a volta deste modal, Trem de Passageiros de Viagem / Longo Percurso, visto que a CPTM possui em sua frota trens metropolitanos, ou seja, trens urbanos, que não caracterizam um Trem de Viagem Turística.

 

Informações sobre horários e bilhetes do Expresso Turístico podem ser obtidas junto à CPTM através do site Expresso Turístico – CPTM, ou pelo fone 0800.055.0121

 

ABPF Regional São Paulo


13/04/2009

Núcleo de Apoio à Pesquisa Ferroviária

Reafirmando mais uma vez o lema "preservar a memória é ter uma história", a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, Regional São Paulo está implantando neste 2009 o projeto de ação para preservação, recuperação e organização dos acervos bibliográficos, no qual o objetivo será a recuperação e adequação do espaço da residência ferroviária, do nosso pátio da Mooca, que passará a abrigar, além do escritório regional, já funcionando, um novo espaço biblioteca e sala de estudo e pesquisa, constituindo o Núcleo de Apoio à Pesquisa Ferroviária.

Este espaço será inovador na cidade de São Paulo, destacando-se por oferecer suporte para professores, estudantes e pesquisadores em geral que desejarem pesquisar a temática ferroviária.

Ainda na fase inicial, estamos divulgando o espaço e o acervo já presentes, bem como solicitando doações de novas obras para integrar o acervo, em ampliação, e estudando novos parceiros e patrocínios.

Os sócios que desejarem se inteirar sobre o projeto bem como colaborar com o mesmo podem entrar em contato com este sócio, Prof. André Galdino, responsável pelo projeto.

Saudações Ferroviárias!

 

Núcleo de Apoio a Pesquisa Ferroviária
Contatos pelo e-mail pesquisa@abpfsp.com.br
A/C Núcleo de Apoio à Pesquisa Ferroviária

 

André Galdino Santos, ABPF-SP


12/03/2009

ABPF-SP recebe doação de peças da famosa "Paulista"

A ABPF-SP vem a público agradecer a importante doação de materiais ferroviários históricos feita pelo sócio Alexandre Gonçalves Negri.

Estas peças colaboram para preservação da memória da Companhia Paulista de Estradas de Ferro (CPEF), e são materiais diversos como vidros das luminárias dos carros, telha francesa e quadros originários dos carros e do acervo da “Paulista”. Trata-se de materiais doados por ex-funcionários da CPEF da cidade de Rio Claro (SP), salvos por eles do abandono quando do processo de privatização da antiga Ferrovias Paulistas S. A. - FEPASA.

Graças ao empenho desses antigos funcionários e de modo muito especial ao Alexandre, em breve poderemos vislumbrar mais estas peças na exposição do acervo do Núcleo dos Transportes da ABPF-SP, bem como algumas serão empregadas em carros durante o processo de recuperação dos mesmos, emprestando-lhes importantes detalhes em suas originalidades.

Saudações Ferroviárias!

 

André Galdino Santos, ABPF-SP


14/12/2008

Trem de Natal 2008, mais um pulsar nos trilhos...

Neste último 14 de dezembro a ABPF-SP realizou com grande sucesso o seu segundo Trem de Natal, este ano com acréscimo de mais um carro na composição, o carro de primeira classe Pullmam Standard originário da Companhia Paulista de Estrada de Ferro, que teve sua recuperação iniciada em 2008 e que terá continuidade em 2009, quando serão terminadas as pinturas externa e interna e demais detalhes como inscrições, etc.

Partindo da Estação da Luz (SP) às 8h30, atingimos o sucesso de público com a lotação completa. Contando a tripulação, somamos 250 pessoas a bordo. O trem trouxe de volta a cena os áureos tempos de nossas ferrovias, monstrando que ainda são possíveis viagens de trem e que precisamos rever nossos conceitos sobre o uso do transporte ferroviário; o futuro também está nos trilhos. Esta realização só foi possivel graças ao empenho das entidades envolvidas lideradas pela ABPF-SP, sendo elas a Associação Nacional de Preservação Ferroviária (ANPF), a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a MRS Logistica, e em especial a Policia Ferroviária Federal ( PFF) e o Policiamento Ferroviário da CPTM na segurança do trem, contando com a autorização de circulação da ANTT, além do apoio de tantas outras pessoas e entidades.

No trem o trabalho da equipe da ABPF-SP faz um importante diferencial. Além do passeio, é feito o trabalho de resgate histórico das ferrovias, trazendo ao passageiro um pouco da informação sobre a grandiosa memória de nossas ferrovias, além de preciosos momentos de bate-papo e descontração entre os entusiastas ferroviários. Em Sabaúna as atrações ficaram por conta da visita à Estação, de 1933, originária da Estrada de Ferro Central do Brasil (EFCB), e do saborear do prato típico, a galinhada, tendo havido ainda show musical e apresentação de autos antigos em frente à Estação.

Outro importantíssimo fato a não ser esquecido é o objetivo social do Trem de Natal - parte da arrecadação das passagens foi revertida na compra de brinquedos para as crianças de Sabaúna.

Agradecemos aqui a todos os envolvidos para realização de mais este trem especial, mas de modo muito especial ao empenho e dedicação dos sócios voluntários e à direção da ABPF-SP e da ANPF. Com este evento finalizamos também mais um ano de operação, desejando a todos amigos, visitantes, associados e colaboradores um 2009 de muito sucesso e muitos apitos em nossos trilhos.

Saudações Ferroviárias!

 

André Galdino, ABPF-SP
Fotos de Vanderlei Antônio Zago, ABPF-CPS


28/10/2008

Exposição 150 anos da Estrada de Ferro Central do Brasil - EFCB

Neste último final de semana de outubro a ABPF Regional São Paulo esteve presente na exposição realizada na Estação Brás da CPTM, em comemoração aos 150 anos da Estrada de Ferro Central do Brasil - EFCB. Idealizada pela ANPF - Associação Nacional de Preservação Ferroviária, esta teve o apoio da ABPF Regional São Paulo e da CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. A exposição ocorreu desde o início de outubro, com uma mostra de fotografias de algumas das principais estações ferroviárias da Central. E nos dias 25 e 26 houve também a Exposição de Trens Antigos na Plataforma 8 da mesma Estação Brás, antiga Estação Roosevelt da Central.

Foram levadas para a Estação a Locomotiva a Vapor EFCB-353 de 1926, a Locomotiva Elétrica CP-371, o Carro Restaurante Aço Carbono-CP da década de cinquenta, e o Carro Reservado de Madeira SPR-19 de 1928.

Entre 10 e 15 horas do sábado e do domingo o público presente teve acesso livre à plataforma, de onde estava autorizada a visita interna aos carros, bem como à cabine da Locomotiva 353, a Velha Senhora da Central. As pessoas se encantavam pela oportunidade de adentrar e fotografar os trens antigos. Para muitos dos visitantes, e principalmente para muitas crianças, esta foi a primeira vez que viram de perto uma autêntica locomotiva a vapor. Também foi a primeira vez que viram o interior de um autêntico trem de viagem, no caso um carro restaurante, dentro do qual foi possivel o acesso à cozinha e ao salão onde ficam as mesas. Também foi para muitos a primeira oportunidade de conhecer um carro de passageiros de madeira, no caso o Reservado, dos anos 20.

Para muitos dos presentes os únicos trens que conheciam eram os que fazem o transporte nosso de cada dia, os metropolitanos. Trens iguais aos que estavam em exposição só haviam visualizado em filmes e novelas de época. Foi um sucesso. As pessoas ficaram maravilhadas com os trens históricos.

Também foi a oportunidade de passar para o público a informação de que ainda existem trens históricos operando em caráter turístico-cultural, puxados por autênticas marias-fumaça. Foram distribuidos panfletos da ABPF com estas informações. Alguns membros da ABPF e da ANPF estavam trajados à caráter, com uniformes alusivos aos dos antigos ferroviários.

Portanto foi com muita honra que este evento marcou os 150 anos da EFCB, brindado com a Locomotiva 353 da ABPF, oriunda da própria Central, que no passado e desta mesma Estação, partia com os trens de passageiros com destino ao Rio de Janeiro. Atualmente a Velha Senhora está sendo recuperada, mas mesmo sem estar pronta e em funcionamento, foi totalmente limpa e lubrificada pelos membros desta Regional São Paulo para este evento. E tão logo esteja totalmente recuperada estará à todo vapor novamente, como no passado.

Parabenizamos a todos os membros e colaboradores das duas entidades, ABPF e ANPF, pelo empenho e dedicação na realização deste evento. E agradecemos à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM, por disponibilizar os espaços da Estação Brás, a antiga Estação do Norte, bem como por disponibilizar locomotivas à diesel e equipe de funcionários no traslado dos trens antigos ida e volta entre o pátio da Mooca, da ABPF, e a Estação.

Saudações Ferroviárias!

 

Veja aqui matéria no site da CPTM.

 

ABPF Regional São Paulo


21/10/2008

Carros EFA da ABPF cedidos para a CPTM

Foto Fernando Rebelo

A ABPF Regional São Paulo estabeleceu uma parceria com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM e a Secretaria dos Transportes Metropolitanos - STM, no projeto do "possivel" trem de caráter turístico que pretende ligar a Estação da Luz à Vila de Paranapiacaba, no Alto da Serra do Mar, aos fins de semana.

Cabe à ABPF a cessão, por 3 anos, destes dois carros de aço inox do acervo da entidade, que passam por revisão geral nas oficinas da CPTM.

O objetivo desta parceria é apoiar este projeto que, se realmente se concretizar, vai propiciar a volta do trem de passageiros entre São Paulo e Paranapiacaba.

O último trem de passageiros que prestou serviço até a histórica vila ferroviária do alto da serra operou entre Rio Grande da Serra e Paranapiacaba como extensão operacional da linha Luz a R. G. da Serra, em meados de 2001.

Neste projeto da volta do trem até a vila estão envolvidos, além da CPTM e da STM, também a Secretaria de Esporte Lazer e Turismo do Estado e a Prefeitura de Santo André.

A CPTM dispõe em sua frota de trens apenas carros de passageiros do padrão metropolitano (urbano - subúrbio), que não caracterizam um trem turístico. E a idéia deste trem é propiciar aos passageiros uma ambientação dos trens de passageiros de viagem, os longo-percurso, que estavam operacionais até o final dos anos 90, antes da privatização da Rede Ferroviária Federal - RFFSA, e da liquidação da FEPASA - Ferrovias Paulista S.A.

Ou seja, após a liquidação destas a malha ferroviária foi repassada às empresas concessionárias que, a partir de então, passaram a operar apenas o transporte ferroviário de cargas (trens cargueiros), e por conta disto praticamente todos os carros de passageiros dos trens de longo percuso foram abandonados e sucateados.

E a ABPF, entidade voltada para a preservação de trens históricos antigos, que até então tinha como foco a guarda de exemplares de antigas locomotivas à vapor "marias-fumaça", carros de passageiros e vagões de madeira fabricados no final do século dezenove e início dos anos de 1900, viu-se na missão de trazer para o seu acervo também exemplares de carros de aço inox e carbono dos trens de luxo dos anos de 1950 e 1960, antes que este fossem totalmente sucateados.

Foto Fernando Rebelo

Estes dois carros inox Mafersa cedidos para a CPTM foram fabricados em 1962, e eram da Estrada de Ferro Araraquara - EFA, onde operavam a linha entre São Paulo (Estação da Luz), Campinas, Araraquara, S. J. do Rio Preto e Santa Fé do Sul, sendo que na FEPASA estes carros trabalharam até meados de 1998 nos últimos trens de passageiros do nosso Estado. Foram localizados e resgatados pela ABPF em Rio Claro, SP, em meados do ano de 2005, sendo na época solicitada a guarda destes junto a RFFSA.

E agora servirão para compor o "possivel" Trem Turístico Luz a Paranapiacaba. Mas para que este trem entre efetivamente em operação comercial faltam ainda os entendimentos, acordos e questões legais entre a CPTM, a MRS-Logística, empresa concessionária do transporte ferroviário de cargas que detem a jurisdição da linha entre Rio Grande da Serra, Paranapiacaba e o porto santista e a ANTT - Agência Nacional dos Transportes Terrestres.

Para a ABPF, mais que a volta de um trem de passageiros, a possibilidade deste, em especial, significa uma ligação ferroviária direta entre a cidade de São Paulo, e a Vila de Paranapiacaba, local em que a entidade opera e mantem o Museu Tecnológico Ferroviário, onde está em exposição parte do maquinário do antigo Sistema Funicular, o sistema de cabos de aço dos ingleses que permitia a operação de trens no trecho inclinado da Serra do Mar. E aos fins de semana, no pátio do museu, ocorrem os passeios com o Trem Histórico Cultural - Maria Fumaça, com a terceira locomotiva mais antiga em existência no Brasil - a mais antiga em funcionamento, a Nº 10 da "The San Paulo Railway Co.".

Portanto, vamos torcer e aguardar pelo entendimento entre a CPTM, MRS e ANTT para a viabilização deste importantíssimo trem, que será operado pela CPTM.

 

ABPF Regional São Paulo


16/10/2008

Primeiro Encontro Ferroviário e de Ferreomodelismo de Bauru -102 anos da NOB!

Nos dias 27 e 28 de setembro a ABPF esteve presente no Primeiro Encontro Ferroviário e de Ferreomodelismo de Bauru, SP, realizado nas dependencias da estação e do museu ferroviário. A Estação de Bauru, de onde partiam e chegavam os trens provenientes de e com destino a São Paulo, Campinas, Panorama e Campo Grande, está desativada desde o final dos anos 90, quando os últimos trens de passageiros de longo-percurso do Estado de São Paulo foram erradicados, após a privatização da Rede Ferroviária Federal e a liquidação da FEPASA - Ferrovias Paulistas S/A.

Há cerca de 10 anos o saguão desta estação não recebia mais a movimentação do público. Entretanto, para este evento, o cadastro das pessoas era feito justamente no antigo balcão de venda de bilhetes/passagens. A estação, mesmo desativada, parecia estar fervilhando novamente, tamanha a movimentação do público participante e das várias entidades, através dos seus estandes. Foram mais de 4.500 pessoas participantes nos dois dias.

A locomotiva 278-NOB, juntamente com os carros históricos de passageiros, também da NOB, estavam em exposição na plataforma, juntamente com uma locomotiva U-20 diesel-elétrica e vagões de cargas da ALL - América Latina Logística. Havia várias maquetes de ferreomodelismo em exposição, venda de trens elétricos HO e DVDs de vídeos ferroviários, o museu permaneceu aberto à visitação... enfim, um evento que marcou com muita honra e dignidade os 102 anos da viagem inaugural da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil - NOB.

O estande da ABPF foi muito visitado e fotografado pelo público presente. No estande estavam expostos vários equipamentos antigos da ferrovia, além dos cartazes com os Trens Turísticos Históricos Culturais mantidos e operados pela entidade.

Agradecemos ao Geraldo Godoy pela montagem do estande, e pelo empenho dos sócios Natalino Tadeu Conte, André Torregrossa, Vanderlei Zago e demais membros da entidade presentes (também este que vos escreve), por estarem prestigiando o evento e marcando a presença da ABPF, que, claro, não poderia ficar de fora!

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP


15/10/2008

100 Anos de Ferrovia em 100 Metros de Linha!

No dia 16 de setembro passado foi oficialmente inaugurado o "Trem Histórico Cultural - Maria Fumaça", bem como o "Espaço Cultural - Estação Kafé" do Posto Graal em Santa Cruz do Rio Pardo, SP.

Localizado na rodovia SP-225, "Caminho de Ourinhos", km 316, no posto foi implantada uma mini-ferrovia com o funcionamento da locomotiva à vapor inglesa Kerr Stuart, de 1907, oriunda da Usina Serra Grande - Alagoas, que puxa uma réplica de carro de passageiros, antigo "vagão de madeira", além da réplica do armazém da antiga estação ferroviária de Santa Cruz do Rio Pardo, bem como do portal da estação.

A visita a este posto é simplesmente uma viagem ao passado. O objetivo é resgatar a história do ramal ferroviário de Santa Cruz do Rio Pardo, inaugurado em 1908, e que esteve em funcionamento pela Estrada de Ferro Sorocabana até 1966. A estação de Sta. Cruz do Rio Pardo, era a porta de entrada e saída das pessoas, mercadorias e cargas em geral desta região para o mundo.

É sabido que o transporte ferroviário foi sendo deixado de lado ao longo dos anos no Brasil por conta da força, pressão, e interesse das empresas do setor rodoviário. Entretanto, surpreendentemente, uma rede de postos de abastecimento de combustiveis dá a sua exemplar contribuição à história e à cultura colocando novamente na ativa um autêntico Trem Maria Fumaça, para que as novas gerações possam conhecer um dos grandes responsáveis pelo surgimento e desenvolvimento das principais cidades do interior do Estado de São Paulo: o trem. E claro que nós da ABPF não poderiamos deixar de apoiar e prestigiar esta empreitada.

Há alguns meses estiveram em visita na nossa regional São Paulo os senhores Roberval Godoy e Plínio Rhigon, que, juntamente com outros entusiastas, Marité Baggio Guimarães, Marcos Blumer e outros colaboradores, idealizaram este projeto. Na ocasião da visita, eles, Roberval e Plínio, nos relataram que estavam viajando e visitando "tudo quanto era lugares de estações e trens antigos" a fim de buscar inspiração, informações e dados para compor o projeto Estação Kafé. Nós, da ABPF-SP, passamos várias idéias, contatos, dicas e informações já nesta primeira visita, bem como em outros contatos posteriores no intuito de ajudá-los.

Por conta deste apoio fomos convidados a estar presentes no dia do evento da inauguração. Este que vos escreve, Anderson Conte, juntamente com meu pai, senhor Natalino Tadeu Conte, fomos representar a nossa ABPF, e também compor a equipe operacional do Trem Histórico - Maria Fumaça: Chefe de Trem e Guarda-Chaves, respectivamente, somando a mesma com o senhor Geraldo, o famoso "Gera", ex-ferroviário da E. F.Noroeste - NOB, atual maquinista da locomotiva do posto, carinhosamente apelidada de Sinhá Moça, que também é responsavel pela locomotiva 278-NOB do Museu Ferroviário de Bauru.

Alem da ABPF-SP também estiveram presentes no evento fornecedores da Rede, representantes do Museu Ferroviário de Bauru, outros colaboradores, e claro, os proprietários da Rede, os quais parabenizamos e agradecemos pela iniciativa.

O projeto Estação Kafé, espaço cultural do Posto Graal de Santa Cruz do Rio Pardo, através do Trem Maria Fumaça e do pequeno Museu Réplica da Estação, pretende abrir e atender à visitação de alunos e professores de escolas da região, além dos próprios clientes. A mini ferrovia do posto tem 100 metros de extensão, por onde corre a Maria Fumaça. O antigo ramal de Santa Cruz do Rio Pardo, da E. F. Sorocabana, inaugurado em 1908, se ainda hoje estivesse em atividade, estaria completando neste 2008 100 anos. A proposta do projeto Estação Kafé é contar os 100 anos desta ferrovia em 100 metros de linha.

Parabéns à Rede de Postos Graal por este empreendimento de valor histórico e cultural inestimável! As novas gerações e a nossa história agradecem!

 

Posto Graal - Estação Kafé
tel/fax: (014) 3372.1353
e-mail: kafe@redegraal.com.br
Rodovia Ipaussu/Bauru SP-225 km 316, Santa Cruz do Rio Pardo, SP

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP


26/9/2008

Trem Histórico-Cultural em Paranapiacaba!

Locomotiva e Carro de Passageiros em operação em Paranapiacaba. Fotografia e arte de Fernando Rebelo.

Depois da avaliação realizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária - ABPF Regional São Paulo, recebeu a autorização definitiva para operar o Trem Turístico (Cultural) no pátio ferroviário do Museu Funicular de Paranapiacaba, conforme RESOLUÇÃO Nº 2892, DE 16 DE SETEMBRO DE 2008 e DOU de 22 DE SETEMBRO DE 2008.

Denominado como Trem da Vila Inglesa e mais conhecido como Trem dos Ingleses, a ABPF passa a operar o seu oitavo Trem Cultural no Brasil. O trem funciona com uma máquina a vapor (Maria Fumaça), de propriedade da ABPF, datada de 1867, que passou por reforma recente com a troca de tubulação da caldeira. Com este serviço, a “Maria Fumaça” está pronta para funcionar e fazer passeios com um carro (vagão) de primeira classe datado de 1914. Com o retorno do Trem, a Vila de Paranapiacaba ganha mais um atrativo histórico-cultural de peso.

Os passeios funcionam com monitoria aos sábados, domingos e feriados entre 10 e 17 horas. A entrada do Museu Funicular custa R$ 3,00 e o passeio de Maria Fumaça R$ 5,00. De terça a sexta o trem funciona para grupos escolares, agências de turismo, associações de classe, etc., com preços especiais. O Museu funicular funciona de terça a domingo.

A ABPF SP também opera o Trem do Imigrante em São Paulo, no bairro da Mooca.

 

Informações e reservas pelo telefone (11) 2695.1151

 

Fábio Barbosa, ABPF-SP


17/9/2008

Visita ao Museu Ferroviário de Bauru

No último dia 29 de agosto membros da ABPF-Regional São Paulo visitaram o Museu Ferroviário de Bauru. A visita serviu para o estreitamento do relacionamento com os nossos irmãos preservacionistas, que lá se dedicam pela memória da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil - NOB (centenária ferrovia Bauru / Corumbá) onde, por anos, operou um dos mais famosos trens de passageiros do Brasil, o Trem do Pantanal, também conhecido pelo lendário apelido de Trem da Morte.

O Museu Ferroviário Regional de Bauru é mantido com o apoio da Prefeitura de Bauru. Ocupa uma edificação anexa à antiga Estação Ferroviária Central de Bauru, de onde, no passado, chegavam e partiam os trens da Companhia Paulista de Estrada de Ferro - CP, da Estrada de Ferro Sorocabana - EFS, e da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil - NOB. Um dos maiores entroncamentos ferroviários do país.

Atualmente a Estação Central de Bauru permenece desativada, desde que partiram os últimos trens de passageiros das extintas FEPASA e Rede Ferroviária Federal - RFFSA, privatizadas e liquidadas no final da década de noventa. Entetanto, o Museu Ferroviário anexo à Estação está muito bem organizado e mantido.

O acervo do museu nos remete aos áureos tempos da ferrovia em Bauru, com a exposição de peças históricas e mobiliário em grande parte oriundos da E. F. Noroeste. Em uma das salas do museu está exposta uma réplica perfeita de um Carro-Administração da NOB.

A maior atração do museu, sem dúvida nenhuma, é o Trem Histórico Cultural - Maria Fumaça. Este trem opera duas vezes por mês, a cada quinzena. Qualquer interessado pode fazer o passeio, agendando-o previamente com o museu ferroviário. A composição histórica formada pela locomotiva NOB-278 e duas classes de madeira, "Primeira e Segunda" , percorre o trecho entre a Estação Central de Bauru - NOB, e a antiga Estação de Bauru - Paulista - CP. Nesta estação os passageiros desembarcam do trem para assistir à monitoria sobre o funcionamento da locomotiva a vapor. Um passeio lúdico e emocionante!

Nos próximos dias 27 e 28 de setembro será realizado na Estação Central de Bauru o "Encontro Histórico Ferroviário e de Ferreomodelismo", comemorativo dos 102 anos da NOB, e dentre as várias atrações está previsto o Trem Maria Fumaça.

Nossos cumprimentos aos membros, colaboradores e parceiros do Museu Ferroviário Regional de Bauru pelo nobre trabalho de preservação!

Saudações Ferroviárias!

 

Contatos do Museu Ferroviário de Bauru:

tel (014) 3212.8262
www.museuferroviariobauru.com.br

museuferroviarioregionaldebauru@yahoo.com.br

Encontro Histórico Ferroviário e de Ferreomodelismo

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP


21/7/2008

9 de Julho


André Torregrossa, Cecílio Santos e Cesar Antonio Cordeiro Carlusi.

A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária prestigiou e participou do desfile de Nove de Julho, na qual foi proporcionada uma homenagem ao Trem Blindado, que transportou homens, munições e suprimentos para as frentes de batalha daquele que foi considerado pelos paulistas o maior movimento cívico de sua história.

Foi a primeira grande revolta contra o governo de Getúlio Vargas e o último grande conflito armado ocorrido no Brasil. No total, foram 85 dias de combates, (de 9 de julho a 2 de outubro de 1932), com um saldo oficial de 934 mortos, embora estimativas não oficiais reportem até 2.200 mortos, além de inúmeras cidades do interior do Estado de São Paulo também terem sofrido danos devido ao combates.

ABPF Regional São Paulo


11/7/2008

ABPF presente no Terceiro Salão de Turismo

Entre os dias 18 e 22 de junho a ABPF esteve presente no Terceiro Salão de Turísmo - Roteiros do Brasil, realizado no Anhembi, em São Paulo. A ABPF, juntamente com outras entidades e operadoras de trens e bondes, estiveram representadas no estande da ABOTTC - Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais. O objetivo da participação da ABOTTC neste evento foi divulgar e fomentar um segmento que aos poucos volta a ganhar fôlego, após a privatização das ferrovias na década de 90, época em que praticamente todos os trens de passageiros de longa distância e turísticos foram desativados.

Hoje a ABOTTC oferece vinte roteiros de trens e bondes turísticos-culturais, que alem de serem uma ótima opção de lazer, contribuem para a preservação da memória do transporte ferroviário de passageiros. São roteiros em trens turísticos, a exemplo do Curitiba/Paranaguá, passando pelos trens históricos com as antigas e nostálgicas locomotivas a vapor e os bondes.

No estande estiveram presentes trabalhando na divulgação deste segmento funcionários(as) e colaboradores da Estrada de Ferro Campos do Jordão, da Estrada de Ferro Corcovado, da Serra Verde Express, da ABPF Regional Santa Catarina, o pessoal da Vale/FCA representando os trens Ouro Preto/Mariana e S.J.Del Rei/Tiradentes, e da nossa ABPF Regional São Paulo. Foram cinco dias de feira divulgando este produto: trem turístico - trem de passageiros. E podemos afirmar que mais uma vez o objetivo foi atingido. A reação do público visitante no estande foi positiva. Muitas pessoas se surpreenderam com os roteiros diversos oferecidos pela ABOTTC.

A decoração do estande ficou à cargo da ABPF Regional São Paulo que, a exemplo do estande da Fistur-2008, reproduziu o ambiente da Sala de Chefe de Estação, com exposição do mobiliário e peças antigas utilizados nas estações e ferrovia. Desta vez levamos para o estande a réplica da Locomotiva 366 da Mogyana, que fez sucesso e despertou a atenção e saudosismo nos visitantes. Até o “Chefe de Trem” estava trajado a caráter. Foram exibidos filmes institucionais dos diversos passeios ferroviários. Também foram oferecidos ao público brindes relativos aos passeios dos trens e bondes. Também foi oportunidade de troca de idéias e informações entre as operadoras, estreitando o relacionamento. Afinal, todos lutam pela mesma causa: o turismo histórico ferroviário!

Nossos agradecimentos a ABOTTC pela realização deste evento. Agradecemos a todos os colaboradores e pessoas que proporcionaram a sua realização.

 

Visite o site da ABOTTC: www.abottc.com.br

 

Anderson A. Conte - Chefe de Trem
ABPF Regional São Paulo

Fotos de Norbert Axel Zielke


12/6/2008

Trem Especial Comemorativo do Centenário da Imigração Japonesa

 Veja aqui a matéria do Bom Dia São Paulo do dia 09  

No último domingo, dia 08 de junho, foi realizado o Trem Especial Comemorativo do Centenário da Imigração Japonesa, entre Santos (Valongo) e São Paulo (Memorial do Imigrante, antiga Hospedaria dos Imigrantes). Neste trem estavam presentes uma comitiva de imigrantes japoneses, autoridades e a "Tocha da Amizade", que chegara dias antes ao porto santista vinda de navio da cidade de Kobe, no Japão.

O objetivo deste evento foi refazer a rota que os primeiros imigrantes japoneses fizeram há cem anos: viagem de navio do Japão ao Brasil e de trem do porto de Santos para a então Hospedaria dos Imigrantes, na cidade de São Paulo.

Após a recepção e embarque da comitiva japonesa, convidados, autoridades e imprensa, às 10h20, em seguida aos dois apitos do chefe de trem, partiu de Santos o Trem do Centenário com destino à São Paulo, chegando na plataforma da estação do Memorial do Imigrante às 13h20.

O trem da MRS Logística estava composto por dois carros-adminstração e um vagão grupo gerador, tracionados por locomotiva diesel-eletrica U-20.

Os carros deste trem foram fabricados na década de cinquenta pela The Budd Company, e foram da Estada de Ferro Central do Brasil-EFCB. Nela operavam os trens Santa Cruz (Rio/São Paulo) e Vera Cruz (Rio/Belo Horizonte).

A realização desta viagem teve o apoio da MRS Logística, que cedeu a composição, tripulação de máquina, apoio técnico e grade horária. E também da Secretaria de Transportes Metropolitanos e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos-CPTM, que cedeu grade-horária. A coordenação geral deste evento ficou a cargo da Secretaria de Esportes Lazer e Turismo do Estado de São Paulo e da Associação do Centenário da Imigração Japonesa.

A ABPF Regional São Paulo esteve presente nesta empreitada desde o início do planejamento, disponibilizando para esta viagem dois membros da sua equipe: chefe de trem e ferromoça. Tudo para deixar esta viagem o mais próxima das antigas viagens de trem.

Nós da ABPF nos sentimos honrados em estar presentes neste trem e evento.

Agradecemos a todos que, direta e indiretamente, colaboraram para a sua realização, e principalmente aos voluntários que fizeram uma bela recepção na plataforma do Trem do Imigrante.

 

Saudações Ferroviárias!

Karin Taliuli, ferromoça
Anderson Conte, chefe de trem
Fábio Barbosa, diretor regional


24/4/2008

Novas estações Primavera-Interlagos e Grajaú da CPTM

No dia 21 deste mês os sócios da ABPF-Regional São Paulo - Anderson Conte, André Galdino, André Torregrossa e Sr. Natalino Tadeu Conte - estiveram presentes no evento de inauguração das novas estações metroferroviárias Primavera-Interlagos e Grajaú, no Ramal de Jurubatuba, atual Linha Esmeralda da CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

O Ramal de Jurubatuba estava desativado entre a estação Jurubatuba e a estação Evangelista de Souza-Alto da Serra desde meados do ano de 2001, época em que os trens cargueiros deixaram de operar nesta rota para o porto santista. E a CPTM operava os trens metropolitanos apenas no trecho paralelo à marginal Pinheiros, de Jurubatuba até a estação Osasco.

Em outubro do ano passado a CPTM inaugurou a estação Autódromo, recuperando e modernizando um trecho de 4 quilômetros entre Jurubatuba e Autódromo. Agora entrega o trecho total de 8 quilômetros totalmente modernizado, entre Jurubatuba e Grajaú. Portanto mais um trecho do ramal de Jurubatuba volta à ativa para a operação de trens. E a ABPF não poderia deixar de prestigiar este evento.

O ramal de Jurubatuba, construído nos anos de 1950 pela Estrada de Ferro Sorocabana, tinha a finalidade de encurtar a distância percorrida pelos trens de passageiros e de cargas entre a capital paulista, o porto santista e o litoral sul. No decorrer dos anos, este ramal foi se transformando, juntamente com o crescimento da cidade de São Paulo, em uma linha de trens metropolitanos.

Restam ainda os cerca de 25 quilômetros do trecho entre Grajaú, Varginha e Evangelista de Souza, que está desativado. Mas que podera eventualmente ser reativado caso haja interesse pela volta da operação dos trens cargueiros por esta rota, em horários de vale dos trens metropolitanos e madrugadas, como era no passado, na época da Fepasa.

Portanto, mais um trecho de um ramal ferroviário foi reativado!

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP
Fotos de André Galdino Santos, ABPF-SP


18/4/2008

10 anos preservando a memória

No último dia 5 de abril a ABPF-SP completou 10 anos de operação do “Trem do Imigrante” e do “Bonde da História”, dois projetos que foram fruto de uma parceria, na época, com a Secretaria de Estado da Cultura. O projeto inicial para o Memorial do Imigrante previa apenas a reconstrução da estação e a colocação de um trem estático na plataforma, mas graças a essa parceria com a ABPF-SP foi possível resgatar uma importante parte da história dos imigrantes, que se utilizavam do trem na chegada e nos deslocamentos, além do resgate da importância da primeira ferrovia de São Paulo, a São Paulo Railway, fundamental para a economia cafeeira. Não mais um trem estático, mas sim um verdadeiro museu dinâmico, convidando o visitante a uma viagem no tempo...

O bonde também tem uma profunda ligação com a nossa São Paulo, visto que chegamos a ter o equivalente a quatro vezes a quilometragem atual do metrô em trilhos urbanos dos nossos saudosos bondes, os primeiros elétricos operados pela São Paulo Tramway Light and Power, mas conhecida por “Light”, sendo que a própria rua Visconde de Parnaíba fazia parte da rede de trilhos. Ao reconstruir-se o pequeno trecho até o atual metrô Bresser-Mooca, parte dessa história foi resgatada, sendo ele hoje o único bonde em operação turística na cidade de São Paulo.

Todo esse trabalho de resgate da memória histórica só tem sido possível graças ao empenho e dedicação dos associados da ABPF-SP, que, com seu trabalho voluntário, tornam possível uma viagem pela história, mesmo que por breves instantes. Por isso quero saudar e agradecer a todos e todas que estão conosco ou que já passaram e deixaram sua contribuição nesse resgate. E que possamos celebrar juntos muitas conquistas para a memória ferroviária brasileira nos próximos 20, 30, 40, 50 anos...

“Preservar a memória é ter uma história!”

Saudações Ferroviárias!

 

André Galdino Santos, ABPF-SP


14/3/2008

ABPF presente na FISTUR 2008

Nos dias 10,11 e 12 de março a ABPF-SP esteve presente na FISTUR - Feira Internacional de Serviços de Turismo, realizada no Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

A ABPF montou um estande reproduzindo o ambiente de uma sala de chefe de estação, colocando peças antigas em exposição, como a mesa de chefe de estação, carimbador de bilhetes, lanterna de sinalização, aparelho de staff, quadros de lomotivas, banco de estação, além da bandeira da ABPF. O objetivo desta participação foi divulgar o trabalho que a ABPF realiza através dos museus ferroviários dinâmicos, com seus roteiros em trens turísticos histórico-culturais, fomentando, desta forma, o turismo ferroviário, que gera a receita e parcerias para que a ABPF cumpra a sua missão de preservação.

Nestes três dias de feira o estande da ABPF teve uma expressiva visitação. O público presente pôde conhecer o nosso trabalho. Também foram efetuados vários contatos importantes, que poderão trazer novos parceiros. Foram distribuidos mais de cinco mil panfletos aos visitantes, divulgando o site, contatos e passeios ferroviários da nossa entidade.

Agradecemos a todos os que, de alguma forma, deram a sua contribuição para que a ABPF estivesse presente neste evento. E podemos afirmar que o objetivo foi atingido.

Portanto, saudações ferroviárias!!!

 

Anderson A. Conte, ABPF-SP

 


22/02/2008

Secretário e empresários reunidos na ABPF-SP

Neste último dia 13 de fevereiro foi realizada, na sede da Regional São Paulo da ABPF, uma reunião do Conselho Estadual de Turismo, quando foram apresentados e discutidos vários projetos de turismo para o Estado de São Paulo, dentre eles as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa, do qual a ABPF-SP faz parte.

Na ocasião esteve presente o Secretário de Esporte, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo, Claury Alves da Silva, que também preside o Conselho, além de um grupo de empresários ligados ao setor. A reunião, que foi aberta pelo secretário, iniciou-se no andar superior da Estação Ferroviária do Memorial do Imigrante (antiga Hospedaria dos Imigrantes), e finalizou-se no auditório do Memorial. Ao final da reunião foi realizado um passeio de Maria Fumaça com a nº 05 e carro 288, no trecho de 3 quilômetros do pátio da Mooca. Na oportunidade o secretário Claury e empresários puderam ver o trabalho sério que a ABPF vem realizando há mais de 30 anos, e que muito elogiaram.

Também foram abordados os infelizes incidentes ocorridos nos meses de dezembro e janeiro últimos, quando o pátio da ABPF-SP foi invadido, durante as madrugadas, por ladrões que roubaram diversas peças de vários carros, vagões e locomotivas do acervo da regional. O diretor Fábio Barbosa explicou as dificuldades financeiras da ABPF-SP em custear uma empresa de segurança patrimonial para guardar este acervo. Este problema surgiu pela extinção, no fim do ano passado, do posto de vigia que era disponibilizado pelo Memorial, em parceria com a ABPF-SP, e que monitorava em regime de 24h o pátio, que está fora da área patrimonial do museu.

Ainda neste mesmo dia uma equipe de reportagem do jornal "O Estado de São Paulo" esteve presente na Regional, elaborando a reportagem "Furtos de Peças de Trens Históricos", para a matéria que foi capa da edição de sábado, 16 de fevereiro de 2008. Como mencionou Fábio Barbosa, "a preocupação nem é tanto pelo valor das peças, mas principalmente porque elas não são mais fabricadas. Para refazer fica muito caro". A ABPF-SP, mesmo sem dispor de recursos para pagar uma empresa de vigilância 24h, tomou providências no intuito de minimizar estes fatos, contratando um vigia para o período noturno, e também investiu algo em torno de R$ 2.000,00 na compra de concertinas (cercas de arame farpado).

Esta foi uma das mais importantes reuniões, pois lança o potencial da ABPF-SP como produto turístico, bem como apresenta as suas dificuldades, trazendo novos parceiros buscando angariar recursos. Tanto a Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo, bem como os empresários presentes ficaram sensibilizados e entusiasmados ao constatar o trabalho realizado pela ABPF na preservação da Memória Ferroviária.

Agora, é aguardarmos os próximos passos...

 

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson Conte e Fábio Barbosa, ABPF-SP


20/01/2008

ABPF-SP apresenta projetos ao Conselho Estadual de Turismo

No dia 15 de janeiro de 2008 a ABPF-SP, representada por seu Diretor Regional Fábio Barbosa, compareceu à reunião do Conselho Estadual de Turismo no Memorial da America Latina, onde apresentou o trabalho que a entidade vem realizando no Trem do Imigrante na Mooca, e no Trem dos Ingleses e Museu Tecnológico Ferroviário em Paranapiacaba, distrito de Santo André, em São Paulo.

Dentre os temas da pauta, foi apresentado e discutido o projeto do "Trem das Frutas", idéia de um possível trem turístico que circularia nos finais de semana entre a capital paulista e a cidade de Jundiaí. A idéia é de, além de resgatar o romantismo e glamour das viagens dos trens de passageiros de luxo (trens de longa-distância, que hoje não mais existem no nosso Estado), proporcionar aos passageiros um roteiro pela região de Jundiaí e seus atrativos históricos e turísticos.

Esta reunião foi a primeira abordagem do projeto "Trem das Frutas". Tanto o Secretário de Turismo como os empresários ficaram entusiasmados para ver este trem funcionar. O Diretor Regional da ABPF-SP, aproveitando a oportunidade, convidou o Conselho a realizar a próxima reunião nas dependências da ABPF-SP e colocou à disposição de todos os presentes o passeio de Maria Fumaça e a visita à composição do Trem Azul da Cia Paulista, com a qual se pretende realizar o "Trem das Frutas", e o convite foi aceito pelo Conselho.

 

A Direção, ABPF-SP


11/12/2007

O Coração Pulsando nos Trilhos - Trem Beneficente de Natal!


Composição na Estação da Luz

Veja aqui a reportagem da Rede Globo

Saudações Ferroviárias!

Neste 9 de dezembro, domingo, com muita alegria, a ABPF-SP promoveu uma viagem especial de trem, o 1° Trem Beneficente de Natal, entre as estações da Luz, em São Paulo, e César de Souza, em Mogi das Cruzes.


Crianças na entrega simbólica dos brinquedos em Sabaúna

Idealizada pelos diretores da Regional, Fábio Barbosa e Sidnei Gonçalves, esta viagem de trem vinha sendo planejada já há algum tempo, com o objetivo de resgatar uma modalidade de viagem que já não acontecia praticamente desde os anos 90, época da liquidação da FEPASA e início de processo de liquidação da RFFSA, quando todos os trens de passageiros de longa distância de São Paulo foram erradicados.


Carros na plataforma da Luz

Naquela época, além dos trens regulares de passageiros, eventualmente ocorriam também as excursões ferroviárias, que consistiam em trens fretados e/ou reservados para um grupo de pessoas à caráter de passeio. Ao mesmo tempo, uma outra finalidade deste passeio seria reverter parte da arrecadação das passagens numa causa social.


Passageiros muito bem acomodados

Após contatos e negociações da ABPF-SP e ANPF - Associação Nacional de Preservação Ferroviária, com a CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, a MRS-Logística, concessionária do transporte ferroviário de cargas, ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres, bem como outros parceiros, ficou acertado que seria realizada uma viagem especial de trem entre a cidade de São Paulo e estação de Sabaúna, em Mogi das Cruzes.


Estação da Luz

Ficou acertado que, em virtude de não existir linha e AMVs (desvios) no pátio da estação de Sabaúna, o trem faria a viagem até a estação anterior, em César de Souza, onde seria possivel a manobra. Desta estação até Sabaúna seria providenciado o traslado dos passageiros para ônibus fretado.


Estação Eng. César de Souza

Também foi acordado que a ABPF-SP disponibilizaria os carros de passageiros, equipe de trem (chefe, monitores e auxiliares), além do agendamento e venda de bilhetes. A CPTM disponibilizaria a locomotiva e a tripulação da máquina, além de autorizar o tráfego deste trem em sua malha. À MRS-Logística coube conceder grade horária e uso da linha sob sua concessão na região de Mogi, além do apoio técnico-operacional. E tudo correu perfeitamente.


Anderson Conte, o chefe de trem, no embarque na Luz

Na chegada à composição os passageiros eram recepcionados pela ferromoça Karin Taliuli, graciosa tripulante feminina voluntária da ABPF-SP, e por este que vos escreve, Anderson Conte.


Karin Taliuli, ferromoça

Às 9h, após os dois apitos do chefe de trem, correspondidos por dois longos apitos do maquinista na locomotiva, partiu da histórica estação Luz o Trem Especial de Natal, com destino à Sabaúna.


Carro restaurante na Luz

A composição, formada pelos carros da ABPF-SP PI3253 e SI3255, da antiga Estrada de Ferro Araraquara, fabricados nos anos 60, mais o carro restaurante RC3304, da antiga Companhia Paulista de Estrada De Ferro -CP, da década de 50, foram tracionados pela locomotiva diesel-elétrica 3157 modelo U-20 da CPTM.


Parte da composição, na chegada ao Brás

Percorrendo um trajeto combinado de históricas ferrovias paulistas, São Paulo Railway (Estrada de Ferro Santos à Jundiaí), e Estrada de Ferro São Paulo-Rio (Central do Brasil), a composição chegou à estação César de Souza após às 11h, tendo cumprido uma rápida parada na estação Estudantes (última estação da CPTM em Mogi) para embarque de mais alguns passageiros.


Estação de Sabaúna

Feito o restante do trajeto em ônibus até Sabaúna, os passageiros foram recepcionados na estação com um show musical.


Músicos, durante o almoço

Saborearam a tradicional e deliciosa galinhada no almoço, oferecido pela comunidade de Sabaúna.


Coberetura montada especialmente para o evento


As cozinheiras e a galinhada. Foram dois tachos

Na estação, visitaram o acervo ferroviário da ANPF, composto por peças históricas da ferrovia em exposição na sala do Chefe de Estação.


A preservada casa do chefe da Estação de Sabaúna

Também puderam visitar a locomotiva diesel-mecânica Davenport da década de 40, exposta no pátio da estação.


Os maquinistas Albor e o Roosevelt apreciam a Davenport

Esta locomotiva, em fase de restauro, será usada nos futuros passeios ferroviários da ANPF em Sabaúna. E ainda visitaram o Recanto do Artesão, que é a feira de artesanato que fica anexa à estação.


Na cerimonia de entrega estão o vereador Protássio Nogueira, Cleide Soares, presidente da SAS-Sociedade de Amigos de Sabaúna, Fábio Barbosa, Sidnei Gonçalves e Claudinei G. Simões, vice-presidente da ANPF

Depois da cerimônia de entrega simbólica dos brinquedos às crianças de Sabaúna, às 14h, a excursão se despede, embarcando nos ônibus para retornar à estação de César de Souza para o embarque. Após a manobra da locomotiva, que desfilou pelo pátio para o deleite dos férreo-fãs, o chefe de trem apita e a composição inicia a jornada de volta para São Paulo.


A mesa de frutas, assim como as de bolos e salgados, foram repostas a viagem toda

No retorno o carro restaurante foi palco para um animado sorteio de muitos brindes interessantes, entre eles várias edições do livro "Carros Budd no Brasil 1 - Os trens que marcaram época", cujo autor, José Emílio de Castro Horta Buzelin, estando à bordo, de imediato dedicou e autografou cada exemplar sorteado.


Sorteio dos brindes. Foram quase 20


Buzelin dedica e autografa exemplares de seu livro

Na sequência, foram oferecidas algumas ações originais da década de 40 da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro e da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, com o intuito de arrecadar fundos para complementar as despesas da viagem, e todas foram vendidas.


As ações da década de 40

Durante toda a viagem do trem os passageiros tiveram à disposição o serviço do carro restaurante, onde foram servidos canapés, frutas e refrigerantes, entre outros “deliciosos quitutes”.

Às 17h o trem chega em São Paulo, na estação Luz. Um misto de alegria e tristeza tomou conta de todos. Mas a conclusão a que se chega desta excursão pela ferrovia é uma só: esta, se Deus assim o permitir, foi só a primeira de muitas outras que virão!

Toda a viagem foi acompanhada por uma equipe de reportagem da Rede Globo, e gerou uma simpática matéria que foi ao ar no Bom Dia São Paulo na manhã da segunda-feira dia 10. Veja link no topo desta matéria.


A repórter Maria Júlia, da Rede Globo, durante a gravação

Ficam aqui os nossos agradecimentos à ANTT por conceder a autorização desta viagem. À CPTM por nos disponibilizar a locomotiva, equipe e grade horária. À MRS por também disponibilizar apoio e grade horária. À Polícia Ferroviária Federal pela guarnição que acompanhou toda a viagem.


Parte da guarnição da PFF. À esquerda, um dos grandes defensores de Paranapiacaba, Elias Pereira

Agradecemos a todos os sócios voluntários da ABPF que realizaram um verdadeiro mutirão para pintar o carro restaurante, que recebeu a pintura alusiva ao Trem Azul, o Trem-R da Paulista. E também pelo empenho na reaplicação do nome Araraquara, restaurado nas laterais dos carros Inox-EFA. Estes carros voltaram ao glamour e romantismo de suas épocas.


O carro com o logo da Araraquara reaplicado

Agradecemos também a todos os passageiros, para os quais, afinal, foi desenvolvido todo este trabalho.

A todos o nosso muito obrigado.


Retrato de um sonho ainda possível

Um FELIZ NATAL! Um ANO NOVO repleto de paz, saúde, harmonia... com muitas excursões ferroviárias!


Saudações ferroviárias!
 

Anderson Alves Conte, ABPF-SP
Fotos de Fernando Rebelo, ABPF-SP


18/10/2007

ABPF-SP presente na inauguração da nova Estação Autódromo!


Acesso à nova estação

No dia 17 de outubro de 2007 a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, Regional São Paulo, através do diretor Fábio Barbosa e dos associados Anderson Alves Conte, André Galdino Santos e André Torregrossa, esteve presente no evento da inauguração da nova Estação Autódromo, na Linha-C/Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, antigo ramal de Jurubatuba da Estrada de Ferro Sorocabana.


Anderson, André Galdino, Fábio e André Torregrossa

O ramal ferroviário de Jurubatuba foi construido pela Estrada de Ferro Sorocabana, sendo inaugurado em 1957. Na época, a finalidade era a de encurtar a distância percorrida pelos trens de passageiros e cargas da Sorocabana entre a capital paulista e o litoral sul: Porto de Santos, Estação Ana Costa em Santos, São Vicente, Itanhaem e Peruíbe.

O ramal, que fora incorporado pela FEPASA, Ferrovias Paulistas S/A, juntamente com toda a malha da Sorocabana e de outras companhias nos anos 70, foi-se transformando, ao decorrer do tempo e do crescimento da cidade de São Paulo, em uma linha metro-ferroviaria, incorporada pela CPTM na década de 90.


Visual da plataforma e do entorno da nova estação

O ramal estava operacional apenas no trecho Osasco a Jurubatuba, que corre paralelo à Marginal Pinheiros. O restante, entre Jurubatuba e Evangelista de Souza está desativado desde meados de 2001. Entretanto, a CPTM está modernizando e reabilitando mais um trecho entre as estações Jurubatuba e a nova Estação Autódromo. E está tocando as obras para expandir os serviços até a nova Estação Grajaú, localizada junto ao antigo e hoje desativado pátio de Interlagos.

Portanto mais um trecho do antigo ramal de Jurubatuba foi reativado para a operação de trens, e a ABPF não poderia deixar de estar presente, prestigiando este feito.

A nova Estação metro-ferroviária Autódromo está a 600 metros do portão G do Autódromo de Interlagos. E neste ano de 2007 já proporcionará acesso ao GP Brasil de Fórmula 1. E comemorando a inauguração a CPTM, juntamente com o Instituto Ayrton Senna, está promovendo ali a exposição Circuito da Vitória Ayrton Senna. A exposição está aberta à visitação até o dia 30 de novembro, no horário de operação comercial da Estação Autódromo.

Maiores informações sobre a exposição e a nova estação no site da CPTM: www.cptm.sp.gov.br.

Saudações Ferroviárias!

 

Anderson Alves Conte, ABPF-SP
Fotos de André Galdino Santos, ABPF-SP


01/10/2007

30 de Setembro: O Ferroviario Jamais é Esquecido!

Foto Fernando Rebelo
Férrea Jazz Band no Museu da ABPF

Mais um Dia do Ferroviário! E como não podia deixar de ser a ABPF lembrou e comemorou em grande estilo uma de nossas datas mais importantes. Na meca da ferrovia brasileira, Paranapiacaba, no Museu Tecnológico Ferroviário (Funicular), berço da SPR, uma Big Band formada por colegas da CPTM, a Férrea Jazz Band fez com que mais uma vez tivéssemos um museu vivo, fazendo ressoar por toda a pacata vila um som da melhor qualidade entoado por 15 músicos de primeira qualidade.

Pelas mãos do incansável Elias Araújo e com o apoio da Prefeitura de Santo André, a banda do maestro Elias José, que já existe há seis anos, esbanjou harmonia e melodia, com um repertório maravilhoso e um som de cristal.

Foto Fernando Rebelo
Elias acompanha a apresentação

Com um som muito raro de se ouvir em São Paulo, a banda é composta por cinco saxofonistas, três trombonistas, três trompetistas, um guitarrista, um baixista, um tecladista e um baterista, e tocou por 1h30 no Museu, que teve entrada franca.

Clique aqui para ouvir uma música...

 

Fernando Rebelo, ABPF-SP


20/9/2007

Em novembro, encontro de Ferreomodelismo em Paranapiacaba!

No próximo dia 10 de novembro de 2007, sábado, das 9 às 17 horas, no Clube União Lyra Serrano, em Paranapiacaba, Santo André, SP, será realizado o "II Concurso de Ferreomodelismo de Paranapiacaba", em conjunto com o "XII Encontro Brasileiro de Ferreomodelismo", realizado por MR Custom Service, MPh Renato Gigliotti, com patrocínio da AGECOM, Prefeitura de Santo André e apoio de diversas entidades co-relacionadas ao tema, entre elas a ABPF.

Essa segunda edição do encontro promete ser ainda mais interessante. Será realizado nas dependências do famoso Clube União Lyra Serrano, local histórico e que comporta com tranquilidade todas as atividades programadas, que serão as seguintes: o prestigiado concurso de ferreomodelismo realizado por MR Custom, exposição de modelos em escala, mostra fotográfica sobre locomotivas e ferrovias brasileiras, palestras e clínicas sobre ferreomodelismo e ferrovias, venda de livros e material de ferreomodelismo, sorteio de brindes para os presentes, a apresentação da FÉRREA JAZZ BAND e muitas outras atividades.

O evento reúne e confraterniza ferreomodelistas e admiradores de trens em geral, propiciando aos admiradores deste hobby a oportunidade de concorrerem e exporem seus modelos no concurso e ao público em geral a possibilidade de conhecer melhor o hobby e participar dos sorteios de brindes e das diversas atrações presentes.

A ABPF também estará participando desta festa, oferecendo acesso livre nas dependências do Museu Tecnológico Ferroviário para os primeiros 50 pré-inscritos, portadores dos respectivos crachás devidamente identificados para esta promoção, além de 5 bilhetes únicos para passeio no Trem Turístico Histórico Cultural da Vila Inglesa, composto pela Locomotiva Nº 10, de 1867, e pelo Carro de Primeira Classe, de madeira, de 1914.

O regulamento do evento está disponível em
http://br.geocities.com/resagi/MPHIICFP.html.

Maiores informações e inscrições com resagi@uol.com.br ou rsgigliotti@uol.com.br

 

Renato Gigliotti


03/9/2007

Cultura Ferroviária Brasileira!

Da esquerda para a direita, Fábio Barbosa (diretor administrativo, ABPF-SP), Peter Martin Cooper, André Galdino (chefe de trem) e Fernando Carvalho (foguista).

No último dia 20 de agosto a direção e a equipe da ABPF-SP e do Memorial do Imigrante participaram de uma mesa redonda com o pesquisador inglês Peter Martin Cooper, da University of Huddersfield, quando ele nos apresentou seu projeto de pesquisa para sua tese de doutorado, com o título provisório de “Cultura Ferroviária Brasileira”. Martin esteve visitando passeios ferroviários pelo Brasil, fazendo pesquisas orais, utilizando-se das análises das inteligências múltiplas e entrevistas, sendo antes e depois dos passeios. Durante os meses de julho e agosto esteve acompanhando os trabalhos da ABPF-SP no Núcleo de Transportes, na Mooca e no Museu Ferroviário Tecnológico, na vila de Paranapiacaba.

Martin, em sua exposição, falou sobre a importância do dinamismo dos museus, onde
sons, cheiros e movimentos afetam profundamente aos visitantes, e demonstrou como o trem é uma figura muito presente na cultura dos brasileiros, tendo levantado diversas obras literárias, músicas, filmes e de artes plásticas que retratam o trem, suas estações e as percepções mais variadas sobre a sua influência no ser humano.

Martin agradeceu a colaboração e a acolhida da ABPF-SP e do Memorial do Imigrante, e ainda visitará a
Sede Nacional da ABPF, em Anhumas, Campinas, SP, quando conhecerá os trabalhos da VFCJ - Viação Férrea Campinas à Jaguariúna.


André Galdino Santos, ABPF-SP


27/7/2007

Madeira Mamoré - Nota de Repúdio!

A Associação de Preservação do Patrimônio Histórico de Rondônia e Amigos da Madeira Mamoré, através desta Nota de Repúdio, leva ao conhecimento da população do Estado de Rondônia e do Brasil, que nesta data, dia 27 de julho de 2007, mais uma vez foi praticado um crime hediondo contra a legendária Estrada de Ferro Madeira Mamoré.

Foi desativado,
de forma truculenta, o MUSEU FERROVIÁRIO DA EFMM, sem se observar os requisitos mínimos de proteção à sua altura como monumento nacional tombado. A prefeitura ordenou a retirada de todo acervo histórico do Museu da EFMM. Foi uma cena brutal ver soldados do Exército empilhando e entulhando, de forma grotesca e humilhante, o nosso tão querido acervo. Levaram toda as peças para o galpão da Marinha. Foram cenas que lembraram a época em que o 5° BEC desmontava a Madeira Mamoré. Nós enfrentamos o tratamento truculento dos militares, que nos expulsaram da área onde estava sendo cometido o crime, mas tudo foi registrado em fotos.

Diversas peças raras, entre elas
sinos de bronze, teodolitos, calculadoras, lunetas, lustres, macacos de locomotivas, trilhos, grampos de linha, placa de identificação de locomotivas, manômetros, relógios e inúmeras outras, de cunho peculiar porque provenientes da segunda revolução industrial. São verdadeiras relíquias ferroviárias que estavam expostas neste espaço para exposição pública durante vários anos. E que, de forma brutal, inconcebível, vergonhosa e menosprezante, foram amontoadas, sem um mínimo de consideração por aqueles que ajudaram a construir a história deste Estado.

Tal fato é o resultado de um plano estratégico de grupos políticos partidários, que visam e tentam, ao longo dos anos, a
descaracterização e o desmonte definitivo dos últimos vestígios do acervo patrimonial histórico restante da EFMM. A "reforma" proposta por estes difere de forma clara e evidente do sentido termo restauração. Restauração é, de fato, o melhor caminho para manter vivo o passado histórico de nossa terra e de nosso povo. Jamais desfragmentado os últimos suspiros de nossa história.

NÃO DEIXAREMOS DESTRUIR NOSSA HISTÓRIA!

Dhemétrius,
Associação de Preservação do Patrimônio Histórico de Rondônia e Amigos da Madeira Mamoré


19/07/2007

Antiga Estação Ferroviária de Goiânia!

Fotos da antiga Estação Ferroviária de Goiânia tomadas pelo amigo Saulo Mendonça.


17/07/2007
Passeio no Trem no Memorial do Imigrante!

Fotos do Anderson, que aparece abaixo.

Anderson Alves Conte, ABPF-SP


09/05/2007

Exposições de Selos em Paranapiacaba!

Duas maravilhosas exposições de selos esperam por você no Museu Tecnológico Ferroviário em Paranapiacaba.

"Locomotivas" é o nome da primeira exposição, numa parceria entre a ABPF e a ECT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Os selos retratam as locomotivas e sua importância no contexto dos transportes. Enfatizam e história, a evolução e mostram belos exemplares das locomotivas mais famosas do Brasil e do mundo!

"O Selo Brasileiro em Defesa da Natureza" é a segunda. Esta coleção é composta por selos que conscientizam para a necessidade de preservar o meio ambiente, garantindo a qualidade de vida no planeta.

Esta exposição também é uma parceria entre a ABPF e a ECT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.


04/04/2007

Restaurações em Paranapiacaba!

Foto - divulgação

A ABPF segue firme na administração do Museu Tecnológico Ferroviário, em Paranapiacaba, realizando, na medida do possível e com as parcerias mais competentes, no caso, da MRS Logística, o que seja necessário para a conservação e exposição do patrimônio ferroviário do funicular, amplo e único no mundo. Foi entregue completamente restaurada a cabina de operação do 5° Patamar, no início da descida para a Baixada. Esta cabina fica dentro da área de visitação do Museu Ferroviário e sua restauração obedeceu às características originais. Dessa cabina o operador controlava a descida e a subida das composições que operavam no trecho entre a 4ª e a 5ª Máquinas Fixas do Segundo Sistema Funicular.

 

Fernando Rebelo, ABPF-SP


 

29/03/2007

Assunto: Extinção da RFFSA

Senhores,

Hoje, 29 de março de 2007 (aniversário de 149 anos da Estrada de Ferro Central do Brasil) a RFFSA foi extinta por votação em plenário na Câmara dos Deputados no Congresso Nacional. Portanto a MP 353 foi aprovada.

Vai para a apreciação do Senado. Certamente, em sessão deliberativa, será assim:

" -Senhores Senadores, vamos votar a MP 353 que trata da extinção da RFFSA...

...aberta a discussão...

...não havendo discussão, declaro encerrada a discussão...

...os senhores senadores que aprovam permaneçam como se encontam...

...aprovado!

Próxima pauta..."

Será na velocidade em que você leu esta mensagem.

 

Buzelin


 

21/11/2006

A Volta do Bonde da Pedreira de Rio Grande da Serra!

Foto Fernando Rebelo, Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba

Na década de 20 a Prefeitura do Município de São Paulo, ante a necessidade de realizar obras de pavimentação, adquiriu algumas pedreiras a fim de minimizar os custos das obras, já que as pedreiras adquiridas passariam a ser propriedade da cidade. Uma destas pedreiras foi a de Rio Grande da Serra, adquirida em 1927. Localizada próxima aos trilhos da São Paulo Railway, o transporte do material (pedra britada) estaria facilitado, visto que via trem o material chegava ao pátio do Pari, bem próximo ao centro do município. Dois anos mais tarde, a Prefeitura de São Paulo, executou melhorias, substituindo uma antiga ferrovia Decauville, com bitola de 60cm e 5km de extensão, entre a pedreira e a estação ferroviária de Rio Grande da Serra, por um ramal de bitola larga (1,60m), permitindo assim que os vagões da SPR entrassem direto na pedreira, eliminando o transbordo entre trens junto da estação de Rio Grande. Na decada de 30, a vila de moradores junto da pedreira expandiu-se, e para eles foi disponibilizado um bonde com motor à gasolina para o transporte entre a vila e a estação ferroviaria. Nos anos 70 todo o complexo da pedreira foi desativado. O antigo bonde da pedreira durante anos ficou guardado por antigos moradores de Rio Grande da Serra.

Foto Fernando Rebelo, Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba

A Prefeitura de Rio Grande da Serra, através do Prefeito Kiko, procurou a Associação Brasileira de Preservação Ferroviaria com intuito de formar uma parceria para a implantação de um possível trecho ferroviário de turismo, quando a ABPF sugeriu o restauro do antigo bonde, que já se encontrava abandonando e totalmente depredado por vândalos. O Prefeito Kiko de imediato abraçou a idéia do restauro visando disponibilizar o bonde novamente para a cidade, agora servindo a passeios turísticos, culturais e históricos.

Foto Fernando Rebelo, Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba

Transportado de Rio Grande da Serra para o pátio da ABPF-SP, foi totalmente restaurado. A parte mecânica praticamente não mais existia, sendo necessária a sua completa reconstituição, toda ela levada a cabo pelo sócio Robson Alves Conte, técnico em mecânica. Já o chassis e as estruturas de ferro foram restauradas pelo sócio José Guimarães, e o madeiramento e estrutura da carroceria, assentos, assoalho e acabamentos foram executados pelo sócio Márcio Leite, de forma artesanal. O bonde está pronto para retornar à ativa, dependendo apenas da liberação do trecho por onde irá trafegar em Rio Grande da Serra.

Foto Fernando Rebelo, Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba

Através deste feito mais um retalho da historia da nossa SPR foi resgatada, pois o bonde, durante anos, prestou bons servicos aos moradores da Vila da Pedreira de Rio Grande da Serra, facilitando o acesso até a estação ferroviária da SPR naquela cidade.

O patrocínio deste restauro deve-se ao Consorcio Internacional das Bacias Alto Tamanduateí e Billings.

Saudações Ferroviarias!

Anderson Alves Conte, ABPF-SP


30/10/2006

Paranapiacaba mais fotogênica!

Fernando Rebelo e Adauto Rodrigues, Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba, no Museu Ferroviário da ABPF em Paranapiacaba.
Fernando Rebelo e Adauto Rodrigues, membros da ABPF, diante da nova sede do Núcleo, no Museu Ferroviário, em Paranapiacaba.

O Museu Tecnológico e Ferroviário de Paranapiacaba, que abriga o patrimônio ferroviário relacionado ao Sistema Funicular da São Paulo Railway - SPR, depois Estrada de Ferro Santos a Jundiaí - E. F. S. J., e Rede Ferroviária Federal S. A. - RFFSA, hoje administrado pela ABPF - Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, desde 25 de outubro de 2006 passou a sediar também o Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba. O Núcleo, fundado em Paranapiacaba em fevereiro de 2000 pelos fotógrafos Adauto Gonçalves Rodrigues, Fernando Rebelo, Marcos Penha da Silva e outros, está em atividade permanente desde então, e entre outros trabalhos produziu todas as fotografias contemporâneas expostas no site da ABPF Regional São Paulo, e restaurou digitalmente as fotografias antigas do acervo ali expostas. O Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba é parceiro da ABPF, e tem por objetivo congregar fotógrafos que gostem de Paranapiacaba, quer como motivo das fotos quer como local para discutir, expor e promover fotografia, e estava saudoso de uma sede na vila, desde que a casa antes ocupada foi entregue para outra destinação.

Mais informações sobre o Núcleo e suas atividades podem ser encontradas em seu site, www.aparece.com.br/nfp, ou pelo telefone (11) 3311.0266.

ABPF Regional São Paulo


23/10/06

Boa vontade não tem idade

Vejam nestas fotos o trabalho e a dedicação de nosso amigo e associado Sr. João Sigrist. Mesmo com limitações em decorrência de sua saúde não deixa de dedicar os sábados para as tarefas de Carlos Gomes.

Nossos jovens entusiastas que quisessem poderiam aprender trabalhando com ele, e poderiam desfrutar do orgulho de ter feito parte de uma restauração. Preservação ferroviária, afinal, acontece tanto na memória quanto na prática.

Parabéns, Sr. João. Obrigado pelo seu companheirismo e dedicação.

Helio Gazetta, ABPF


25/9/06

Encontro de Ferreomodelismo em Paranapiacaba

No próximo dia 11 de novembro de 2006, sábado, das 9 às 18 horas, no Clube União Lyra Serrano, em Paranapiacaba, Santo André, SP, será realizado o "I Concurso de Ferreomodelismo de Paranapiacaba", em conjunto com o "XI Encontro Brasileiro de Ferreomodelismo", realizado por MR Custom Service, MF Renato Gigliotti, com patrocínio da AGECOM e apoio de diversas entidades co-relacionadas ao tema, entre elas a ABPF.

Esse encontro promete ser o maior dos encontros brasileiros de ferreomodelismo, pois será realizado nas dependências do famoso Clube União Lyra Serrano, local histórico e que comporta com tranquilidade todas as atividades programadas, que serão as seguintes: o prestigiado concurso de ferreomodelismo realizado por MR Custom Service, exposição de modelos, fotos, palestras, clínicas sobre ferreomodelismo e venda de materiais e livros, entre outras atrações.

A ABPF também estará participando desta festa, oferecendo acesso livre nas dependências do Museu Tecnológico Ferroviário para os primeiros 50 pré-inscritos, portadores dos respectivos crachás devidamente identificados para esta promoção, conforme regulamento do evento disponível em http://br.geocities.com/resagi/mf.html

Maiores informações e inscrições com resagi@yahoo.com.br ou resagi@uol.com.br

 

Renato Gigliotti


09/9/06

O Trem Passou!

Compartilho com todos os amigos a emoção que sentimos hoje no primeiro trem de testes para JG. Foi a Locomotiva 210, com as duas plataformas na frente, com o mestre de linha, o engenheiro responsável e algumas pessoas da ABPF.

O trânsito parou!!! Muita gente chorou, e no fim tivemos de fazer um passeio com varias pessoas por cima dos dormentes... Não tirei fotos boas por estar no trem, mas o Zago e muitos outros fotografaram e filmaram. A inauguração oficial será no dia 6 de outubro.

Um abraço...

Helio Gazetta, ABPF


04/9/06

A volta do Trem Azul!


Locomotiva Elétrica GE/V8-371.

Saudações Ferroviárias!

É com grande alegria e satisfação que anunciamos o término da terceira fase do restauro da Locomotiva Elétrica GE/V8-371. Construída na década de 40 pela General Eletric - USA, marcou época tracionando o famoso e lendário Trem Azul e/ou Trem-R da Companhia Paulista de Estradas de Ferro. Um dos trens mais luxuosos do Estado de São Paulo, bem como do Brasil, na década de 50.

Nesta terceira fase de restauro a V8-371 volta a ostentar a sua cor predominantemente azul, com detalhes em creme e faixa prata, dos áureos tempos da CP. Agora a locomotiva volta a ter vida novamente, pois já nos remete a uma época em que viajar pelo Estado de São Paulo a bordo do Trem Azul da Paulista era sinônimo de um serviço de trem de passageiros com requinte, glamour, luxo e pontualidade, que marcaram para sempre a história deste trem.

O primeiro passo para sua recuperação foi dado em meados de 2003, quando a ABPF resgatou a V8-371, juntamente com mais quatro carros de passageiros que compunham parte do Trem Azul. O segundo passo foi o leilão promovido pela SBF para inicio do projeto do Trem Azul. Agora vamos aguardar as próximas etapas de restauro, a recuperacão dos componentes elétricos e mecânicos da locomotiva e o restauro dos Carros de Passageiros da CP, que necessitam principalmente de verba para a sua execução. Fase a fase, cada coisa a seu tempo, ainda teremos o prazer de comtemplar todo este trem restaurado.

Mas as novidades não param por aí. A nossa V8-371/CP, juntamente com dois Carros de Passageiros Inox que pertenceram à Estrada de Ferro Araraquara - EFA, foram ultilizados na gravação das cenas da próxima novela da Rede Globo, "O Profeta", a ser exibida em breve. Quem assistir às cenas da novela vai ver a V8 e os carros estacionando na plataforma da estação da antiga Hospedaria dos Imigrantes, ultilizada para compor o cenário de algumas tomadas.

Portanto amigos, os bons tempos da V8 estão de volta...

Anderson Alves Conte, ABPF-SP

 

 

 


27/7/06

Passeio inaugural da Locomotiva Nº 10 ocorre sábado, dia 29, às 11h, no Museu Tecnológico Ferroviário, em Paranapiacaba!

Foto Adauto Rodrigues, Núcleo de Fotografia de Paranapiacaba
Trem Turístico Histórico Cultural, em Paranapiacaba.

O Museu Tecnológico Ferroviário de Paranapiacaba, operado pela ABPF, promoverá a abertura solene do Trem Turístico Histórico Cultural da Vila Inglesa, composto pela Locomotiva Nº 10, de 1867, e pelo Carro de Primeira Classe, de madeira, de 1914. O percurso terá aproximadamente 1 km, saindo da plataforma de embarque, próxima à bilheteria do Museu, sob a passarela, indo até a cabina de comando do 5º Patamar, e depois retornando. O ingresso custa R$ 7,00, sendo R$ 2,00 pelo ingresso no Museu e R$ 5,00 pelo passeio. O Trem Turístico Histórico Cultural da Vila Inglesa estará funcionando todos os sábados, domingos e feriados das 10 às 16 horas.

Em todo o Museu o público é guiado por funcionários e chefe de trem trajados a caráter, e todos contam histórias da antiga ferrovia.

A locomotiva pertenceu à SPR, São Paulo Railway, depois foi adquirida pelo Frigorífico Bordon e doada, nos anos 70, à ABPF. A sua restauração foi realizada pela Associação em parceria com um dos sócios fundadores da entidade, o Eng. Lincoln Palaia, e a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O Carro de Primeira Classe de madeira, com capacidade para 60 pessoas, tem bancos estofados, lustres de bronze e banheiro. Foi construído pela SPR em 1914 e durante os anos de 1958 e 1959 foi recuperado pela Estrada de Ferro Santos a Jundiaí.

Fernando Rebelo, ABPF-SP


23/7/06

Maria-Fumaça no Festival de Inverno de Paranapiacaba!

Foto Fábio Barbosa
Locomotiva Nº 10 e Carro de Primeira, em Paranapiacaba.

O visitante que vier à Paranapiacaba por conta do Festival de Inverno, que está se realizando neste mês de julho de 2006, vai ter, além das atracões deste festival, a oportunidade de visitar o Museu Ferroviário após o início da concessão do mesmo para a ABPF-SP.

Desde o ano passado, quando o museu foi cedido pela RFFSA para a ABPF através de convênio, muitas coisas já mudaram. A ABPF-SP vem, através dos recursos obtidos com a arrecadacão da bilheteria, da lojinha de souvenirs e de doacões, realizando a pintura dos galpões, remodelando a exposicão das peças e até mesmo promovendo a manobra do material histórico rodante, a exemplo do Guindaste Manual da SPR, que foi reposicionado no pátio, proporcionando ao visitante um melhor acesso e visibilidade. São pequenas acões que estão reforçando no museu o caráter histórico ferroviário.

Foto Fernando Rebelo
Ferroviários da MRS preparam a via no Museu.

A maior das atrações do Museu Ferroviário da ABPF neste 6º Festival de Inverno de Paranapiacaba será o passeio no trem puxado pela Locomotiva à Vapor Nº 10 da SPR, de fabricacão inglesa, construída no ano de 1867, o mesmo ano da inauguracão da primeira ferrovia paulista, The São Paulo Railway Co. A Locomotiva 10 é hoje a terceira locomotiva à vapor mais antiga no Brasil, sendo a mais antiga em faces de tração. A sua chegada, acompanhada do Carro de Madeira de Primeira/Segunda Classes, estará inaugurando o Trem Turístico Histórico Cultural da Vila Inglesa.

Junto com a Locomotiva e o Carro de Madeira veio também o Carro Dormitório-Inox, de 1958, que pertenceu à Estrada de Ferro Sorocabana, e que servirá de alojamento para as pessoas envolvidas na operação do trem (maquinista, foguista, auxiliar, etc.). Este carro permanecerá em exposição estática.

Para a realização deste passeio a ABPF-SP contou com o apoio da MRS-Logistica e da Prefeitura Municipal de Santo André. No caso da MRS-Logistica, além de promover o translado do material rodante até Paranapiacaba, também executou a manutencão da linha por onde esta nostálgica composicão ferroviária está trafegando. Vale enfatizar que sem o apoio da MRS-Logistica seria impossivel a consecução deste feito.

Foto Fernando Rebelo
Palestra de Adauto Rodrigues.

Uma outra atração do Museu Ferroviário da ABPF para o Festival de Inverno será a Mostra de Fotografia "Paranapiacaba... Memória e Tempo", com palestras sobre a evolução da vila promovidas pelo fotógrafo e historiador Adauto Gonçalves Rodrigues. Adauto, membro da ABPF, é filho de ferroviário e nasceu em Paranapiacaba. Ele próprio também foi ferroviário em Paranapiacaba e na Lapa, no tempo da RFFSA. É fotógrafo desde a década de 80. A mostra e as palestras ocorrerão em sessões no Galpão das Caldeiras da 5ª Machina Fixa, no Museu Ferroviário, nos dias 15, 16, 23 e 24 de julho de 2006, às 10h30, 12h, 14h e 15h30. Portanto, este está sendo um Festival de Inverno repleto de atracões, seja na Vila de Paranapiacaba, berço da primeira ferrovia do Estado de São Paulo, seja no Museu Ferroviário, administrado pela ABPF.

O Festival de Inverno de Paranapiacaba acontece nos dias 15 e 16, 22 e 23 e 29 e 30 de julho de 2006.

Anderson Alves Conte, ABPF-SP

 


06/5/06

Saudações Ferroviárias!

Foto Fernando Rebelo

A assinatura do convênio entre a ABPF e o Memorial do Imigrante, no dia 30 de abril de 2006, "Dia do Ferroviário", veio formalizar o trabalho conjunto que as duas entidades realizam desde 1998, resgatando a história da chegada de imigrantes pelos trilhos da São Paulo Railway Co.

Não é possivel imaginar a imigração no Estado de São Paulo sem mencionar a importância que a ferrovia teve para transportar os imigrantes entre o porto de Santos e a Hospedaria de Imigrantes, na cidade de São Paulo, e desta até as lavouras de café para além de Jundiaí, no interior do Estado.

Durante anos os trens da SPR subiam a serra trazendo os imigrantes que desembarcavam de navios a vapor em Santos, e desciam-na levando a riqueza produzida nas lavouras do interior do Estado, chamada de ouro negro - o nosso "brasileirissimo" café.

A Hospedaria de Imigrantes não por acaso fora construída às margens da São Paulo Railway, com seus trilhos provenientes de Santos, que de passagem pela cidade de São Paulo, seguiam com destino a Jundiaí. E também da Estrada de Ferro Central do Brasil, com seus tilhos provenientes do Estado do Rio de Janeiro, que encontram os da SPR na confluência entre a antiga Estação do Norte e a estação vizinha da SPR, no "Bráz".

Hoje, graças aos esforços do Memorial do Imigrante e da ABPF, os visitantes embarcam em uma composição ferroviária com carros do início do século passado tracionados por uma locomotiva a vapor, e percorrem um trecho do desvio da Hospedaria tendo a mesma sensação de seus antepassados, imigrantes que chegavam de trem na estação ferroviária da Hospedaria. O trem, que no passado transportava o sonho do imigrante, hoje leva seus filhos e netos a uma viagem no túnel do tempo.

O Trabalho conjunto das duas entidades traz o passado, a nossa história, as nossas origens, para o presente, e aclara para as novas gerações a noção do passado e da importância do trabalho dos imigrantes que ajudaram a desenvolver este gigante em que vivemos chamado São Paulo - terra do café, terra da garôa. Também resgata o romantismo e o glamour das viagens de trens, que cortavam os mais de sete mil quilometros de trilhos existentes no Estado, através das 1500 estações e paradas ferroviárias que hoje infelizmente não vêem mais o trem de passageiros passar. Hoje pelos trilhos de São Paulo passam apenas trens de cargas. O ilustre trem de passageiros não existe mais. As novas gerações, que nunca viajaram de trem, ao embarcarem no Trem do Memorial, têm a mesma sensação que nós tínhamos antigamente, quando escutávamos os dois apitos do Chefe de Trem, correspondido por dois apitos do Maquinista, vendo ficar para trás a Estação Ferroviária.

Graças ao trabalho conjunto entre a ABPF e Memorial do Imigrante, este passado está de volta. O trem, que antes percorria os trilhos do café, hoje percorre os trilhos da memória...

Anderson Alves Conte, ABPF-SP

 


30/4/06

Domingo de importantes realizações

Foto Fernando Rebelo

Dois importantes eventos marcaram a passagem do domingo, 30 de abril de 2006, no Memorial do Imigrante: a assinatura do Contrato de Cooperação entre a ABPF e o Memorial do Imigrante, e o V Concurso de Ferreomodelismo da SBF.

Na foto acima, compõe a mesa para a assinatura do contrato, da esquerda para a direita, Elias Araujo (ABPF), Maria Inês Mazzoco (Coordenadora de preservação ferroviária da CPTM), Wilma Mota, Hélio Gazetta (Diretor Tesoureiro ABPF), Juarez Spaletta (Conselheiro - Socio Fundador ABPF), Ana Maria V. Costa Leitão (Diretora Executiva do Memorial do Imigrante) e Roberto Folgueral (Secretário Adjunto - Secretaria de Turismo do Governo do Estado de São Paulo).

Na foto abaixo um detalhe da excelente frequencia de entusiastas no V Concurso de Ferreomodelismo no espaço do Núcleo Histórico dos Transportes no Memorial do Imigrante.

Foto Fernando Rebelo

Fernando Rebelo, ABPF-SP.

 


15/4/06

Manobras no Museu Ferroviário

 

Foto Fernando Rebelo.
Guindaste deixando o galpão.

No dia 15 de abril de 2006, sábado, voluntários associados da ABPF manobraram o Guindaste Manual da SPR, em Paranapiacaba. A manobra foi executada sem auxílio de locomotiva, apenas com alavancas, cordas, tifor e cabo de aço. A manobra manual do guindaste foi executada para tirá-lo do galpão da antiga caldeira da 5ª Máquina Fixa, no interior do qual o ambiente propiciava deterioração acentuada da ferragem devido ao acúmulo da maresia e da umidade proveniente da neblina.

Foto Fernando Rebelo.
O tifor puxando: quatro horas de trabalho.

Agora o Guindaste está estacionado no pátio entre os galpões das caldeiras da 4ª Máquina Fixa da Serra Velha e da 5ª Máquina Fixa da Serra Nova, ao lado do Serra-Breque, ficando muito mais visível para público, já que dentro do galpão o Guindaste estava praticamente escondido. O sol se encarregará de minimizar o problema da umidade, e o acesso facilitado permitirá manutenção mais constante. Outra vantagem é que com a retirada do Guindaste, a visibilidade interna do galpão também melhorou.

Foto Fernando Rebelo.
Deram muita força na manobra os seguintes associados: Elias Alves Araújo, Sidnei Gonçalves, Washington, Kazu, Robson Alves Conte, Natalino Tadeu Conte e Fernando Rebelo.

Anderson Alves Conte, ABPF-SP


30/12/2005

Confraternização em Paranapiacaba!

 

Vanderlei, Elias, Hélio e Jorge. Foto Fernando Rebelo.A ABPF, representada pela sua diretoria, reuniu-se dia 30 de dezembro de 2005 no Museu Ferroviário, em Paranapiacaba, para o último encontro do ano. Mais do que confraternização, com um churrasco muito saboroso, a ocasião serviu para que a diretoria tomasse contato com o Museu Ferroviário, suas dimensões, instalações, material rodante, história, clima e, principalmente, o que já se fez e os planos do que será feito em 2006. Estiveram presentes Jorge Luiz Sanches, Presidente da ABPF e Diretor da Regional Cruzeiro/São Lourenço, Hélio Gazetta Filho, 1º Tesoureiro da ABPF e Diretor da Regional Campinas, Vanderlei Alves da Silva, 1º Secretário da ABPF e Diretor da Regional Campinas, Elias Alves de Araújo, anfitrião, Diretor de Patrimônio Histórico da ABPF e Diretor da Regional São Paulo, Sidnei Gonçalves, Diretor da ABPF Regional São Paulo, Washington, Rodrigo Santiago, Sidnei Gomes e Fernando A. P. Assis, entre outros amigos, sócios e colaboradores...

Churrasco num museu: prova do que é um museu vivo... Foto Fernando Rebelo.

 

No pouco tempo em que a ABPF Regional São Paulo está administrando o Museu Ferroviário, as alterações são visíveis e importantíssimas. Apenas para ressaltar o básico, a ABPF Regional São Paulo pôs termo ao abandono e à subtração de objetos do Museu. Nunca houve tantos objetos ferroviários expostos como agora, e os objetos estão sendo protegidos da ação do tempo, bem como o material rodante está sendo remanejado e restaurado para melhor conservação e visibilidade. O exemplo mais imediato é o Carro Postal, na foto abaixo, sendo recuperado às vistas de todos logo na entrada do Museu, para uma utilização que logo será revelada! E muito mais virá neste ano de 2006. Feliz Ano Novo, companheiros!

O Carro Postal, em processo de restauração, em 30/12/2005. Foto Fernando Rebelo.

Curiosamente, o mesmo Carro Postal aparece no estado lastimável em que se encontrava na foto da matéria Mudanças em Paranapiacaba!, abaixo, bem ao centro. A foto daquela matéria é de 06/8/2005.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


10/12/2005

Mudanças em Paranapiacaba!

Foto Fernando Rebelo.

Foto Fernando Rebelo.

A ABPF Regional São Paulo deu a partida para a reformulação do lay-out do Museu Ferroviário, em Paranapiacaba. Os carros e vagões que estavam estacionados junto à passarela foram movidos, com o apoio da MRS Logística, e os que estão aguardando restauração foram deslocados para o fundo do pátio, dando melhor aspecto e melhor percepção do espaço do Museu. Foram deslocados para a entrada, próximos à passarela, um vagão prancha e um carro, que está sendo adaptado para abrigar uma futura lojinha de publicações e café. Os espaços internos do museu também estão sendo reorganizados, bem como os objetos em exposição. Nunca houve tantos ítens em esposição quanto agora, e em excelente estado de conservação. Haverá ainda mais mudanças: o carro guincho, que está dentro da oficina da 5ª Máquina Fixa, passará a ser exposto no pátio, e em breve o visitante terá acesso, pela primeira vez na história do Museu, à caldeira da 4ª Máquina Fixa, que se encontra em excelente estado de conservação em seu local original.

Foto Fernando Rebelo.


17/01/2006

MARIA-FUMAÇA

Obra de acesso começa em fevereiro

Prefeito de Jaguariúna quer estender passeio até a região central da cidade e intensificar o turismo


Venceslau Borlina Filho - Jaguariúna

 


MARIA-FUMAÇA: Chiavegato pretende ampliar passeio e transformá-lo em acesso à Campinas

As obras para prolongamento da via férrea que vai levar a Maria-Fumaça de Jaguariúna até o Centro Cultural do município devem começar em fevereiro, segundo o prefeito Tarcísio Cleto Chiavegato (PTB). A obra está prevista para ser inaugurada no próximo aniversário da cidade, dia 12 de setembro. O projeto, orçado em R$ 1,8 milhão, consiste na construção de uma ponte de 600 metros sobre a Avenida Marginal, um terminal ferroviário e via férrea para chegar até o Centro e o viradouro (retorno). A obra será feita em parceria com a ABPF (Associação Brasileira de Proteção Ferroviária).

 

Chiavegato participou de uma reunião com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), e apresentou o projeto, com o objetivo de obter recursos para a implantação. “Apresentamos o custo total das obras e o governador encaminhou o pedido para análise. Ele se mostrou impressionado com o potencial turístico que a cidade oferece”, contou o prefeito. Além disso, Chiavegato já levou o projeto ao Ministério das Cidades, em Brasília (DF), em busca de financiamento para as obras. “Caso não conseguirmos nada, vamos realizar o projeto com o tesouro municipal mesmo”, disse.

 

Para isso, o prefeito estima arrecadar em 2006 cerca de R$ 111 milhões, e subir no ranking estadual de arrecadação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). No ano passado, Jaguariúna conquistou a 26ª posição no ranking e perdeu o primeiro lugar para Campinas no ranking de maior exportador da RMC (Região Metropolitana de Campinas).

 

MARIA-FUMAÇA

De acordo com Chiavegato, com a obra, os passeios de Maria-Fumaça poderão ser feitos diariamente, como forma de fomentar o turismo na cidade. “Além disso, o trem poderá servir como transporte entre Campinas e Jaguariúna”, disse. O prefeito disse também que a Maria-Fumaça terá integrado um passeio até Holambra.

Os trilhos, viradouro, dormentes e mão-de-obra serão provenientes da ABPF. “Foi formado um conselho para estudar a viabilidade econômica da atração turística para o município. O nosso maior objetivo é elevar Jaguariúna a qualidade de instância turística, reconhecida pelos governos estadualle federal”, disse o prefeito.

 


23/12/2005

Assinado termo entre a ABPF e a ANPF

 

Foto: divulgação

Foi assinado o Termo de Cooperação Técnica entre a ABPF e a ANPF (Associação Nacional de Preservação Ferroviária) para o Projeto Turístico Ferroviário e a Oficina -Escola Ferroviária. Assinaram o termo os senhores Hélio Gazetta (1º Tesoureiro ABPF), Fabio dos Santos Barbosa (Presidente ANPF), Claudinei Guimarâes (Representante ANPF), Regis Vasques Franco (Representante ANPF), Elias Araujo (Diretor de Patrimônio Histórico ABPF) e Jorge Luiz Sanches (Presidente da ABPF).

Fabio dos Santos Barbosa, presidente ANPF.

Abertura | História e Regionais | Parceiros e Links | Filiação | Contato | Núcleo Histórico dos Transportes - São Paulo | Museu Ferroviário - Paranapiacaba | Passeio de Maria-Fumaça | Passeio de Bonde | Oficina de Restauração e Pátio - São Paulo | Locomotivas | Carros | Vagões e Especiais | Notícias Regionais e Afins | Boletim ABPF | Notícias Ferroviárias | Eventos Realizados | Banco de Imagens

Website, design, fotografia e visibilidade
aPaReCe